A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

07/05/2014 11:36

Psicóloga, que também é designer, ensina como gostar da própria casa

Elverson Cardozo
Palestra de Terapia da Casa no RJ. (Foto: Divulgação)Palestra de Terapia da Casa no RJ. (Foto: Divulgação)

Foi trabalhando com psicologia organizacional, na UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro), na área de saúde do trabalho e qualidade de vida, que a psicóloga e designer de ambientes Vera Pedrosa viu a necessidade de discutir sobre “Terapia da Casa”, palestra que, agora, ela apresenta em Campo Grande, onde está morando há 1 ano.

Veja Mais
Com filmes não revelados da década de 1950, frei tenta criar museu em mosteiro
Traços da nossa arquitetura, desde o “Gabinete Téchnico de Desenho" na Calógeras

Em uma leitura rápida, só pelo tema, fica difícil descobrir o objetivo real do encontro, mas o trabalho abrange as duas profissões de Vera. “Pode parecer meio utópico, mas é sobre decoração e psicologia. Vou falar da felicidade na casa. Muitas pessoas se aborrecem, saem, batem a porta quando, na verdade, deveria ter a casa como o melhor lugar para se sentir bem", disse.

A parte psicológica foca em conceitos como esse e em uma análise das relações das pessoas com os espaços onde habitam e trabalham. Se prende, portanto, a questionamentos do tipo: que emoções determinados espaços causam?

O design, por outro lado, abre discussão da “decoração que faz bem”, aquela, nas palavras dela, transforma os ambientes em fontes de segurança, saúde, conforto, funcionalidade, beleza, harmonia, integração e felicidade.

Vera é psicóloga, mas também trabalha como designer de ambientes. (Foto: Divulgação)Vera é psicóloga, mas também trabalha como designer de ambientes. (Foto: Divulgação)

“Sua casa tem que ser boa para você para seus amigos. Muita gente visita os outros, mas não convida ninguém para casa porque não se sente bem. O espaço não atende suas necessidades internas”, explica. Isso significa que um móvel ou um simples objeto de decoração, posto no lugar errado ou contra vontade, pode afetar o psicológico do morador.

“Por exemplo: Recém-casados. A mulher ganhou da tia do noivo, alguém que não gosta, um objeto. Ela odiou, mas, porque é parente, se vê obrigada a colocar em algum canto. Ela vai se sentir mal no lugar. Mesma coisa são as coisas que trazem lembranças”, esclarece.

A boa notícia é que o mal estar, dentro da própria casa, pode ser eliminado com mudanças simples. Valorizar as cores e optar pelo tom que mais se identifica é uma das dicas, assim como dar atenção aos cômodos que, na visão da psicóloga, são essenciais, como o hall de entrada.

“É um espaço de transição entre a rua e sua casa. É onde você se livra de algumas coisas... coloca seu guarda-chuva molhado, tira seus sapatos e entra mais leve”, exemplifica.

Serviço – A palestra “Terapia da Casa” será realizada no dia 21 de maio, das 18h às 20h, no Hotel Concord, que fica na Avenida Calógeras, 1624, no centro. Convites, no local, serão vendidos a R$ 45,00. Inscrições antecipadas podem ser feitas pelo telefone (67) 9999-0211 ou pelo email terapiadacasa@terra.com.br.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.