A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

19/10/2016 08:01

Edifício histórico passa por reforma para voltar a ser hotel no Centro

Thailla Torres
Edíficio da década de 30 voltará a ser hotel. (Foto: Alcides Neto)Edíficio da década de 30 voltará a ser hotel. (Foto: Alcides Neto)

Após anos fechado, o Edifício José Abrão, construído na década de 1930, deve ser reativado no Centro de Campo Grande. O prédio do antigo Hotel Americano foi alugado pelos proprietários do Hotel Center Plaza, que fica ali pertinho, na Rua Cândido Mariano, e a ideia é reabrir aos hóspedes até o fim do ano.

Veja Mais
Traços da nossa arquitetura, desde o “Gabinete Téchnico de Desenho" na Calógeras
Casa de madeira mantém as lembranças de 92 anos de dona Nazira na 14 de Julho

Revestido de pó de mica, típico do estilo “art décor”, é o primeiro prédio de três andares da cidade. Chegou a ser reformado para receber consultórios odontológicos, mas a obra acabou embargada pela prefeitura e até então as salas dos dois andares continuavam fechadas. Agora, o que se vê são operários trocando vidraças e trabalhando até em fins de semana no local.

A família que alugou o prédio preferiu não dar entrevista até o hotel estar em pleno funcionamento e com todas as documentações em dia,o que indica que nem tudo está 100% para o projeto vingar desta vez.

Mesmo assim, a reforma está bem adiantada. No terceiro andar, quartos já estão prontos e a pintura em dia.

Já no segundo andar, trabalhadores finalizam a pintura, gesso e piso. Algumas janelas antigas também foram trocadas e deram lugar aos vidros temperados. O hotel irá atender com 29 quartos, restaurante, salão de festas e cozinha. 

Salão ainda vai receber gesso e terá piso restaurado. (Foto: Alcides Neto)Salão ainda vai receber gesso e terá piso restaurado. (Foto: Alcides Neto)
Pintura já está sendo finalizada. (Foto: Alcides Neto)Pintura já está sendo finalizada. (Foto: Alcides Neto)

O prédio nunca foi administrado pela família e sempre alugado. Dessa vez o contrato é de 8 anos.

A arquiteta Luciana Abrão, cunhada de um dos netos do construtor, fala que a herança finalmente vai ter um destino merecido. "Voltar a funcionar é muito importante, uma glória, porque ficou muito tempo fechado. É um prédio histórico que precisa ser utilizado", comenta.

Para manter a estrutura e as características, Luciana explica que o contrato deixa claro as regras de uso. "Não vai alterar em nada na fachada. Ela será revitalizada e só vão colocar para funcionar do lado de dentro, refazendo forro e pintura", esclarece.

A estrutura do hotel tem duas escadas, uma frontal e a outra lateral, que precisam ser adaptadas para receber um elevador e assim respeite as leis de acessibilidade e segurança.

O processo para o tombamento do prédio histórico está em trâmite, mas não é algo que a família veja com bons olhos. "O processo para tombamento não foi a gente que solicitou, inclusive, é algo que não beneficia em nada o prédio", diz a arquiteta.

Curta o Lado B no Facebook.




Parabéns pela iniciativa, se todos os pioneiros da cidade fossem assim o nosso patrimônio histórico estaria mais preservado.
 
marco em 20/10/2016 08:12:17
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.