A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

23/08/2011 08:45

Casa Cor MS mostra a partir do dia 2 a tecnologia para viver bem e preservar

Ângela Kempfer
No piso, Ecoblock feito de sacolas plásticas e fraldas descartáveis. (Foto: João Garrigó)No piso, Ecoblock feito de sacolas plásticas e fraldas descartáveis. (Foto: João Garrigó)

Na semana passada, uma pequena multidão de operários e arquitetos ainda se dividia entre os ambientes da Casa Cor Mato Grosso do Sul, lembram os organizadores. Faltando seis dias para fim do prazo de execução, o número de profissionais é bem menor, a fachada ganha grandes toras de madeira e a estimativa é de que apenas 10% do projeto total ainda esteja pendente.

A porta principal, de 4 metros de altura, ainda precisa de acabamento, assim como a maioria dos 34 ambientes espalhados pelo imóvel de 10 mil metros quadrados, na Chácara Cachoeira, que pertence ao médico Mafuci Kadri.

Tudo tem de estar pronto e limpo para a apresentação à imprensa e aos jurados no dia 30. Ao público, a abertura será no dia 2 de setembro que em 2011 trabalha o tema "Dia a Dia com Tecnologia".

Por enquanto, a visita pela mostra de arquitetura revela mais as intenções do que os resultados. Com alguns dos ambientes lacrados, outros ainda sem iluminação instalada e apenas poucos concluídos e abertos aos olhos dos primeiros curiosos, a palavra que vem à cabeça é “sofisticação”.

Ao contrário da primeira edição, em 2009, a área externa apresenta menos surpresas do que promete o interior. O paisagismo não chama a mesma atenção da primeira mostra realizada em Campo Grande.

Torneiras não aparecem em ambiente executado por garotos de programa social. (Foto: João Garrigó)Torneiras não aparecem em ambiente executado por garotos de programa social. (Foto: João Garrigó)
No lugar de tecidos, este ano a Casa Cor investe em tintas e texturas. (Foto: João Garrigó)No lugar de tecidos, este ano a Casa Cor investe em tintas e texturas. (Foto: João Garrigó)

O traçado original da piscina foi preservado, mas com um Café integrado, proposta de Ariadne Gonçalves, Bia Meneghini, Erica Nantes e Catia Silene

Ainda no jardim, há o espaço Gourmet, que já mostra os exemplos de materiais ambientalmente corretos. O deck de entrada é feito com Ecoblock, madeira biossintética. “É formada 70% por sacolinhas plásticas e usa até fraldas descartáveis que não passaram pelo teste de qualidade das fábricas”, explica o decorador de interiores Hézio de Paula.

O plástico também é visto no teto de um dos lavabos, mas como ornamento na fenda aberta no detalhe de gesso.

O Bar Cultural, que vai reunir informações sobre o evento, teve paredes levantadas com tijolos de demolição, respeitando as curvas de uma árvore que entra pelo prédio.

O SPA terá cascatas e torneiras “invisíveis”, acionadas por sensores. Até os sanitários têm descargas automáticas para evitar o desperdício no projeto da arquiteta Kamylle Versette, que custaria mais de R$ 60 mil a quem quisesse copiar. O espaço tem como charme a participação de meninos que aprenderam o ofício da marcenaria no projeto Pau-Brasil.

Ambiente requintado, uma das marcas da mostra.Ambiente requintado, uma das marcas da mostra.
Quarto de banho da 3ª Idade.Quarto de banho da 3ª Idade.

O quarto especial para a terceira idade tem banheira adaptada, um dos diferenciais da mostra.

A sala de banho do rapaz, projetada pelas arquitetas Paula Orsi e Kamala Escalante, é maior do que o quarto, tem uma grande mesa, armários e estampa dos Beatles e Rolling Stones nas paredes.

Pelos cômodos, há painéis de led, projetor no quarto, iluminação inteligente. São muitos os espelhos, mas o tecido - tão visto nas paredes da edição passada, agora têm as cores de uma das 3 marcas patrocinadoras oficiais do evento.

Na edição de 2011, o maior ambiente montado é o Exuberância Tropical, um jardim entorno da piscina, com 692 metros quadrados.

Em relação ao número de ambientes, o espaço caiu quase pela metade em relação aos 62 criados em 2009. A diretora da Casa Cor MS, Emili Ayoub Giglio, avalia como o amadurecimento do mercado. "Na primeira edição a expectativaera muito grande, todo mundo queria participar. Agora, ficou quem conseguiu se firmar no mercado nos últimos 2 anos".

No entanto, ela lembra que 30% dos arquitetos na edição 2011 são estreantes no evento. “A Casa Cor valoriza o arquiteto, mas também forma a mão-de-obra, porque todos os lançamentos estão aqui e a indústria manda profissionais para dar o treinamento”.

Na primeira edição, a Casa Cor MS em 2009 reuniu cerca de 23 mil visitantes.

A mostra começa dia 2 de setembro e segue até o dia 19 de outubro, com visitação de terça a domingo, das 16 às 22 horas, na rua Abdul Kadri, 104. O ingresso custará R$ 20,00.

Paisagismo em jardim de mansão escolhida para a mostra.Paisagismo em jardim de mansão escolhida para a mostra.



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.