A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

29/01/2016 07:08

De presente, mãe ganha dos filhos reforma que deixou sala a cara da família

Paula Maciulevicius
Sala foi presente dos filhos para a mãe no novo apartamento. (Foto: Fernando Antunes)Sala foi presente dos filhos para a mãe no novo apartamento. (Foto: Fernando Antunes)

Os 21 m² da sala do antigo prédio da Cândido Mariano ficou a cara de quem mora e vive ali. Em três meses, o ambiente ganhou revestimento em uma das paredes, imitando tijolinho à vista, mas sem que fosse feita aquela sujeira. O projeto conservou a mesa de jantar que é herança de família e ainda misturou espelho veneziano junto à cômoda bombe que hospeda a charmosa bandeja de prata, presente de casamento de dona Ilda.

Veja Mais
Traços da nossa arquitetura, desde o “Gabinete Téchnico de Desenho" na Calógeras
Casa de madeira mantém as lembranças de 92 anos de dona Nazira na 14 de Julho

"Como foi um presente, eu deixei eles à vontade", conta a mãe, Ilda Menezes Palhares, de 59 anos. Dona Ilda e o marido moravam num apartamento maior, mas a medida em que os três filhos foram crescendo e se mudando, eles decidiram que o espaço podia ser um pouquinho menor. 

Por não saber dirigir, dona Ilda optou por um imóvel que fosse bem no Centro da cidade, para que ela pudesse fazer, o que fosse necessário, à pé.

Projeto trabalhou iluminação e revestimento de tijolinhos. (Foto: Fernando Antunes)Projeto trabalhou iluminação e revestimento de tijolinhos. (Foto: Fernando Antunes)

"Sendo esse apartamento antigo, eu e meu irmão resolvemos os presentear com a reforma", conta a filha, Milena Palhares Corrêa, de 35 anos. Junto da arquiteta, ela, o irmão e a mãe fizeram o grupo da reforma no WhatsApp, onde cada um dizia o que queria.

"Esse "presente" foi em forma de gratidão por todos os anos em eles cuidaram da gente", ressalta Milena. A ideia principal, a filha conta que já tinha mente, que era trabalhar com iluminação e gesso. "Mas o mais importante era que ela tivesse um espaço charmoso e aconchegante, onde pudesse receber familiares e amigos", completa a filha.

Da mãe, a única exigência foi a de não trocar a mesa de jantar, de madeira, com encosto de palhinha e estofado, que já está na família há mais de 40 anos. "Esse eu não deixei mexer, era da minha mãe", explica Ilda. Para esconder uma viga lateral que ficava evidente na sala, o projetou usou sanca de gesso com iluminação em fitas de LED e como um 'plus', a arquiteta Paula Magalhães colocou tijolinhos na parede onde fica a TV.

Parte preferida da filha, cômoda guarda bandeja de casamento. (Foto: Fernando Antunes)Parte preferida da filha, cômoda guarda bandeja de casamento. (Foto: Fernando Antunes)
Mesa de família, foi a única coisa que dona Ilda pediu para que ficasse. (Foto: Fernando Antunes)Mesa de família, foi a única coisa que dona Ilda pediu para que ficasse. (Foto: Fernando Antunes)

De início, a proposta rústica assustou um pouco a dona, mas depois de pronta a reforma, foi da parede que ela mais gostou. "Eu achei que ia ficar muito pesado, mas não. É só um revestimento e ela trabalhou bastante com o branco", descreve a dona.

A arquiteta projetou a reforma mantendo ao máximo as características da dona, trazidas para o ambiente através do mobiliário. "Os filhos queriam deixar aquela mesma cara da casa de mãe, então ficaram quadros que a filha já tinha, o sofá e a mesa que já eram dela", explica Paula.

A cômoda bombe preta serve como aparador e se tornou o cantinho mais especial, por reunir estilo e lembranças. "Ali está a bandeja que ela ganhou de casamento e que foi restaurada e mais as taças", diz a filha.

Revestimento não tem 1cm de espessura e não faz sujeira alguma para ser colocado. (Foto: Fernando Antunes)Revestimento não tem 1cm de espessura e não faz sujeira alguma para ser colocado. (Foto: Fernando Antunes)

Para revestir a parede, não foi necessário quebrar nada. Os tijolinhos à vista são revestimento e têm uma espessura de menos de 1cm. "Não precisou de massa corrida, nem nada. É ideal para apartamentos e qualquer reforma onde os donos estão na casa", aponta a arquiteta. A vantagem de fazer menos bagunça custa um pouco. Enquanto fazer uma parede de tijolinho sairia, em média, R$ 60,00 o metro quadrado, o revestimento é em torno de R$ 260.

O toque que ele trouxe à sala foi de deixar o ambiente mais quente e aconchegante. "Ali usamos argamassa, mas também tinha a opção de colocar silicone, que faz menos sujeira ainda. É só colar", explica Paula. Para dar uma clareada na sala, o revestimento não foi até o teto, só de encontro com a sanca, que esconde a tal viga existente na estrutura.

"Ali são vários sistemas de iluminação. Se quiserem assistir um filme, é só ligar alguns pontos que a luz fica mais 'calminha'", descreve a arquiteta. E para deixar a sala mais iluminada, também veio para dentro do projeto o lustre junto dos spots.

A mesa é o centro da sala e a arquiteta conta que ali não teve dificuldade alguma, porque a mesa é linda. "E faz parte da história da família. Eu fiz o projeto ao redor dela e tudo o que tinha lá, tentei fazer para não contrastar com a mesa", resume a arquiteta.

O móvel apenas passou por uma restauração e uma mão de verniz para que ficasse mais novo. "Defino que ali ficou uma sala sofisticada e ao mesmo tempo rústica e a cara deles. A mãe ficou muito feliz", ressalta Paula. O gasto médio na reforma foi de R$ 15 mil.

Curta o Lado B no Facebook.

Ventilador de palhinha e muito branco completam a casa. (Foto: Fernando Antunes)Ventilador de palhinha e muito branco completam a casa. (Foto: Fernando Antunes)



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.