A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

29/01/2015 06:23

Sai o concreto, entra o verde e em 2 meses casa ganha fachada contemporânea

Paula Maciulevicius
Fachada ganha ar contemporâneo sem tanta interferência na estrutura. (Foto: Kemily Onça)Fachada ganha ar contemporâneo sem tanta interferência na estrutura. (Foto: Kemily Onça)

A reforma trouxe mais vida à casa no Centro da cidade quando o concreto saiu dando lugar ao verde do jardim. Em dois meses, o projeto trabalhou na parte ociosa da frente do imóvel para dar uma linguagem mais contemporânea à fachada, sem necessariamente mexer na estrutura e nem gastar demais.

Veja Mais
Traços da nossa arquitetura, desde o “Gabinete Téchnico de Desenho" na Calógeras
Casa de madeira mantém as lembranças de 92 anos de dona Nazira na 14 de Julho

O pedido da família à arquiteta e pós-graduanda em Arquitetura e Construção Sustentáveis, Kemily Onça, responsável pela obra, foi de fazer uma área verde na frente da casa.

Como arquiteta, Kemily explica que costuma trabalhar o máximo de área verde, às vezes muito mais do que a legislação municipal pede, que geralmente é de 12,5% do total do lote. "Atendi o pedido de pronto e colocamos o verde e um pergolado, assim a casa ganhou uma área de lazer a mais", descreve a arquiteta. 

No antes, fachada não tinha conforto térmico e nem acústico. (Foto: Kemily Onça)No "antes", fachada não tinha conforto térmico e nem acústico. (Foto: Kemily Onça)
Jardim trouxe mais vida à casa, além do benefício estético. (Foto: Kemily Onça)Jardim trouxe mais vida à casa, além do benefício estético. (Foto: Kemily Onça)

O paisagismo nesse caso foi extremamente simples. Kemily conta que reaproveitou quase todas as plantas que a dona da casa já tinha com exceção da grama e das murtas que foram colocadas próximo ao gradil.

"O trabalho de paisagismo foi bem rápido, em menos de de uma semana estava pronto, a parte mais demorada ficou em torno da retirada do antigo piso, que aconteceu juntamente com reforma da fachada", explica.

Na prática, as áreas verdes ajudam na questão de conforto térmico porque amenizam a temperatura. "E na questão de conforto acústico também, pois a vegetação pode funcionar como barreira de ruídos, além do beneficio estético, que desse não temos dúvidas", completa.

O gasto médio para retirar o piso e plantar o jardim neste caso, foi de R$ 2 mil, entre mão de obra e plantas, sem contar o pergolado.

Em dois meses, junto da reforma da fachada, piso saiu. (Foto: Kemily Onça)Em dois meses, junto da reforma da fachada, piso saiu. (Foto: Kemily Onça)
Para montar o jardim, arquiteta reaproveitou plantas da casa e instalou pergolado. (Foto: Kemily Onça)Para montar o jardim, arquiteta reaproveitou plantas da casa e instalou pergolado. (Foto: Kemily Onça)



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.