A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

31/10/2015 07:23

Esquecido, monumento em homenagem à cultura japonesa tem projeto engavetado

Naiane Mesquita
Portal na entrada da rua dos Barbosas onde fica a Associação Okinawa (Foto: Gerson Walber)Portal na entrada da rua dos Barbosas onde fica a Associação Okinawa (Foto: Gerson Walber)

Na Rua dos Barbosas, um monumento em homenagem à cultura japonesa se mantém firme e forte, apesar de escondido. Construído em 2008 durante as comemorações do centenário da imigração japonesa no Brasil, o portal foi instalado com investimentos deo empresário Almir Hirokazu Oshiro e se tornou um bem público, mas um tanto abandonado.

Veja Mais
Mesmo a espera de recurso, desfile das escolas de samba acontece em fevereiro
Com bugrinhos de Conceição, galeria reúne arte de MS e área ainda atende eventos

“O portal foi construído pelo dono da Discautol, Almir Hirokazu Oshiro, que doou todo o dinheiro e também a sede da Associação Okinawa na mesma rua. Nós pensamos neste ano em revitalizar o monumento e passar ele para a prefeitura, mas com as mudanças na política, o projeto não deu, acabou arquivado”, afirma o presidente da Associação Okinawa de Campo Grande, Nilton Kiyoshi Shirado.

O projeto original, da arquiteta Eloisa Vicari Scheid, incluia outras melhorias na área, como a readequação da calçada e a inclusão de lanternas típicas da cultura japonesa, como as encontradas na rua da Liberdade, em São Paulo.

Associação Okinawa construiu a sede própria em 1966 (Foto: Gerson Walber)Associação Okinawa construiu a sede própria em 1966 (Foto: Gerson Walber)

“Na época veio uma comitiva do Japão e o seu Almir quis homenageá-los com o portal. Eu acredito que como ele foi executado em uma via pública, agora é de responsabilidade da prefeitura, se tornou um monumento. Nós pedimos apenas a autorização para a construção do portal”, explica.

Para dar continuidade ao que foi construído em 2008, a Associação Okinawa procurou a prefeitura para propor a revitalização do local, assim como o término do projeto completo, em busca de tornar o ponto turístico.

“A Associação Okinawa iria criar uma biblioteca ou um museu da imigiração. Esse era uma desejo nosso”, explica.
Criada em 1922, a Associação Okinawa só teve a sede própria na rua dos Barbosas em 1966. “No início ficávamos na Associação Nipo ou na casa de algumas pessoas”, relembra.

Atualmente, mais de 428 famílias são filiadas e cerca de 100 jovens participam de atividades culturais típicas. Inclusive, agora nós teremos uma evento com dançarinos de Okinawa”, ressalta.

O evento será no Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo, no dia 7 de novembro. “São 22 dançarinos de Ryukyu, é uma apresentação inédita e em comemoração ao Tratado de Amizade Brasil-Japão que completa 120 anos agora. Nossa cidade será a primeira no circuito, tendo somente São Paulo e Campo Grande”, acredita.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.