A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

30/06/2014 08:19

Casa simples no Carandá perde paredes e se transforma com iluminação e textura

Paula Maciulevicius
Na fachada, designer de interiores mudou textura, iluminação e portão.Na fachada, designer de interiores mudou textura, iluminação e portão.
A casa não parece mais a mesma, embora o projeto tenha mantido toda a estrutura original. A casa não parece mais a mesma, embora o projeto tenha mantido toda a estrutura original.

Um antes e depois “gritante”. A casa não parece mais a mesma, embora o projeto tenha mantido toda a estrutura original. Com gesso, iluminação, revestimento e derrubada de paredes, é possível transformar o simples em sofisticado.

Veja Mais
Com filmes não revelados da década de 1950, frei tenta criar museu em mosteiro
Traços da nossa arquitetura, desde o “Gabinete Téchnico de Desenho" na Calógeras

Quando o imóvel de 180m² foi comprado pela família, no bairro Carandá Bosque, os donos sabiam que iriam ter de gastar na reforma. O pedido à designer de interiores era: um escritório e uma cozinha legal por gostarem de receber amigos.

“Eles compraram para reformar e precisava. Então desde a fachada a gente trabalhou, mas não fez grandes mudanças”, explica a designer Thaysa Canale. Ela, junto da também designer Daiana Capuci e a arquiteta Márcia Ribeiro assinam a “transformação” da casa.

Porta de entrada ficava na frente e foi para lateral.Porta de entrada ficava na frente e foi para lateral.
Corredor ganhou cobertura de pergolado e vidro.Corredor ganhou cobertura de pergolado e vidro.

A primeira impressão que se tem de um imóvel é pela fachada. No caso deste projeto, Thaysa interferiu na troca do portão da garagem, na iluminação e na textura. Se observa pelas fotos que os riscos do muro permaneceram. A porta que ficava na frente foi aberta para a lateral e a parede que permaneceu ganhou um detalhe especial com tijolos de demolição.

“Tirei a porta da frente, abri na lateral, onde era o corredor. Ali cobrimos com pergolado”, descreve Thaysa. Com isso o corredor que antes dava para um quintal de mato alto, agora ganhou iluminação, um jardim e até um banco de madeira. O detalhe fica por conta da cobertura do pergolado, de vidro.

Voltando os olhos para a lateral esquerda da casa, o muro e o portão que deixavam a fachada bem menor foram derrubados. “Fiz um jardim na frente e abri as janelas da cozinha em faixas”, explica Thaysa.

Muro e porta foram derrubados.Muro e porta foram derrubados.
Dando lugar a jardim com vista da cozinha. Dando lugar a jardim com vista da cozinha.

Na parte de dentro, fica mais evidente os milagres que a arquitetura e a decoração são capazes de fazer. A sala foi ampliada para atender ao primeiro pedido do casal. “Abri toda essa parede, joguei para o fundo e fiz o escritório”. A bancada ficou um charme com a parede de tijolos de demolição iluminados em led.

A parede que escondia o caminho para o lavado também saiu de cena, deixando os ambientes mais integrados. O revestimento feito no cômodo que dá aparência de pedra se chama stucco veneziano. O espelho com iluminação de led e a troca da pia deixou o lavabo novinho em folha.

A iluminação parece e é o foco de todo trabalho na casa. Thaysa explica que a luz realça qualquer projeto. “São peças simples, que não foram caras. Por exemplo, a calha é uma solução simples e que dá um efeito todo diferente”, exemplifica a designer. Na casa, as profissionais usaram do rebaixe de gesso e da luz para valorizar as paredes de tijolos. “Tudo de led, que tem consumo menor de energia e maior vida útil”, acrescentou.

*Thaysa Canale, Daiana Capuci e Márcia Ribeiro são profissionais confirmadas para a mostra Casa Cor MS, no Hospital de Câncer Alfredo Abrão.

Sala foi ampliada. Sala foi ampliada.
E com móveis, revestimento e iluminação parece outra.E com móveis, revestimento e iluminação parece outra.
Ampliação da sala deu espaço ao escritório. Ampliação da sala deu espaço ao escritório.
Revestimento aparenta pedra, mas não é. Revestimento aparenta pedra, mas não é.

A cozinha que precisava ser aconchegante e receptiva para os amigos do casal foi ampliada. Com a derrubada da parede, se enquadrou no estilo americano e com todo um trabalho de gesso acima. A janela antes resumida à uma, foi transformada em “faixas”.

“Fiz essa bancada toda aberta para a casa, foi o que ampliou”, diz Thaysa.

O quintal onde antes não havia nada construído passou a abrigar a área de lazer da família, com uma piscina em "L" e deck de madeira em volta.

A família é de classe média, um casal jovem com dois filhos. “Eles não podiam pagar uma fortuna, mas tinham comprado a casa para reformar, então pegamos pontos para fazer diferentes.

A estrutura da casa é a mesma”, detalha Thaysa. Considerando parte dos móveis, iluminação, gesso, tijolos de demolição e a mão de obra, a reforma, segundo a designer, ficou em torno de R$ 150 mil.

Cozinha de antes teve parede derrubada. Cozinha de antes teve parede derrubada.
Espaço ganhou estilo americano com bancada.Espaço ganhou estilo americano com bancada.
O fundo onde antes não havia nada além de matoO fundo onde antes não havia nada além de mato
foi transformado em piscina em L, com deck.foi transformado em piscina em "L", com deck.



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.