A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

26/04/2012 13:32

Sem bancos no Centro, jeito é ficar pouco ou sentar quase no chão

Ângela Kempfer
Erika e Marlon sentados na fachada, no horário do almoço, dividem espaço com Joaquim e o filho de 4 anos.  (Fotos: Minamar Júnior)Erika e Marlon sentados na fachada, no horário do almoço, dividem espaço com Joaquim e o filho de 4 anos. (Fotos: Minamar Júnior)

No vai e vem de pessoas pelo Centro de Campo Grande, o que se vê é gente cansada, escorada ou sentada nas fachadas das lojas. Não adianta rodar, não há bancos públicos nas ruas, em nenhuma delas.

Veja Mais
Com filmes não revelados da década de 1950, frei tenta criar museu em mosteiro
Traços da nossa arquitetura, desde o “Gabinete Téchnico de Desenho" na Calógeras

No alto, sentado tranquilamente em um fio da rede elétrica, o pássaro Urutau chega a dar inveja ao aposentado Isidoro Faustino, de 72 anos. “Ele está muito melhor que nós. É o único que consegue descansar neste Centro”, reclama.

De olho na ave, o mototáxista Marcelo Moraes conta que o Urutau está ali há 2 dias. Ele observa o bicho também sentado no único lugar disponível na rua 14 de Julho, mas em um banco que tem dono. “Nós compramos, assim como a TV”, explica sobre o ponto de mototáxi instalado na esquina com a Barão do Rio Branco.

Mesmo assim, até quem tem seu próprio banco não pode usufruir do conforto o dia todo. “Não conseguimos colocar cobertura. Sentar aqui antes da uma da tarde é impossível, é muito calor”, explica.

Marcelo confortável, no banco que tem dono.Marcelo confortável, no banco que tem dono.

Na loja de óculos, uma das atendentes é capaz de jurar que alguns entram só para aproveitar a cadeira. “Tem gente que diz que vai ver óculos, pede até água, mas depois de descansar um pouco, vaza”.

O comerciante Joaquim dos Santos veio de Água Clara para comprar um freezer em Campo Grande e depois de 3 horas rodando a cidade com a mulher e o filho de 4 anos acabou sentando na fachada de uma loja mesmo para o menino tomar sorvete. “Tem banco de ponto de ônibus, mas vive cheio. Centro é só para quem tem carro mesmo”, reclama.

Pode parecer coisa sem importância, assim como a falta de banheiros públicos (motivo de tantas reclamações já noticiadas). Mas quem conhece outras realidades sabe que o Centro poderia ser diferente se fosse preparado para acolher melhor, não só consumidor, mas quem trabalha por ali.

A sombra e água fresca, que poderiam vir dentro de um restaurante, não aparecem tão fácil. “A gente come e já vem um atendente pedir para levantar da mesa porque tem fila”, conta a vendedora Érika Militão.

As propostas para melhorar a região e deixar a cidade mais “bonitinha” é investir em bancos no projeto de revitalização do Centro.

As sugestões não são tantas, a maioria quer bancos nas calçadas, entre um parquímetro e outro já instalado pelas ruas. “Não ia atrapalhar o fluxo em nada”, diz a funcionária Amanda Peralta, que trabalha uma loja de produtos populares da Afonso Pena.

Urutau bem sentado na rede elétrica.Urutau bem sentado na rede elétrica.

A praça - Na hora do almoço, quem trabalha pelo Centro também tem de fazer hora praticamente sentado no chão.

É o caso de Marlon, que ao lado da amiga costuma esperar o tempo passar na fachada da farmácia. “Antes eu ficava na praça, mas como fechou para reforma, agora não tem lugar para descansar, então fico aqui”.

Para a aposentada Aurora Machado, de 72 anos, a praça reaberta não significaria muita coisa. “Vou ter de andar até lá para sentar?”, questiona no cruzamento da 14 com a Barão.

Com a filha de um ano nos braços, Joseane Nunes adoraria ver um banco pela frente, mas sem uma parada confortável, o jeito é ficar pouco tempo, “dar uma olhadinha e pegar o ônibus de volta pra casa ou ir para o shopping”, recomenda.

