A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

09/07/2016 07:15

Fascínio pela moda levou Lucas a voar até Milão e fotografá-la em cada esquina

Paula Maciulevicius
The Gardian. (Foto: Lucas Possiede)"The Gardian". (Foto: Lucas Possiede)

Campo-grandense, 24 anos de vida, oito deles dedicados à fotografia. Lucas Possiede deixou a Capital em fevereiro de 2015 para viver, respirar e fotografar moda, seu fascínio desde muito cedo. Aqui, viajava folheando as revistas Vogue e Elle, em Milão encontra o que estampa as páginas em cada esquina. O trabalho o fez enxergar a moda como conceito, paixão e profissão.

Veja Mais
Mesmo a espera de recurso, desfile das escolas de samba acontece em fevereiro
Com bugrinhos de Conceição, galeria reúne arte de MS e área ainda atende eventos

"Sempre me interessei pelo que eu podia captar com as minhas imagens. Quando percebi que poderia ser um meio de ganhar dinheiro, não pensei duas vezes em fazer isso para a vida toda", conta. Na Capital, Lucas fotografou para blogueiras, lojas de roupa, eventos, aniversários casamentos e também foi fotógrafo de revista. Começou aos 16, sem um prazo e nem uma meta para alcançar. 

O destino para a moda, ele sabia que não poderia ser Campo Grande, onde o conceito é diferente do resto do mundo. A alternativa era sair do País, para onde pudesse se expressar através da fotografia como gostaria.

Autorretrato de Lucas Possiede. Autorretrato de Lucas Possiede.

"Decidi que queria fazer algo crazy, para chacoalhar as coisas e juntando com a minha vontade de ir atrás dos meus sonhos em outro lugar, pensei: se não for agora, quando?", recorda. Foi um ano de organização financeira até o embarque.

O interesse por Milão, ele explica que veio das origens italianas e claro, por ser um dos grandes centros da moda, onde cada via vira passarela de grifes que vem dos armários dos próprios milaneses. 

"A única coisa certa que eu tinha era um curso de italiano de um mês, que acabou virando dois. Depois, o resto, aprendi sozinho, falando", conta. O primeiro ano foi difícil e ele até teve a câmera roubada. Entre as incertezas, também houve muito aprendizado, crescimento e adaptação à cultura, às pessoas e à língua.

"Foi e está sendo uma jornada de auto conhecimento. Eu consegui meu primeiro job através de um amigo para trabalhar fotografando uma balada, que foi ótimo para conhecer gente", relata. Foi assim que Lucas conheceu sua atual chefe, promoter de eventos para marcas de moda Diesel, Gucci e Givenchy.

Outlaw. (Foto: Lucas Possiede)"Outlaw". (Foto: Lucas Possiede)
Warrior. (Foto: Lucas Possiede)"Warrior". (Foto: Lucas Possiede)

Para entrar na área, Lucas primeiro foi assistente para outros fotógrafos até entender melhor como funciona o trabalho com moda. Com uma cidade linda, que mistura estilos e épocas, o cenário surge a cada vez que ele sai do metrô. "Me sinto grato toda vez que saio para a superfície e vejo a cidade ao meu redor", narra. 

Os editoriais de moda, ele faz aos finais de semana, em parceria com amigos stylists. "Sou mais de fotografar com luz natural, e de preferência ao ar livre, porque tem sol, vento, chuva, todos esses elementos que gosto muito e acho que definem fotografia", explica Lucas.

Um dos últimos trabalhos foi fotografar para a marca russa Outlaw Moscow e uma argentina chamada Santiago Artemis. Os demais são feitos de forma livre, levando a proposta para que revistas e canais publiquem. 

"Diria que viver numa cidade que respira moda como Milão, muda muito a concepção do que é moda de fato, aqui é realmente como forma de expressao, é o cartao de visita de qualquer um e as pessoas têm noção disso, não se vestem com a primeira peça da gaveta", compara o fotógrafo.

A fotografia em outros ares lhe ensinou que a moda é, além da forma de expressão, a personalidade por cima de pele, a escolha da peça envolve consciência e coerência com a mensagem que se quer passar.

"Antes de eu vir para cá, eu via desfiles de forma conceitual. Hoje em dia eu já vejo tudo o que está na passarela é de fato usável e incrível", analisa Lucas. A ideia é de ficar o tempo que for em Milão contribuir para as revistas de moda. "Porque fotografar moda é tudo, é minha arte e forma de expressão preferida", resume.

Para acompanhar o trabalho de Lucas Possiede, basta segui-lo no Instagram.

Curta o Lado B no Facebook. 

Fascínio pela moda levou Lucas a voar até Milão e fotografá-la em cada esquina
Fascínio pela moda levou Lucas a voar até Milão e fotografá-la em cada esquina
Fascínio pela moda levou Lucas a voar até Milão e fotografá-la em cada esquina
Fascínio pela moda levou Lucas a voar até Milão e fotografá-la em cada esquina
Fascínio pela moda levou Lucas a voar até Milão e fotografá-la em cada esquina
Fascínio pela moda levou Lucas a voar até Milão e fotografá-la em cada esquina



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.