A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

03/09/2014 06:34

Amarrada em troncos de eucalipto, rede em sisal é convite para o ar livre

Paula Maciulevicius
Grande, retangular e rústica, a rede pode te transportar da varanda de casa até o campo de uma fazenda. (Foto: Felipe Araújo)Grande, retangular e rústica, a rede pode te transportar da varanda de casa até o campo de uma fazenda. (Foto: Felipe Araújo)

Um convite não para uma soneca, mas para um bate-papo entre amigos, uma roda de tereré, um descanso à sombra e água fresca. Grande, retangular e rústica, a rede pode te transportar da varanda de casa até uma fazenda, onde só o que se ouve é o barulho dos pássaros e do próprio suspiro.

Veja Mais
Traços da nossa arquitetura, desde o “Gabinete Téchnico de Desenho" na Calógeras
Casa de madeira mantém as lembranças de 92 anos de dona Nazira na 14 de Julho

Amarrada em troncos de eucalipto, ela é fixa, mas se balançasse seria no ritmo de paz e tranquilidade. Desenhada pela arquiteta Gabriela Pereira e desenvolvida pelas mãos do artesão Rodolfo Contar, para o espaço externo do loft do DJ Renato Ratier, na Casa Cor MS 2014, ela comporta pessoas, risadas, tecidos e almofadas. 

A rusticidade nela foi imposta pelo material: de corda sisal, dessas compradas nas antigas selarias da Rua 14 de Julho, onde impera o rural nas mercadorias. O que Gabriela queria passar era a sensação que se tem ao sentar ali: a lembrança de uma fazenda.

A rusticidade nela foi imposta pelo material: de corda sisal, dessas compradas em selarias. (Foto: Marcos Ermínio)A rusticidade nela foi imposta pelo material: de corda sisal, dessas compradas em selarias. (Foto: Marcos Ermínio)

Na imaginação, a rede teria de ser diferente, quadrada ou retangular. A exigência estava só na trama de sisal e nas franjas. Difícil foi achar quem comprasse, junto com ela, a ideia e a fizesse.

O desafio foi aceito pelo artesão Rodolfo Contar Zendiniati, de 31 anos. Ele e a esposa abriram recentemente uma loja de móveis e decoração, Pandora, na avenida Mato Grosso, já quase na Via Parque. "Foi tudo à mão, você prende de lado a lado e vai amarrando nó por nó", explica.

Amarrada em quatro pilares de madeira, a rede mede 1,80m por 2,20m, fora as cordas para armar. O resultado final leva a gente a imaginar que a rede tenha se formado seguindo passos de dança de Rodolfo. Foi a primeira encomenda do tipo pedida a eles, entregue em duas semanas. "É um trançado em nós específicos, quadriculada, ela é uma rede aberta", descreve a esposa, Jaqueline Jaeger.

Os materiais para se fazer a rede variam de acordo com a criatividade de quem pede. Rodolfo explica que pode criar em nylon, corda de algodão e o que mais for maleável e tiver resistência. Em custos, essa da foto chega a valer R$ 1,2 mil.

Neutra, a riqueza de detalhes fica por conta dos elementos. A arquiteta explica que a beleza da rede é complementada pela utilização de almofadas juntamente com um tecido de cobertura para dar maior conforto e sofisticação. "Por ser neutra, podemos mudar a personalidade do ambiente ao trocar o acabamento das almofadas, sendo assim uma peça versátil", pontua Gabriela.

Na inserção de diferentes elementos, Gabriela sugere incrementar o uso de outros elementos, como por exemplo acrescentar o couro junto a amarração da rede. "Onde a corda prende ao tronco, pode-se usar couro", completa.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.