A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

12/07/2016 06:05

Em 28 dias e pela metade do preço, formas de concreto erguem casa de 284m²

Paula Maciulevicius
A construção é como se fosse de lego ou quebra-cabeças, se pensar de um jeito lúdico e sai bem mais barato. (Foto: Alcides Neto)A construção é como se fosse de lego ou quebra-cabeças, se pensar de um jeito lúdico e sai bem mais barato. (Foto: Alcides Neto)

Quando o que vem sendo usado na construção de casas populares pula para a estrutura de residências de alto padrão, o custo é menor e o tempo para as paredes serem erguidas também, mesmo numa obra de grandes proporções. Em 28 dias, contados na ponta do lápis, uma casa de 284m² no Vilas Boas ganhou toda estrutura externa: foram levantadas paredes, platibanda e laje. E a promessa é de custo 50% menor do que a alvenaria convencional.

Veja Mais
Traços da nossa arquitetura, desde o “Gabinete Téchnico de Desenho" na Calógeras
Casa de madeira mantém as lembranças de 92 anos de dona Nazira na 14 de Julho

A arquiteta Priscila Kreisel explica que a ideia inicial dos donos não batia com o orçamento. "Eles queriam construir o máximo que podiam na obra, mas não dava para fazer do tamanho que eles queriam e da forma tradicional. Teríamos que diminuir". Foi então que se começou a estudar a construção em formas de concreto de usinagem. 

No cálculo do escritório, o valor para se erguer a estrutura da casa usando as formas era só a mão de obra, caso fosse feita de alvenaria. "Uma casa você constrói com R$ 1,8 mil a R$ 2,5 mil o metro quadrado de alvenaria. Usando as formas, com aluguel e concretagem, ficou por R$ 721 o metro quadrado", compara Cristiane Alves, designer de interiores do escritório e que também assina o projeto.

Etapa de concretar as formas. (Foto: Arquivo/D3 Arquitetura e Interiores)Etapa de concretar as formas. (Foto: Arquivo/D3 Arquitetura e Interiores)

As formas não são novidade na construção e chegam a ser usadas até em obras de córrego. No entanto, o diferente foi fazer numa casa mais chique. "Em 30 dias você tem uma casa levantada e retirada a forma perfeita. Como são formas, não tem o risco de uma ficar mais grossa que a outra, todas ficam com 10 centímetros cada", exemplifica Cristiane. O trabalho se divide entre três etapas: montagem, concretagem e retirada das formas.

A construção é como se fosse de lego ou quebra-cabeças, se pensar de um jeito lúdico. Antes da montagem, é feito o radier - parte elétrica e hidráulica da casa, para seguir com as formas. As profissionais explicam que na primeira etapa, é montado o corpo da casa com as formas em um processo de encaixe. "Uma peça é martelada na outra até alcançar a altura e o comprimento desejado formando a parede. É como um lego da vida real", explicam. As etapas são feitas por ambiente. Depois de montado, é despejado o concreto dentro das formas e dado o tempo de cura, elas são retiradas e as paredes estão prontas.

Todos os pontos elétricos e hidráulicos são marcados nas formas antes da concretagem o que facilita o serviço. "Montadas e travadas em concreto, depois de dois dias em média, já pode desenformar e pronto", resume Cristiane. Toda a parte elétrica, as profissionais explicam que já vem dentro do bloco.

Estrutura sendo feita a partir das formas. (Foto: Arquivo/D3 Arquitetura e Interiores)Estrutura sendo feita a partir das formas. (Foto: Arquivo/D3 Arquitetura e Interiores)

"É um kit que já vem dentro da forma, já mora ali. Então vem o concreto e compacta tudo do jeito que precisa, na altura e na largura de toda parte elétrica e hidráulica".

Na prática, as profissionais quase que desenham: "você coloca a forma de um lado e de outro, como de bolo e em cima, joga o concreto", descrevem. Locadas, as formas vem da fábrica moldadas nos tamanhos do projeto. "Uma janela por exemplo, fazemos assim: de um lado e de outro, e põe a esquadria. É como se fosse uma casa mágica", brinca a arquiteta Priscila.

Segundo a arquiteta, depois de pronto, o concreto dispensa a massa e pode pular direto para a pintura. A casa também possui termoacústica.

O estilo é o contemporâneo na fachada e por dentro, o projeto integrou ambientes justamente porque há um ponto negativo. "Tem um porém: eu não posso derrubar parede e nem abrir uma janela. Ela pode subir, ganhar andar, mas eu não posso tirar nada", revela Priscila.

A casa no Vilas Boas deve levar ainda quatro meses para ficar pronta por conta do acabamento e ainda assim, segundo o escritório, é a metade do tempo que se levaria apenas com a estrutura da construção de alvenaria. 

Tem um projeto bacana de arquitetura? Manda para a gente no Facebook do Lado B. 

Laje já instalada. (Foto: Arquivo/D3 Arquitetura e Interiores)Laje já instalada. (Foto: Arquivo/D3 Arquitetura e Interiores)
Imagem da fachada no projeto. (Foto: Arquivo/D3 Arquitetura e Interiores)Imagem da fachada no projeto. (Foto: Arquivo/D3 Arquitetura e Interiores)



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.