A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

24/10/2015 07:23

Com sombra e luz, companhia de Brasília conta a história da lenda Iara

Naiane Mesquita
Companhia de teatro de sombras de Brasília apresenta espetáculo sobre a Iara nos dias 24 e 25 de outubro no Teatro Aracy Balabanian (Foto: Diego Bresani)Companhia de teatro de sombras de Brasília apresenta espetáculo sobre a Iara nos dias 24 e 25 de outubro no Teatro Aracy Balabanian (Foto: Diego Bresani)

No teatro de sombras da Cia Lumiato, a luz é explorada de diferentes formas para mostrar uma lenda antiga da cultura indígena brasileira: a Iara. Distante dos padrões europeus, aqui a personagem assume uma nova roupagem, até um pouco assustadora, em um resgate da história e do folclore do país.

Veja Mais
Poeta Ferreira Gullar morre aos 86 anos devido a problemas respiratórios
Com gorros de Papai Noel, artistas realizam performance contra calote de editais

Jorge de Barros e Thiago durante uma encenação com a forma que o artista de Mato Grosso do Sul criou (Foto: Gerson Walber)Jorge de Barros e Thiago durante uma encenação com a forma que o artista de Mato Grosso do Sul criou (Foto: Gerson Walber)

Premiada pela Funarte, a companhia de Brasília promoveu na manhã e tarde de ontem uma oficina para a comunidade sobre a técnica. O encontro foi realizado na Casa de Ciência na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) com a presença de 16 pessoas.

“Na oficina realizamos o reconhecimento dos códigos e das ferramentos do teatro de sombras contemporâneo, são poucas horas de oficinas, apenas 8 horas, então vemos muito a questão técnica, da própria sombra e da linguagem”, afirma Thiago Bresani, ator da companhia e ministrante da oficina ao lado da também atriz Soledad Garcia.

Durante o curso, cada participante pode criar a silhueta que seria utilizada no final para a demonstração do uso de sombra e luz. O artista plástico Jorge de Barros, que há mais de 30 anos trabalha com o teatro de bonecos em Campo Grande, entrou em contato pela primeira vez com a técnica e se apaixonou.

A oficina realizada na manhã e tarde de ontem em Campo GrandeA oficina realizada na manhã e tarde de ontem em Campo Grande

“É a minha primeira experiência com o teatro de sombras dentro dessa proposta da arte contemporânea. É muito inovadora e bastante interessante até pelos elementos novos que utiliza. Fizemos vários exercícios pela manhã utilizando o corpo e agora com as silhuetas”, explica.

Além da oficina haverá hoje, às 10 horas, também na UFMS, uma palestra com o diretor do espetáculo, Alexandre Fávero. Pesquisador do teatro em sombras, ele é diretor da Cia Teatro Lumbra e esteve a frente da peça Iara, da Cia Lumiato.

Thiago conta que a peça foi toda construída com base nas lendas e no folclore indígena. Contada quase sem palavras e tendo a música como elemento central, a natureza mística cria vida por meio das luzes e das sombras projetadas, por detrás e na frente da tela, mostrando silhuetas de corpos e figuras que se fundem em imagens.

“A gente trabalha com o corpo que é usado para projetar a sua própria sombra ou ao do companheiro. Usamos de tudo, desde objetos a materiais recicláveis, a gente para silhueta, que é uma forma plana de teatro de objetos. No teatro contemporâneo você tenta usar todo o espaço, mas tudo sempre com um propósito de ser feito”, aponta o ator-sombrista.

Cena do espetáculo Iara - O Encanto das Águas (Foto: Diego Bresani)Cena do espetáculo Iara - O Encanto das Águas (Foto: Diego Bresani)

Criada em 2008 por Thiago e Soledad, a Cia de Teatro Lumiato surgiu em Buenos Aires, na Argentina após ambos se formarem no curso de teatro de bonecos da Universidade de San Martin, onde estudaram várias linguagens do teatro de formas animadas, produzindo espetáculos, oficinas e se apresentando em festivais da América Latina. A partir de 2012 passaram a pesquisar e produzir espetáculos de teatro de sombras contemporâneo.

O espetáculo Iara – O Encanto das Águas será encenado nos dias 24 e 25 de outubro, sábado e domingo, às 19 horas, no Teatro Aracy Balabanian. A peça tem entrada gratuita e classificação indicativa livre. A duração é de 40 minutos. O Teatro Aracy Balabanian fica na rua 26 de agosto, 453, centro.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.