A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

04/09/2012 15:08

Primeira casa de alvenaria da Vila dos Ferroviários vai passar por reforma

Elverson Cardozo e Nadyenka Castro
Reforma da primeira casa de alvenaria da Vila dos Ferroviários vai custar 295 mil.(Foto: Minamar Junior)Reforma da primeira casa de alvenaria da Vila dos Ferroviários vai custar 295 mil.(Foto: Minamar Junior)

A primeira casa de alvenaria construída na Vila dos Ferroviários, em Campo Grande, vai passar por reforma em caráter emergencial. Serão necessários R$ 295 mil para devolver ao imóvel, que hoje está quase caindo, as características originais da época em que foi construído.

Veja Mais
Traços da nossa arquitetura, desde o “Gabinete Téchnico de Desenho" na Calógeras
Casa de madeira mantém as lembranças de 92 anos de dona Nazira na 14 de Julho

Segundo o superintende do Iphan (Instituto de Patrimônio Histórico Nacional), André Luiz Richard, o órgão já tem os recursos necessários para a obra. O investimento veio da União.

A empresa contratada para fazer o projeto de restauração tem 3 meses para entregar o trabalho, mas já se passaram 30 dias. Só o projeto custou R$ 45 mil.

Segundo o Iphan, a casa - que fica na Rua dos Ferroviários, abaixo da avenida Mato Grosso - foi construída para abrigar engenheiros que trabalharam na construção da EFNOB/RFFSA (Estrada de Ferro Noroeste do Brasil/Rede Ferroviária Federal S.A.).

"É uma das casas mais bem preservadas no ponto de vista das características originais", destacou André Luiz.

História - O dono é um maquinista aposentado que trabalhou na linha férrea por 14 anos. Jovenízio Ramão Nazareth, de 59 anos, lembra que comprou o imóvel em um leilão e nunca alterou nada.

“O que eu ouvi dizer era que aqui seria a primeira casa construída para um chefe de distrito em Campo Grande”. Já se passaram 16 anos e a casa continua em pé, resistindo ao tempo, mas os problemas na estrutura, parte hidráulica e elétrica, começaram a preocupar.

Há cerca de dois meses a residência foi ancorada com vigas para não cair ou ceder às rachaduras espalhadas pela maior parte dos cômodos. “Tenho medo de cair na nossa cabeça”, disse. “Ela está pendendo para a direita”, acrescentou.

“Legal seria se o trem tivesse passando aqui ainda”, diz o aposentando Jovenízio Ramão, que mora no imóvel há 16 anos. (Foto: Minamar Junior)“Legal seria se o trem tivesse passando aqui ainda”, diz o aposentando Jovenízio Ramão, que mora no imóvel há 16 anos. (Foto: Minamar Junior)

O aposentando mora com a esposa, filho, sogra e um neto, que dividem 1 mil metros de área e as 8 peças.

Jovenízio Ramão está feliz com a notícia da reforma, mas gostaria mesmo é de voltar no tempo. “Legal seria se o trem tivesse passando aqui ainda”, disse.

O imóvel, comentou, precisa ser restaurado porque carrega parte da história de Campo Grande e pode se tornar um cartão postal aos visitantes.

O vizinho, Gabriel Gomes de Sá, de 58 anos, concorda. Para o microempreendedor, o passado não pode ficar esquecido, ainda mais quando ele virou patrimônio histórico da cidade. “Amanhã ou depois vem os filhos que precisam saber como era”, argumentou.

A conservação do imóvel, tombado como patrimônio histórico, é obrigação do proprietário, mas o Iphan pode bancar a obra, mediante comprovação de falta de recursos financeiros. É o caso de Jovenízio, que começou a mexer na papelada há dois anos.




Poxa gastar 295 mil para reforma, com tantos problemas na educação e saúde.
 
kely gomes em 05/09/2012 08:13:33
o tombamento de patrimonio historico como a vila dos ferroviarios, é uma representaçao muito pequena da historia de um povo e uma cidade que muda diariamente sua arquitetura.
 
zilah da cruz em 05/09/2012 08:01:50
Orçamento da saúde é uma coisa, o da cultura é outra. O orçamento deve contemplar de forma adequada tanto a saúde como a cultura. Campo Grande não pode simplesmente virar as costas para sua história. O IPHAN esta fazendo a sua parte, parabéns..........
 
agricio araujo em 05/09/2012 01:42:36
Perder um patrimônio desses seria até pecado!
 
Adriano Dias em 04/09/2012 10:23:06
R$ 295.000,00 na reforma dessa casinha? Se tivéssemos médicos nos Postos de Saúde, Se os professores fossem bem remunerados.
 
Valter Antunes de Oliveira em 04/09/2012 10:10:14
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.