Cansada, a mãe Joseane Nunes já vai voltar para casa com a filha.Cansada, a mãe Joseane Nunes já vai voltar para casa com a filha.



jente vces estao delirando!!querendo bancos pra nós descansar !!!no centro !!isso é dificil se nessa cidade nao tem banco nem pra quem te nos pontos de onibus!!onde eu pego na esquina da queinze com a 13 nós ficamos no relento chuva e sol nao tem nada nem cobertura !!isso é uma vergonha
é o pnto do rouxinois executivo!!!cansei de tomar banho de chuva nao tem onde ficar !!nem toldo de loja tem!!!uf
 
audete giaretta montovani em 27/04/2012 08:20:55
Nas calçadas nao sei,mais seria uma boa no canteiro central onde havia estacionamentos,temos que dar uma volta enorme só para chegar do outro lado,poderia sim fazer corredores pelo mesmo.
 
Leticia Correa em 27/04/2012 07:48:34
Nossa, coisa mais dificil é ver um urutau!! que legal!
 
fernanda dorileu em 27/04/2012 07:38:32
Impressionante como as pessoas se contentam com pouco, acham que recebem favor. Acorda povo. A gente merece sim um centro bonito, com fachadas históricas recuperadas, verde, bons serviços, banheiros públicos e bancos para as pessoas sentarem e conversarem.
 
Joenir Trindade Costa em 26/04/2012 08:17:02
Pior é que não tem banco nem nas praças. é só andar por aí nos bairros para ver. Dizem que não tem por causa do vandalismo. assim fica fácil, né, não colocar porque acham que o vandalismo via depredar. Desculpa de gente que não tem competência para fiscalizar e educar a população. Quero ver colocar projetos nas praças para que as pessoas tenham gosto de frequentar e não pensem em depredar.
 
Jucineide Teodoro em 26/04/2012 08:08:43
Acho que a cidade realmente boa para o povo é aquela que acolhe. Não entendo como alguém pode achar besteira um assunto como esse. As cidades modelos tem bancos espalhados pelo centro. Qualidade de vida é tudo, inclusive ter onde descansar durante as compras. ATÉ POQUE SE NÃO FOR CONFORTÁVEL CADA VEZ MENOS GENTE VAI COMPRAR NO CENTRO.
 
Jânio Barbosa em 26/04/2012 08:03:32
Pagamos caro no IPTU e não percebemos melhorias no centro da cidade e tão pouco nos bairros. A prefeitura encontrará dinheiro para arrumar a camara municipal pra abrigar mais vereadores q serão eleitos para nao ajudar a população.
 
fabio lopes de souza em 26/04/2012 07:44:11
O poder publico tem coisas mais importantes,para fazer .Se as calçadas já não tem espaço imagina com bancos.Sou a favor que as praças tenha bancos agora as calçadas não.As empresas deveriam reservar um espaço para os funcionario descansarem.Se as praças estão destruidas é culpa da propria população,que nem jogar lixo no lixo são capazes...
 
Tatiane Antunes em 26/04/2012 07:21:50
Temos a solução para esse problema aqui mesmo em nossa cidade.Bancos de madeira plástica,ecologicamente corretos,que são resistentes ao sol,chuva e livres de manutenção atendendo ao pedido da população,e também lixeiras madeiraplasticabr@gmail.com
 
Everton Zanella em 26/04/2012 07:07:26
Com a nova fachada das lojas do centro, estão tirando a cobertura de frente das lojas e com isso acredito que muitas pessoas vão ir menos no centro. Em um dia como este chuvoso, como vai se fazer para se transitar abaixo de chuva? Tem que se pensar nisso.
 
Cida Barros em 26/04/2012 05:55:01
não tem jeito, o povo só sabe reclamar, se cuidassem de cidade e dos bairros o quanto reclamam CG seria um paraíso. é só dar uma volta por ai e ver quantas praças e quadras onde todos poderiam ter lazer estão todas acabadas por falta de zelo da própria população. não cuidam e ainda se acham no direito de exigir;lamentável.
 
edieverson dias em 26/04/2012 05:35:24
Como visível nos comentários, além da falta de bancos no centro, a falta de educação dos campograndenses é um problema sério.
 
marcela moranti em 26/04/2012 05:04:45
Realmente é lamentável a situação. Porém, logo um vereador terá a "ideia", criar uma lei obrigando os comerciantes a instalar bancos na frente de seus estabelecimentos, assim como lixeiras.
 
