A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

04/04/2014 06:41

Com 10 mil reais, casal compra container e abre lanchonete em tempo recorde

Anny Malagolini
Jerson e Laura agora apostam em lanchonete no quintal de casa. (Foto: Marcelo Victor)Jerson e Laura agora apostam em lanchonete no quintal de casa. (Foto: Marcelo Victor)

Os salgados a R$ 1,00 viraram mania na cidade, principalmente nos bairros, que usam o preço como maior atração. Mas no Tiradentes, além do valor, os donos da “Rota do Salgado” também aproveitaram outra moda do momento, o uso de container, para abrir a pequena lanchonete.

Veja Mais
Com filmes não revelados da década de 1950, frei tenta criar museu em mosteiro
Traços da nossa arquitetura, desde o “Gabinete Téchnico de Desenho" na Calógeras

Na avenida Marques de Lavradio, 473, o quintal da casa do comerciante Jerson Rezende, de 59 anos, era vasto, cerca de cinco mil metros quadrados. Ali, ele enxergou o ponto ideal para tentar mais uma vez no mesmo ramo, já que no antigo, no centro da cidade, os planos não deram certo.

O usado pela lanchonete veio de Santos, litoral paulista. Toda a transação foi pela internet. No total, foram gastos dez mil reais na compra e entrega. Uma sobrinha do casal, que é arquiteta, deu auxílio aos dois no projeto de instalação, acabamentos e para as partes elétrica e hidráulica. 

A ideia inicial de Jerson e da esposa Laura Regina, de 52 anos, era comprar um trailer, mas depois de muito pesquisar na internet, ele acabou encontrando sugestões de construções usando containers. Toda a adequação para se transformar em uma lanchonete custou mais 6 mil reais e o processo durou apenas 3 meses, desde a aquisição. “Saiu mais barato do que construir com tijolo e cimento”, comenta Laura.

O lugar é simples, mas uma graça, bem cuidado, com a vibração do vermelho e do amarelo. Não houve muita complicação no uso do container. A obra se resumiu a uma grande abertura lateral, na horizontal, para uma ampla janela de vidro. Depois, vieram as pinturas externa e interna e mobiliário planejado. Para ampliar o espaço, eles optaram por uma varanda aberta, também com estrutura metálica e em branco.

Para a clientela, tem esfiha, enroladinho, de massa fresca e leve, além de chipa, Sopa Paraguaia, coxinha feita com massa de mandioca, entre outros salgados populares produzidos pelo casal.

Na vizinhança, a padaria que já existia, também teve que entrar na “onda” do R$ 1,00 para não perder cliente. Em um cartaz em frente à concorrência, que fica do outro lado da rua, é anunciada a venda de 4 mini salgados pelo mesmo preço, e um copo de suco de laranja acompanhando.

Segundo Jerson, ter aberto uma lanchonete na frente da padaria não foi problema, pois os salgados são diferentes, e até ele é cliente do outro comércio. “O sol é pra todos, dá pra todo mundo trabalhar”.

A lanchonete fica aberta das 7 horas ao meio-dia. Volta a funcionar a partir das 13h30, e fecha às 19h30.

Lanchonete vende salgado a R$ 1,00. (Foto: Marcelo Victor)Lanchonete vende salgado a R$ 1,00. (Foto: Marcelo Victor)



Virei cliente de carteirinha, pois os salgados além de serem baratos, são muito bons. Enroladinho é divino e o quibe então... Tá doido... Muito bom. Parabéns!!!
 
Juliano Salles em 04/04/2014 18:40:18
A ideia foi ótima, os salgados então, nem se fala,muito bom.
 
Bruno Ferrari Dias em 04/04/2014 10:00:36
Sucesso nesse novo empreendimento! Qualquer hora passamos aí para comer uns salgadinhos!
 
Oliver Barbosa em 04/04/2014 08:05:36
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.