A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

09/03/2015 08:46

Aos 90 anos, morre em São Paulo Inezita Barroso, de insuficiência respiratória

Paula Maciulevicius
Inezita Barroso no programa 'Viola, Minha Viola, na TV Cultura. (Foto: Arquivo / G1 / José Patrício / Estadão Conteúdo)Inezita Barroso no programa 'Viola, Minha Viola, na TV Cultura. (Foto: Arquivo / G1 / José Patrício / Estadão Conteúdo)

Morreu na noite de domingo uma das mais antigas e importantes representantes da cultura e da música caipira: a cantora e apresentadora Inezita Barroso. Recém completados 90 anos, Inezita estava internada no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, desde o dia 19 de fevereiro. A causa da morte foi insuficiência respiratória aguda.

Veja Mais
Com bugrinhos de Conceição, galeria reúne arte de MS e área ainda atende eventos
Danielle Winits vive Marilyn Monroe em peça que estreia em janeiro na Capital

Apresentadora por 35 anos do programa Viola, Minha Viola, da TV Cultura, há três meses ela tinha sofrido uma queda da cama na casa da filha, em Campos do Jordão. Foi hospitalizada e logo liberada. Em 60 anos de carreira, Inezita lançou mais de 80 discos.

O velório está sendo realizado desde as 7h30 da manhã desta segunda, na Assembleia Legislativa de São Paulo. Aberto ao público, o enterro será às 17h, no cemitério Gethsêmani, no bairro do Morumbi.

O nome de batismo era 'Ignez Magdalena Aranha de Lima'. Filha de família tradicional paulistana, passou a infância cercada por influências musicais diversas, mas foi na fazenda da família, no interior paulista, que desenvolveu o amor pela música caipira e pelas tradições populares.

Formada em Biblioteconomia na USP (Universidade de São Paulo), Inezita foi uma grande pesquisadora da música caipira brasileira. Por conta própria, percorreu o interior do Brasil resgatando histórias e canções. Reconhecida por este trabalho, foi convidada a dar aulas sobre folclore em uma universidade paulista. Pelo seu trabalho como folclorista, e por ser uma enciclopédia viva da música caipira e do folclore nacional, recebeu o título de doutora Honoris Causa em Folclore pela Universidade de Lisboa.

O nome artístico foi criado aos 25 anos, quando ela juntou seu apelido de infância, Inezita, ao sobrenome do marido, Barroso. Inezita Barroso foi cantora, instrumentista, folclorista, atriz e professora. O pontapé da carreira foi aos 7 anos, quando começou a cantar e estudar violão. Depois, veio a viola e piano. Tomou gosto pelo universo rural já nos primeiros anos de sua vida e na adolescência realizou recitais e shows. Sua primeira gravação em disco foi realizada no ano de 1951 pela gravadora Sínter. A partir daí, Inezita gravou cerca de 100 discos.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.