A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

06/05/2015 06:45

Grupo quer usar caixas de leite para acabar com as frestas e o frio em barracos

Elverson Cardozo
Ação em uma escola de Passo Fundo. (Foto: Divulgação)Ação em uma escola de Passo Fundo. (Foto: Divulgação)

Em Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, um projeto de confecção e aplicação de chapas térmicas feitas com caixas de leite, criado em 2009 pela química Maria Luisa Camozzato, ajuda famílias carentes a enfrentarem o frio, a chuva e o calor.

Veja Mais
Traços da nossa arquitetura, desde o “Gabinete Téchnico de Desenho" na Calógeras
Casa de madeira mantém as lembranças de 92 anos de dona Nazira na 14 de Julho

Essa iniciativa, batizada de “Brasil sem Frestas”, pode chegar a Campo Grande pelo trabalho da produtora cultural Dalila Saldanha, que “comprou” a ideia durante viagem ao Estado e, de volta à Capital, resolveu mobilizar voluntários para expandir a ação.

É tudo ainda uma ideia, mas que depende da adesão para vingar antes que a temperatura caia. Ela está em busca de doações de caixas de leite ou suco Tetra Pak. O material é reaproveitado para a confecção das placas, que são aplicadas nas frestas de casas ou barracos.

“Você emenda uma na outra e vai grampeando. Como são camadas de papel e alumínio, vira um isolante térmico, que protege da chuva, inseto, umidade e vento. […] Dá para colocar no forro, se for necessário, nas paredes e até no piso”.

Casa com várias frestas também recebeu revestimento. (Foto: Divulgação)Casa com várias frestas também recebeu revestimento. (Foto: Divulgação)

Dalila pretende por a mão na massa com mais duas amigas. A ideia é começar atendendo aldeias indígenas e regiões como da comunida Cidade de Deus que, nas palavras dela, está “a Deus dará”. “Depois fazemos um cadastro. No Sul foi assim”, conta.

Para atingir famílias interessadas, a produtora pretende ir às escolas e fazer o comunicado a alunos e professores. Confiante, ela acredita que o projeto pode, de fato, dar certo na cidade.

Em Passo Fundo, pelo menos, é sucesso, com mais de 80 casas atendidas e cerca de 100 mil embalagens recicladas, segundo os últimos dados divulgados.

Em 2013, a iniciativa ganhou o segundo lugar no Green Project Awards Brasil, na categoria Mobilização. O prêmio incentiva boas práticas de sustentabilidade que geram o equilíbrio entre o meio ambiente, o social e o econômico.

O “Brasil sem Frestas” se encaixa nessas características porque promove a saúde pública por meio da reciclagem. E isso, na prática, é feito da maneira mais simples possível: gastando pouco e com a vantagem de retirar da natureza um produto cuja durabilidade é de mais de 100 anos.

Dalila arrecadou até agora aproximadamente 150 embalagens. Ela estima que, com 300, consegue revestir uma parede pequena. Para ajudar, ligue (67) 8109-7111 ou 9161-1555. Para saber mais do projeto, clique aqui.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.