A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

27/10/2013 07:55

Até dia 22 de novembro, mostra reúne os maiores artistas plásticos do Estado

Lado B
Obra de Wega Nery.Obra de Wega Nery.

Beto Lima, Henrique Spengler, Jorapimo, Lídia Baís, Óvini Rosmarinus, Paulo Rigotti, Vânia Pereira e Wega Nery já se foram. Hoje são memória das artes plásticas em Mato Grosso do Sul, mas continuam por aí, inspirando gerações de talentos em busca da entidade sul-mato-grossense.

Veja Mais
Poeta Ferreira Gullar morre aos 86 anos devido a problemas respiratórios
Com gorros de Papai Noel, artistas realizam performance contra calote de editais

Para trazer de volta a parte ainda viva desses artistas, a Fundação de Cultura abriu na semana que passou a exposição “In Memorian”, na Galeria do Memorial da Cultura, na avenida Fernando Corrêa da Costa, com entrada franca.

De Corumbá, Coxim, Campo Grande, Dourados ou de fora do Estado, o grupo de artistas homenageados agora, por ocasião do aniversário dos 36 anos de criação do estado, ainda têm muito a contribuir.

O pantaneiro de Jorapimo.O pantaneiro de Jorapimo.

Da corumbaense Wega Nery, a contribuição começou figurativa e terminou abstrata. “Para mim, pintar é uma forma de acrescentar alguma coisa à vida, tão natural como um momento de vento e de sol, tão simples como uma flor que brota da terra”, dizia a artista diante do abstracionismo lírico que a consagrou.

Também de Corumbá, Jorapimo nos deixou em 2009. Expressionista, ele é arquitetura antiga, flora e fauna pantaneiras.

Paulo Rigotti morreu em 2012. Deu aos quadros a linguagem das sucatas metálicas, sem barreiras entre o clássico e o moderno, a objetividade e o abstrato.

Lídia Baís se atreveu ao pintar painéis nas paredes do sobrado da família. Henrique Spengler foi um defensor da cultura kadiweu, inspirado nos traços que até então só apareciam em vasos de cerâmica. Beto Lima abusou de técnicas e texturas. Vânia Pereira é considerada o maior expoente da gravura sul-mato-grossense. Óvini Rosmarinus tinha a força da ousadia.

Essa visita ao passado pode ser uma boa descoberta sobre o ser sul-mato-grossense. A exposição “In Memorian” funciona de segunda a sexta, das 7h30 às 17h30. A entrada é franca. A Galeria do Memorial da Cultura fica na Avenida Fernando Correa da Costa, 559, no Centro, Campo Grande.




tive a honra de ser aluno do paulo , mudamos toda a percepção artística e somos críticos em relação a tudo quem envolve arte ...
 
andre capdevila em 27/10/2013 22:20:10
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.