A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

05/03/2015 10:16

Em 3º dia de protestos, artistas ocupam a Câmara cobrando explicações da Fundac

Kleber Clajus e Paula Maciulevicius
Grupo retornou após proposta de pagamento de débitos ser rejeitada em prestação de contas (Foto: Alcides Neto / Arquivo)Grupo retornou após proposta de pagamento de débitos ser rejeitada em prestação de contas (Foto: Alcides Neto / Arquivo)

O Movimento S.O.S Cultura voltou à Câmara Municipal, nesta quinta-feira (5), em Campo Grande. É o terceiro dia de protestos por liberação de recursos para o setor. Cerca de 50 pessoas pressionam os vereadores por intervenção, inclusive, junto ao MPE (Ministério Público Estadual), ante atraso de pagamentos pela Fundac (Fundação Municipal de Cultura).

Veja Mais
Movimento opta por deixar Câmara, mas promete lotar sessão desta quinta-feira
Prefeitura não comparece à audiência e faz proposta considerada “indecente"

Conforme o músico Jerry Espíndola, o grupo pretende solicitar abertura de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) por não ver evidências de investimento de 1% da receita líquida do município em cultura, como prevê lei aprovada em 2013. “Queremos saber onde foram aplicados os R$ 40 milhões em cultura. Os prefeitos anteriores não investiam tanto, mas respeitavam a classe. O problema é vontade política”, reclama.

Nesta quarta-feira, os vereadores apresentaram uma proposta da Prefeitura, aos artistas. Em nenhum momento houve diálogo direto. No documento, eles se comprometiam a acertar os pagamentos atrasados nos últimos dois anos, que somam R$ 4 milhões em débitos, repassando imediatamente R$ 200 mil e outros R$ 500 mil restantes em três parcelas mensais. A proposta foi avaliada com “indecente”, por representar apenas 1/6 do total devido. Por isso, foi rejeitada pela classe, que ainda criticou a ausência de representantes da prefeitura na prestação de contas da fundação.

Para o líder do Executivo na Câmara, vereador Edil Albuquerque (PMDB), a opção a ser adotada hoje será abrir espaço para o segmento apresentar mais uma vez suas demandas, já que ontem apenas 5 vereadores compareceram à audiência pública. O peemedebista ainda justificou que o prefeito Gilmar Olarte (PP) estava ontem em Brasília e ele em reunião com a Anhanguera/Uniderp, por isso a ausência.

Na oposição, Luiza Ribeiro (PPS) articula pela Comissão Permanente de Cultura a convocação, no dia 11 de março às 17h, dos secretários de Governo e Relações Institucionais, Rodrigo Pimentel, de Planejamento, Finanças e Controle, André Scaff e da diretora-presidente da Fundac, JulianaZorzo. O objetivo é encontrar soluções concretas para dar fim a crise no setor de cultura da Capital.

Ontem, a prefeitura divulgou nota garantindo que investiu mais de 1% em Cultura no ano passado, mas os artistas asseguram não saber o destino de tais recursos, que, segundo eles, foi aplicado, inclusive, em ações de assistência social.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.