A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

04/07/2014 06:23

Em meio às mansões do Nasa Park, surge uma casa construída em container

Elverson Cardozo
Casa tem 70 m² de área útil. (Foto: Marcelo Victor)Casa tem 70 m² de área útil. (Foto: Marcelo Victor)

O Nasa Park, residencial de luxo que abriga mansões milionárias em Campo Grande, ganhou, este ano, uma casa de container. É a primeira deste tipo construída na cidade. Pertence ao dono do empreendimento, Alexandre Abreu, de 44 anos.

Veja Mais
Com filmes não revelados da década de 1950, frei tenta criar museu em mosteiro
Traços da nossa arquitetura, desde o “Gabinete Téchnico de Desenho" na Calógeras

O projeto, assinado pelo arquiteto Celso Costa Filho, agradou tanto que, pelo jeito, depertou o interesse de outros moradores. “Tem gente me procurando”, conta o profissional, primeiro a trazer o conceito para Mato Grosso do Sul.

No Brasil, ainda é novidade, mas na Europa, por exemplo, esse tipo de trabalhou já conquistou o público mais exigente. Alexandre queria um espaço tranquilo para receber clientes e amigos, aproveitar a paisagem verde, o lago que fica na área, o nascer e o pôr-do-sol.

Alexandre queria um espaço para receber os amigos e gostou do resultado. (Foto: Marcelo Victor)Alexandre queria um espaço para receber os amigos e gostou do resultado. (Foto: Marcelo Victor)

Buscava algo relativamente pequeno, mas não uma “edícula” que destoasse da estética padrão no local. Conseguiu tudo isso e agora só tece elogios. “É um negócio bacana, diferente, de arquitetura moderna, mas tem que ser feito por um profissional”, orienta.

E é verdade. A casa de container oferece inúmeras vantagens, mas precisa ser bem feita. No projeto de Alexandre, Celso Costa fez, inclusive, um estudo de conforto ambiental, que permitiu dispensar o tratamento térmico e o ar condicionado.

O container de 30 toneladas, com 12.192 metros de comprimento por 2.438 de largura e 2.895 de altura, foi posicionado na sombra, em meio às arvores, e bem em frente ao lago. A localização favorece a iluminação natural e permite a chamada “ventilação cruzada”, de lado a lado.

A “embalagem”, como o arquiteto costuma comentar, está sobre toras de madeiras que eram, na verdade, postes. O distanciamento do chão é para manter o material 100% impermeabilizado. A “caixa” de aço, que serviu para transportar sacarias e peças de motocicletas, tem 30 m².

Arquiteto Celso Costa entregou obra em 2 meses. (Foto: Marcelo Victor)Arquiteto Celso Costa entregou obra em 2 meses. (Foto: Marcelo Victor)

Somada à varanda, com deck de madeira, churrasqueira e degraus com tijolinhos à vista e telhas americanas, são 70 m² de área útil. O interior é dividido entre a sala, cozinha, banheiro e quarto.

Não é nada muito grande, mas o suficiente para um solteiro e até mesmo um casal viver bem. As laterais e as divisões foram feitas com gesso acartonado, que elimina qualquer aparência de container.

O acabamento foi com piso laminado, pastilhas, portas e janelas de vidros temperados. Celso entregou a obra em 2 meses e cobrou R$ 95 mil pelo trabalho que inclui, além da casa, toda a mobília e decoração. Geralmente sai por R$ 80,00 (com um container). A diferença, neste caso, foi por conta dos materiais utilizados.

Alexandre gostou do resultado e pretende, inclusive, ampliar a residência, que recomenda a qualquer um. “Tudo o que sai do convencional, a gente tem dúvidas, fica receoso, mas tudo depende da forma como é feita. Quando ele me falou eu eu vi o trabalho, comprei a ideia na hora”, diz.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.