A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

30/12/2015 10:43

Máquina derruba paisagismo de uma das fachadas mais glamourosas da cidade

Naiane Mesquita
Valley Tai na inauguração, ainda com seu grande jardim com coqueiros (Foto: Arquivo Campo Grande News)Valley Tai na inauguração, ainda com seu grande jardim com coqueiros (Foto: Arquivo Campo Grande News)

A Valley Tai perdeu parte do glamour nesta semana. Após ser notificada pela Prefeitura de Campo Grande, o local teve cerca de 30 coqueiros retirados da fachada, reduzindo o jardim a uma mera faixa de grama na entrada.

Veja Mais
Com filmes não revelados da década de 1950, frei tenta criar museu em mosteiro
Traços da nossa arquitetura, desde o “Gabinete Téchnico de Desenho" na Calógeras

Foto mostra as mudanças na fachada, para a readequação da entrada da Valley TaiFoto mostra as mudanças na fachada, para a readequação da entrada da Valley Tai

De acordo com o proprietário da Valley Tai, Sérgio Longo, a empresa foi notificada na segunda-feira e no mesmo dia iniciou as mudanças estruturais, sob risco de pagar multa.

“Eles exigiram que tenha cinco metros de calçada, da rua até a entrada de casa. Tivemos que desmanchar todo o jardim para atender as alterações”, afirma.

Além das palmeiras, Sérgio ressalta que o paisagismo tinha plantas de outras espécies e que o prejuízo ainda não foi estimado.

“Vamos ter que refazer, plantar grama, mexer na calçada. Não teve jeito de negociar. Foi uma pena porque o projeto concorre a prêmios e ainda será publicado em duas revistas nacionais neste final de ano. Viramos um cartão postal de Campo Grande”, defende.

Sérgio ainda frisa que o projeto respeitava as leis de acessibilidade, com rampa para cadeirantes e piso tátil.

“Nós achávamos que a calçada estava toda adequada, não havia nenhum obstáculo, mas se a prefeitura acredita que existe a irregularidade. Infelizmente não tem o que fazer, eu entendo dessa forma, mas acho que essa cobrança deveria ser para todos da Afonso Pena, nem todos os lugares tem cinco metros de calçada”, acredita.

No Instagram, o arquiteto Luis Pedro Scalise, responsável pelo projeto, afirmou estar "indignado" com a decisão.

Procurado pelo Lado B, ele não retornou as ligações.

Curta o Lado B no Facebook!




COMO SEMPRE A PREFEITURA ATRAPALHANDO OS COMERCIANTES,DUVIDO SE TIVESSE UMA LEI QUE AUTORIZASSE A PREFEITURA COBRAR IMPOSTO SOBRE ESSA PAISAGEM SE ELES PEDIRIAM PARA RETIRAR,NÃO SOMOS DONOS DE NADA, MAS SIM DO GOVERNO.
 
paulista em 30/12/2015 16:47:48
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.