A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

03/10/2013 13:52

Casa Cor é lançada no Hospital do Câncer e desafia arquiteto a ir além da beleza

Ângela Kempfer
Mostra vai ocupar dois pavimentos de anexo do Hospital do Câncer, em Campo Grande.Mostra vai ocupar dois pavimentos de anexo do Hospital do Câncer, em Campo Grande.

Em abril do ano que vem, quando a terceira edição da Casa Cor MS abrir as portas em Campo Grande, todos os ambientes serão residenciais. Até aí, nada mudou. Mas o desafio é fazer do projeto de 2014 algo duradouro, que garanta qualidade de vida aos pacientes do Hospital do Câncer Alfredo Abrão, local escolhido para receber a mostra de Arquitetura e Paisagismo.

Veja Mais
Veja como Casa Cor deve transformar o Hospital do Câncer em Campo Grande
Casa Cor escolhe Hospital do Câncer para mostra de arquitetura em 2014

No lançamento do projeto, na manhã desta quinta-feira , a palavra da vez foi “legado”. Os responsáveis pelo evento querem sensibilizar profissionais e empresários a acreditar na ideia de que a arquitetura não é luxo e tem papel fundamental em um ambiente como o Hospital do Câncer, onde pessoas chegam normalmente fragilizadas.

O anexo, ainda em construção na rua Antônio Maria Coelho, terá 9 pavimentos, mas antes de ser inaugurado, dois deles vão virar Casa Cor. O mesmo ocorreu em 2012 em Mato Grosso, no hospital do câncer de Cuiabá.

Michel Teló, João Bosco e Vinícius já aparecem como apoiadores em vídeo institucional, assim como o ator Otaviano Costa virou padrinho da proposta em Mato Grosso.

“Quando o hospital foi escolhido em Cuiabá respondi à pergunta que sempre fiz sobre a missão da Casa Cor. Agora vamos continuar aqui. Será a maior obra social já vista em Mato Grosso do Sul”, reforça o gerente das franquias Casa Cor no Brasil, Alessandro Silva.

 Kátia Ocampos será responsável pela Sala de Cinema na mostra de 2014. Kátia Ocampos será responsável pela "Sala de Cinema" na mostra de 2014.

Ambientes- Em Campo Grande, o subsolo e o térreo do Hospital do Câncer serão transformados em uma casa sofisticada, criada para uma família brasileira fictícia, com dinheiro para gastar, bom gosto, interessada em design, tecnologia e em sustentabilidade.

Depois, quando a mostra sair de cena, adaptações serão feitas para o espaço receber os médicos, exames, pacientes... Por isso, o cuidado é ousar sem perder a chance de deixar o tal legado, com o aproveitamento ao máximo de materiais e instalações quando a Casa Cor tiver de virar hospital.

“Os banheiros funcionais, por exemplo, serão instalados no local definitivo, para depois servirem ao hospital. O mesmo acontece com as salas. Uma sala de Casa Cor depois será transformada em 3 consultórios”, explica a diretora comercial da mostra, Luciane Mamoré.

Segundo ela, todas as decisões são tomadas por profissionais do hospital e do evento, justamente para que a adequação seja viável.

A arquiteta Kátia Ocampos já comprou espaço na mostra de 2014. Escolheu a “Sala de Cinema”, por acreditar que cada vez mais as famílias têm interesse em aproveitar o lazer dentro de casa. “E isso não importa o tamanho da casa ou do apartamento, até uma salinha serve para esse tipo de diversão”, comenta.

No caso dela, o projeto não será nada modesto, terá cerca de 80 metros quadrados, um desafio bem maior que a estreia na Casa Cor, quando usou 20 metros quadrados para criar o “Banho da Moça”.

Experiente na arquitetura hospitalar, Kátia não tem dúvidas sobre o aproveitamento pós Casa Cor. “A gente já começa um projeto desses pensando que é criado para uma família, mas que depois será usado pelo hospital. Tenho certeza que a maioria poderá ser absorvida”, avalia.

Deise Bigolin diz estar empolgada com a possibilidade de contribuir com o que virou projeto social. "É bom por tudo, principalmente, por poder mostrar que a arquitetura funcional melhora a qualidade de vida".

Na última edição, a arquiteta criou uma garagem com direito a pastilhas folheadas a ouro na parede de uma mansão nos altos da avenida Afonso Pena. O retorno como profissional foi imediato, mas no Hospital do Câncer ela acha que deve encontrar uma satisfação ainda maior. "Lá, quando acabou a mostra, a garagem foi derrubada. Hoje só tem um gramado no local. Aqui, podemos dar uma contribuição permanente", justifica.

A Casa Cor MS será aberta no dia 25 de abril de 2014 e seguirá até o dia 8 de junho.

Ambiente da mostra de Cuiabá, em 2012, também montada em um hospital do câncer. (Foto: divulgação)Ambiente da mostra de Cuiabá, em 2012, também montada em um hospital do câncer. (Foto: divulgação)



e desde quando arquitetura é só beleza?
 
gilfranco alves em 09/10/2013 15:58:09
Parabéns pelos idealizadores desse evento. Penso que nenhum centímetro deve ser descartado no término da casa Cor, para que o tão desejado Hospital pudesse ter um aproveitamento perto dos 100%. Dentro desses projetos temos profissionais especializados na arquitetura hospitalar, que sabem precisar a necessidade de cada espaço.para posteridade .
 
Inês Ferreira Ocampos em 05/10/2013 08:45:22
Uma sugestão:
Minha esposa já se tratou neste hospital hà cinco anos. Ela sugeriu que se retire a palavra "câncer" do nome deste hospital. Segundo ela, isto causa mal estar a todos que já passaram por lá. Fica a dica para melhorar o ambiente.
 
joao de assis em 03/10/2013 23:23:16



e desde quando arquitetura é só beleza?
 
gilfranco alves em 09/10/2013 15:58:09
Parabéns pelos idealizadores desse evento. Penso que nenhum centímetro deve ser descartado no término da casa Cor, para que o tão desejado Hospital pudesse ter um aproveitamento perto dos 100%. Dentro desses projetos temos profissionais especializados na arquitetura hospitalar, que sabem precisar a necessidade de cada espaço.para posteridade .
 
Inês Ferreira Ocampos em 05/10/2013 08:45:22
Uma sugestão:
Minha esposa já se tratou neste hospital hà cinco anos. Ela sugeriu que se retire a palavra "câncer" do nome deste hospital. Segundo ela, isto causa mal estar a todos que já passaram por lá. Fica a dica para melhorar o ambiente.
 
joao de assis em 03/10/2013 23:23:16
e desde quando arquitetura é só beleza?
 
gilfranco alves em 09/10/2013 15:58:09
Parabéns pelos idealizadores desse evento. Penso que nenhum centímetro deve ser descartado no término da casa Cor, para que o tão desejado Hospital pudesse ter um aproveitamento perto dos 100%. Dentro desses projetos temos profissionais especializados na arquitetura hospitalar, que sabem precisar a necessidade de cada espaço.para posteridade .
 
Inês Ferreira Ocampos em 05/10/2013 08:45:22
Uma sugestão:
Minha esposa já se tratou neste hospital hà cinco anos. Ela sugeriu que se retire a palavra "câncer" do nome deste hospital. Segundo ela, isto causa mal estar a todos que já passaram por lá. Fica a dica para melhorar o ambiente.
 
joao de assis em 03/10/2013 23:23:16
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.