A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

11/05/2014 07:35

Grupos da Bahia apresentam 10 dias de teatro e dança em Campo Grande

Ângela Kempfer
Imagem do espetáculo Da Ponta da Língua à Ponta do Pé. (Fotos: Divulgação)Imagem do espetáculo Da Ponta da Língua à Ponta do Pé. (Fotos: Divulgação)

Campo Grande vai conhecer a partir do dia 15 a produção de grupos de teatro da Bahia. Até 25 de maio, a Petrobras Distribuidora apresenta mais uma edição do Festival de Teatro Brasileiro, um intercâmbio entre a cultura dos estados que dura 16 anos, mas pela segunda vez passa por Mato Grosso do Sul.

Veja Mais
Em clipe de rock alternativo, casal coloca tudo a perder por mensagem de celular
Poeta Ferreira Gullar morre aos 86 anos devido a problemas respiratórios

A maioria dos seis espetáculos é gratuita. Apenas dois têm preços populares de, no máximo, R$ 20,00. As apresentações serão nos teatros Aracy Balabanian e Dom Bosco, sempre às 16h ou 20h.

Dentre todas as apresentações, uma é infantil: “Da Ponta da Língua à Ponta do Pé” da Cia Vila Dança, que integra teatro de coreografias.

Na lista, há espetáculos premiados. “Entre Nós – uma comédia sobre a diversidade”, por exemplo, ganhou rm 2012 o prêmio baiano de teatro nas categorias de Melhor Espetáculo, Melhor Ator (Igor Epifânio) e Melhor Texto (João Sanches).

Durante o festival, atores e diretores realizam oficinas gratuitas, a primeira foi de oficina de construção de instrumentos e transmissão de ritmos populares baianos.

Também faz parte da programação, o “Ciclo de Dramaturgos Baianos”, do dia 12 a 16 de maio, para escritores, dramaturgos e leitores conhecerem melhor o que é produzido na Bahia, no Centro Cultura José Octávio Guizzo, na rua 26 de agosto. Os debates serão de 19h às 22h.

Em Campo Grande haverá, inclusive, um encontro com Eliane Coelho, representante da Gerência de Patrocínio da Petrobras Distribuidora para apresentação do Programa Petrobras Distribuidora de Cultura aos atores, produtores e diretores da cidade. A reunião será no dia 14 de maio, às 14 horas.

No ano passado, o Festival do Teatro Brasileiro trouxe a Cena Distrito Federal. Nas apresentações gratuitas, é preciso retirar o convite meia hora antes do espetáculo. 

Veja a programação e saiba um pouco de cada espetáculo:

 

Grupos da Bahia apresentam 10 dias de teatro e dança em Campo Grande

Remendo Remendó / 15 de maio (10h) no Calçadão da Rua Barão do Rio Branco e 16 de maio (19h) na Feira do Jardim Aeroporto
Entrada franca.

Muitas cores, música, cultura popular e literatura de cordel revisitada fazem a peça. O prefeito de uma cidade do interior reúne as melhores mentes da região para a disputa de quem conta a melhor história: seus filhos, a extrovertida Porcia, o intelectual Corisco, o sábio senhor Firmino e o divertido Alexandre. A competição tem como prêmios uma colher de ouro e um boi.

Classificação: 14 anos

Grupos da Bahia apresentam 10 dias de teatro e dança em Campo Grande

Seu "Bomfim" / 17 de maio, às 20h, no Teatro Aracy Balabanian,
Entrada franca

Seu Bomfim é um velho e errante homem do sertão, contador de histórias. Um “homem do rio” que deixa a família para viver em uma canoa. Ele rememora pessoas e locais, e expõe pensamentos sobre várias questões. O espetáculo se apropria da matriz sertaneja de Guimarães Rosa, presente no conto A Terceira Margen do Rio.

 

Classificação: 14 anos

Grupos da Bahia apresentam 10 dias de teatro e dança em Campo Grande

Sebastião /18 de maio, às 20h, no Teatro Aracy Balabanian.
Entrada franca.

A montagem é baseada em fato real, ocorrido na Bahia. Conta a história de um nordestino chamado Sebastião, que se vê envolvido em uma trama de perseguição depois que participa do saque de um avião que caiu com R$ 5,6 milhões. Devoto de Padre Cícero, viciado em jogos e totalmente endividado, ele, por obra do acaso, recebe um tesouro “dos céus” que acaba sendo o motivo de sua tragédia.

Classificação: 14 anos

Grupos da Bahia apresentam 10 dias de teatro e dança em Campo Grande

Entre Nós – uma comédia sobre a diversidade / 21 e 22 de maio, às 20h, no Teatro Aracy Balabanian.
Entrada franca.

Dois atores tentam inventar na hora uma história de amor entre jovens gays. Para isso, eles enfrentam uma série de situações conflitantes e engraçadas, até decidirem o destino dos personagens Rodrigo e Fabinho. Ao embarcarem na concepção, por conta dos próprios preconceitos, recalques e visões de mundo diferentes a cerca do tema diversidade sexual, eles resolvem solicitar ao público, que decide sobre o desfecho da peça: se o casal de personagens deve ficar junto, e, em caso positivo, se a peça deve terminar com um beijo entre eles ou não.

Classificação: 14 anos

Grupos da Bahia apresentam 10 dias de teatro e dança em Campo Grande

O Indignado / 23 e 24 de maio, às 20h, no Teatro Aracy Balabanian.
Ingressos: R$ 10 (meia-entrada) e R$ 20 (inteira)

O espetáculo apresenta um ator cômico, indignado com a situação atual do País e do mundo e que resolve expor sua indignação ao público, provocando este mesmo público a também manifestar-se sobre o que lhe deixa indignado. Interpretado pelo ator Frank Menezes, um dos mais conhecidos atores baianos, com vasta experiência em comédias, encarna esse ator, esse ser humano indignado com a cara-de-pau, a desfaçatez, a falta de cultura, de educação e de vergonha que têm dominado algumas rodas no país e no mundo. O enredo passeia livremente por temas que fazem parte do cotidiano de todos nós, como a obsessão pela juventude e beleza.

Classificação: 16 anos

Grupos da Bahia apresentam 10 dias de teatro e dança em Campo Grande

Da Ponta da Língua à Ponta do Pé / 24 e 25 de maio, às 16h, Teatro Dom Bosco (Av Mato Grosso, 227, Centro).
Ingressos: R$ 5 (meia entrada) e R$ 10 (inteira)

É um musical onde intérpretes dançam, cantam e atuam. Com toques de comédia romântica, a peça conta a história do adolescente Zé, um estudante que adora andar de skate e que, depois de se apaixonar pela bailarina Isadora, passeia pelo o universo da dança para se aproximar da garota. Com a ajuda de uma professora, Zé descobre a história da dança no Ocidente, desde a Pré-História, passando pelos rituais religiosos da Antiguidade e pelos salões da nobreza europeia, até chegar às transformações originadas por Isadora Duncan, ao estabelecimento da dança como profissão, com várias áreas de atuação, e às produções contemporâneas.

Classificação: Livre




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.