A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

01/05/2016 08:25

Com sistema simples é possível criar peixes junto com a horta dentro de casa

Naiane Mesquita
Curso aconteceu na tarde de ontem em Campo Grande (Foto: Alcides Neto)Curso aconteceu na tarde de ontem em Campo Grande (Foto: Alcides Neto)

Na teoria, o sistema de aquapônia é fácil de ser compreendido. Em um tanque são criados os peixes, que soltam seus dejetos na água. Um mecanismo faz a limpeza dessa água, que é usada para irrigar as plantas. Esse mesmo adubo líquido é filtrado pela planta e retorna aos peixes. O reaproveitamento é quase total, possibilitando uma horta livre de agrotóxicos ou qualquer tipo de adubo artificial.

Veja Mais
Traços da nossa arquitetura, desde o “Gabinete Téchnico de Desenho" na Calógeras
Casa de madeira mantém as lembranças de 92 anos de dona Nazira na 14 de Julho

Dependendo da forma como é organizado, o sistema também serve de decoraçãoDependendo da forma como é organizado, o sistema também serve de decoração
Com sistema simples é possível criar peixes junto com a horta dentro de casa

Os entusiastas da técnica defendem que o grande charme da aquapônia é a economia e a sustentabilidade. O funcionário público Gilberto Haranaka, 32 anos, afirma que começou o cultivo como hobby e hoje até traz cursos sobre o tema para a Capital.

“Trouxemos o Claudio Alfara, que é um especialista do assunto para apresentar. Vieram pessoas que se interessam pela criação de peixes, de horta e até uma designer de interiores. Dependendo do material que você usa pode ser agregado a decoração do ambiente”, afirma.

O engenheiro eletricista Leandro Ramos Lauretti, 36 anos, ajudou a viabilizar a vinda do curso e a criação da página Aquapônia MS, que dá dicas para quem deseja se aventurar pelo tema.

“A técnica é uma junção da piscicultura e da hidroponia. Ensinamos aqui a fazer em baixa escola, em casa mesmo, com pouco espaço. Você coloca os peixes em tanque, com sistema fechado e uma bomba de água. Essa bomba retira a água suja de dejetos e joga nas plantas, que filtram e devolvem limpas para os peixes”, descreve.

O sistema de aquapônia na casa de Gilberto (Foto: Divulgação)O sistema de aquapônia na casa de Gilberto (Foto: Divulgação)

Uma das formas de não “afogar” as plantas é utilizar uma bomba que nivela a água. “Ela é chamada de maré, quando chega em um certo nível a água para de ser bombeada para as plantas e elas tem o tempo para filtrar os dejetos, da água limpa, que chega até os peixes novamente. Mas, há outras técnicas”, reforça Leandro.

Na casa de Gilberto, ele utilizou caixas de madeira forradas com lona para a instalação do tanque e das plantas. “Usei material reciclado, em média R$ 250,00 para fazer tudo. A horta de casa é para consumo próprio. Da para plantar de tudo, como alface, hortelã, pimenta, maracuja, manjericão, alecrim e orégano”, descreve.

As plantas hidropônicas costumam ser mais macias que as convencionais. Gilberto explica que isso se dá aos nutrientes que elas recebem 24 horas por dia. “Ela tem uma irrigação o dia todo”, justifica.

Além da madeira, é possível usar caixa d'água ou organizadoras, daquelas que vendem em mercado mesmo. “O Cláudio está mostrando como fazer com caixa organizadora. Mas, você pode tentar outras possibilidades. A água ainda pode ser usada em outras plantas, convencionais mesmo, como adubo. Eu faço isso”, indica Gilberto.

Os peixes também vai da escolha do criador. “Pode ser tilápia, cárpia. Qualquer animal de água, tem gente que usa até dejetos de jacaré”, ri.

Mais informações sobre a técnica na página da Aquapônia MS.

Já curtiu o Lado B?




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.