A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

20/11/2015 06:24

Projeto veio de Gramado e chalé da década de 90 tem jeito suíço no Jd. Veraneio

Paula Maciulevicius
Cercado de verde, a cor contrasta com a madeira do chalé. (Foto: Fernando Antunes)Cercado de verde, a cor contrasta com a madeira do chalé. (Foto: Fernando Antunes)

Inspirado na arquitetura das casinhas da Europa, todo de madeira, o chalé construído no final dos anos 90 tem o gosto do dono, casado com o estilo da esposa. Ele é gaúcho do sotaque cantado e ela sul-mato-grossense de fazenda. A casa foi erguida para eles morarem, quando ali só ecoava a voz do casal. Localizado no Jardim Veraneio, a chácara agora é dentro da cidade, mas mantém o ar do campo.

Veja Mais
Com filmes não revelados da década de 1950, frei tenta criar museu em mosteiro
Traços da nossa arquitetura, desde o “Gabinete Téchnico de Desenho" na Calógeras

Cercado de verde, a cor contrasta com a madeira do chalé. Os 255m² não foram projetados como chalé suíço, nome e característica hoje atribuídos, e sim como uma mera casa de chácara. "Eu gosto muito de chalé e claro, tinha que ser de madeira", diz o dono, médico Artenio Richter. Eles trouxeram o projeto de uma empresa de Gramado, no Rio Grande do Sul, para ser executado aqui.

Por dentro, o chalé tem uma sala ampla e uma charmosa escadaria que compõem o cenário romântico pelo lustre. A madeira veio cortada de acordo com a necessidade da planta. O diferencial está no alicerce, que de tão profundo, despertou curiosidade do casal à época, que chegou a perguntar se a base era para se erguer um edifício. "É uma fundação bem feita para não dar rachaduras", ouviu Richter sobre a explicação. É pelo sobrenome que o dono, de família alemã, é conhecido.

Por dentro, sala ampla e escada charmosa compõem cenário romântico com lustre. (Foto: Fernando Antunes)Por dentro, sala ampla e escada charmosa compõem cenário romântico com lustre. (Foto: Fernando Antunes)
Sala virou aconchego das noivas nos últimos preparativos. (Foto: Fernando Antunes)Sala virou aconchego das noivas nos últimos preparativos. (Foto: Fernando Antunes)
Escadaria leva para os quartos, tanto dele como dela. (Foto: Fernando Antunes)Escadaria leva para os quartos, tanto dele como dela. (Foto: Fernando Antunes)

No primeiro piso está um quarto, cozinha e sala. Os degraus levam a duas suítes maiores, que dão vista para o verde do jardim. Construído em um ano, a casa foi moradia da família por seis, mas por conta do trabalho do dono, eles voltaram para a cidade.

Arborizado, o chalé tem sombra fresca e uma brisa que não se sente na cidade. Durante os anos, se tornou hábito do casal receber amigos e familiares ali. Foi quando a necessidade bateu à porta e eles sentiram que era preciso criar um espaço um pouco maior.

"E já que ele tem um estilo europeu, vamos criar um estilo sul-mato-grossense, aí fizemos a churrasqueira, a piscina e as varandas", descreve a esposa, Eliane Richter. "O que não faltou foi bom gosto e juntar o meu estilo com o e dele", completa.

Por onde se olha, se enxerga árvores e plantas, tem angico do sul dentro e fora do salão e também na versão cerrado. "A primeira coisa que se faz aqui no Estado é pegar uma área e querer desmatar tudo. E isso que me encantou, o Richter não deixou desmatar nada. Ele tentou fazer de um jeito que só tinha que desmatar esse meio, para a casa", conta Eliane.

Vista da sacada para o verde e quem sabe, para uma cerimônia. (Foto: Fernando Antunes)Vista da sacada para o verde e quem sabe, para uma cerimônia. (Foto: Fernando Antunes)
Hoje quarto é destinado às noivas. (Foto: Fernando Antunes)Hoje quarto é destinado às noivas. (Foto: Fernando Antunes)
Eles também têm vez, se quiserem. (Foto: Fernando Antunes)Eles também têm vez, se quiserem. (Foto: Fernando Antunes)
Arborizado, o chalé tem sombra fresca e uma brisa que não se sente na cidade. (Foto: Fernando Antunes)Arborizado, o chalé tem sombra fresca e uma brisa que não se sente na cidade. (Foto: Fernando Antunes)
Ele é gaúcho do sotaque cantado e ela sul-mato-grossense de fazenda. (Foto: Fernando Antunes)Ele é gaúcho do sotaque cantado e ela sul-mato-grossense de fazenda. (Foto: Fernando Antunes)

Com o tempo, os amigos foram pedindo para que o espaço abrisse as portas para festas. Por último veio o estalo, por que não transformá-lo em local para casamentos? "Inicialmente eu não tinha pensado nisso, mas aí a ideia foi amadurecendo", narra Eliane.

Para os eventos, o casal emendou as duas varandas transformando o espaço em três salões. O principal tem 400m² e juntos, eles podem receber até 300 convidados. O que era só casa virou espaço para as noivas. "Aqui é o cantinho delas, deixo para se arrumarem e comerem, é o momento delas", diz a dona sobre o chalé.

No quarto da noiva, a vista da janela pode trazer tranquilidade e uma espiadinha sem que ninguém a veja, sobre a decoração. "Ela olha e ninguém vê. É tudo lindo e fica muito romântico mesmo", afirma Eliane.

Charmosa, de casa de campo, o chalé passou a ser cenário de casamentos, mas sem perder o estilo do casal. "Ele é um pouco decorado, mas quem contrata traz a decoração que preferir, coloca pergolados. Minha parte preferida? É todo o chalé", resume Richter.

"E o meu é esse: simples, aquilo de fazenda, de se cozinhar em fogão caipira. A gente mora na cidade, mas sente que está na fazenda", completa Eliane. 

Eliane exibe fotos das festas que sedia no chalé no Facebook. Na avaliação dela, quem escolhe o local para ser altar no grande dia é porque quer a natureza, o seu verde e o por-do-sol sobre o chalé suiço. 

Curta o Lado B no Facebook.

Salão principal tem 400m². (Foto: Fernando Antunes)Salão principal tem 400m². (Foto: Fernando Antunes)
Por dentro, angicos do sul mantiveram raiz. (Foto: Fernando Antunes)Por dentro, angicos do sul mantiveram raiz. (Foto: Fernando Antunes)
De fora, piscina e ar de varanda traz MS para dentro da arquitetura gaúcha. (Foto: Fernando Antunes)De fora, piscina e ar de varanda traz MS para dentro da arquitetura gaúcha. (Foto: Fernando Antunes)
Inspirado na arquitetura das casinhas do Sul, todo de madeira, o chalé construído no final dos anos 90. (Foto: Fernando Antunes)Inspirado na arquitetura das casinhas do Sul, todo de madeira, o chalé construído no final dos anos 90. (Foto: Fernando Antunes)



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.