Rogério Piva em 26/04/2012 05:01:53
Caro Joaquim Dorneles, acha que o prefeito foi buscar onde as referências para o transporte urbano e vias rápidas da cidade? Em Curitiba! Citei apenas um belo exemplo de como o povo é tratado naquela cidade! Aliás, a educação lá é inegável! Campo Grande é a capital que escolhi morar! Seria hipócrita em não perceber os problemas que aqui tem! Se evidenciarmos, talvez o poder público acorde!
 
caciano lima em 26/04/2012 04:46:06
De vez em quando é necessário ir ao centro p/ fazer algo e geralmente as pessoas saem cedo de casa p/ não pegar fila, o jeito é aguardar em pé, por um bom tempo. Dica: olhe para céu, conte quantos quadradinhos tem a calçada para passar tempo, não beba muita água para não precisar ir banheiro ( aí você verá o que é passar sufoco, banheiro da praça Ary Coelho, nem pensar!) e leve um cadeira dobrável
 
kika Centurion em 26/04/2012 04:45:51
Que vergonha!!!
O político não quer o povo nas ruas, nas praças, nas escolas,
somente nas urnas votando.
Vai lá no TRE que voce é muito bem atendido, o seu título eleitoral sai na hora...
 
Nilda Conserva em 26/04/2012 04:27:59
Será que a gente pode nivelar a conversa por cima!? Nasci em CGr e apesar de ter morado fora, estou de volta a MINHA cidade natal, e aqui pode ser melhor sim!! Pagamos e caro nossos impostos, nosso ICMS é mais caro que de SP, nosso IPVA mas caro que o de SC... Podemos axigir sim, bancos, jardins, banheiros, bons asfaltos, monitoramento por câmeras e tudo mais! Acordem!
 
Luis Inacio em 26/04/2012 04:17:54
concordo com o amigo... se Curitiba é melhor, volte pra lá...tem mais...acabei de voltar de Cuiabá...nao entendo como aquela cidade ganhou para ser sede de copa do mundo...é ridiculo, nao tem aeroporto, ruas pequenas, cidade velha, CAMPO GRANDE EU TE AMO!!
 
Rodrigo Rocha em 26/04/2012 04:14:34
Ângela Kempfer, como é bom viver nesse seu mundo, onde não há problemas, ou o mais sério deles é a falta de bancos para sentar no centro.
 
João Henrique Albuquerque Gomes em 26/04/2012 03:58:20
Olá pessoal da administração municipal, se liga na parada, acho que Campo Grande é uma das únicas cidades do Brasil que não possui bancos públicos, isto porque, os poucos que ainda tinha, foram defenestrados com a revitalização da Av. Afonso Pena, da qual também, foram extirpadas todas as "travessias/passarelas" entre as duas "pistas"., tornando inviável a sua permanencia no centro.
 
Laucidio Ribeiro em 26/04/2012 03:34:03
Se em Curitiba é tão bom, volte para lá!! Não entendo, o MS nunca está bom para algumas pessoas, mas estas, pasmem, também nunca vão embora!!!
 
Joaquim Dorneles em 26/04/2012 03:09:16
Morei em Curitiba! Lá, em todas as várias praças, o que se observa é um respeito com o povo: vários bancos e banheiros públicos! Na rua das flores, tradicional calçadão, existem vários bancos e um paisagismo lindo para se observar! E aqui?!
 
caciano lima em 26/04/2012 02:32:32
infelizmente como campograndense que sou com muito orgulho muitos pagam pelo vandalismo de outros colocar banco no centtro não dou uma semana para estar todo estragado. È como a praça vive em reforma e após algumas semanas tudo estragado, culpa do poder público? sim e não, a população tambem pode cuida, não denuncia não respeita pode ter lixeira proximo joga no chão.
 
jane fernandes souza em 26/04/2012 02:22:23
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.