A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

28/11/2013 22:06

Na Capital, Ney Matogrosso apresenta filme e diz não ter apego ao passado

Anny Malagolini
Ney veio à Capital para a exibição do filme Olho Nu, de Joel Pizzini.(ao fundo) (João Garrigó)Ney veio à Capital para a exibição do filme "Olho Nu", de Joel Pizzini.(ao fundo) (João Garrigó)

Nada de saudosismo. O sentimentalismo das canções nada tem a ver com o passado, no interior do Mato Grosso do Sul, em Bela Vista. “Não tenho saudade, não me traz nada”, revela o cantor Ney Matogrosso, 72 anos, sobre a infância vivida no pequeno município.

Veja Mais
Poeta Ferreira Gullar morre aos 86 anos devido a problemas respiratórios
Com gorros de Papai Noel, artistas realizam performance contra calote de editais

O cantor veio a Campo Grande para a exibição do filme “Olho Nu”, produção de 101 minutos, sobre a carreira de Ney, dirigido pelo também sul-mato-grossense Joel Pizzini.

A ideia foi de Joel, que nos anos 80 fez um curta sobre o artista e desde então preservou inúmeras horas de gravações que não foram usadas.

“Não tenho apego com o passado e o lugar não me diz nada”, fala sobre a cidade em que nasceu. Joel sai em defesa do cantor. “Ney é assim, não cultua o passado, a não ser na música”.

Segundo o diretor, assim que chegaram no município, com pouco mais de 23 mil habitantes, os passos foram seguindo os de Ney, que foi levando a equipe aos locais que a memória recordava e a casa do avô, local de filmagem.

Da cidade, ele diz que se lembra de pouca coisa além da casa da família e, de forma quase vaga, a praça em que brincava. “A cidade mudou, onde eu frequentava se tornou a parte velha”, comenta.

Mato Grosso ainda é o nome dito quando o assunto é o Estado, mania de quem nasceu antes da mudança e que Ney não se importa e nem tenta corrigir.

Já na casa, Joel conta que levou um toca disco e colocou o“Homem Neandertal”, o primeiro da carreira do cantor, sem pedidos. Ney diz que entendeu o recado. “Eu entendi a proposta e fiz a história”.

Olho nu - Segundo Ney, a narrativa é uma fatia do seu pensamento durante os anos. Ele ainda elogia o trabalho: “é compatível comigo”.

O diretor relembra que durante a produção foram selecionadas imagens de entrevistas concedidas pelo cantor desde os anos 1970 e, para sua surpresa, na maioria delas Ney repete a mesma fala e o jeito foi escolher os trechos pela musicalidade e tom da voz.

Ney também comenta a parceria com Alzira Espíndola, também de "Mato Grosso", e revela que a artista é uma de suas paixões. “Sempre que posso estou com ela”, diz.

O filme vai se tornar série, e será apresentada no Canal Brasil. A produção foi exibida pelo festival “FestCine”, que acontece na Capital desde o dia 25, no Shopping Norte Sul Plaza. Amanhã é o último dia de exibição, confira a programação:

29/11 - Sexta / Drive-in
19h – Smile – Camila Machado e Steffany Santos
Brasil - Curta MS (8min)
Ela Veio Me ver – Essi Rafael
Brasil - Curta MS (16min)
O Florista – Filipi Silveira = 18min
Brasil - Curta MS (18min)
Do Sul, Mato Grosso do Sul – Fábio Flecha
Brasil - Curta MS (18min)
20h – No – Pablo Larraín
Chile - Longa-metragem (115min)




Lamentável.... esperava mais de Ney Matogrosso, na sua estadia na cidade durante as gravações, um Ney Simples, livre e mais simpático. Confesso depois disso e de um show que assisti no parque das nações, prefiro somente ouvi-lo. Sua imagem, sua " história" e sua presença também "não me traz nada"!
Concordo com vc tia Néli, temos orgulho de nossas raízes, amo ser de Caracol e ter vivido em Bela Vista.
 
Vania Leite em 29/11/2013 21:59:04
Um HOMEM sem passado é um HOMEM sem história!!!! Eu o considerava um ser inteligente, mas depois dessa nota-se um ser recalcado e mal resolvido, terapia nele e olhe lá se resolve,,,,,
 
Fátima Helena Domingues Carneiro em 29/11/2013 15:19:56
Não esqueço nunca minhas raizes,não esqueço da minha cidade,não esqueço de Bela Vista onde nasci,não esqueço de Caracol onde me criei, me casei e me corrijo pra falar Mato Grosso do Sul, tenho orgulho de me lembrar e cultivar meu passado,sou sulmatogrossense com amor.
 
Néli Leite em 29/11/2013 13:06:08
Amo Ney desde criança, que voz!!!!! Um carinho aos ouvidos, benza Deus!!!! Deves ter em seu dna, em seu corpo átomos de pássaros,então, adorei o filme,e assistir com a presença dele foi tudo de bom!!! Concordo com as palavras de Ney e você Roberto Mendes disse tudo!!!
 
Ecilda silveira em 29/11/2013 12:23:55
Esse cantor não me representa, e nunca me representou, tenho vergonha quando dizem que é do meu estado, prefiro muito mais Almir Sater e a família Espíndola
 
MÁRIO FERREIRA em 29/11/2013 12:12:09
E uma vergonha ouvir isso que ele nao tem saudade da sua vida no interior que nasceu, eu tambem nasci em bela vista tenho muito orgulho da cidade que eu nasci e uma linda pequena cidade com pessoas simples mais receptivas .Um recado para Ney, tenho vergonha de saber que voce nasceu aqui no Mato Grosso do Sul principalmente em Bela Vista..............
 
luiz carlos ferreira em 29/11/2013 06:32:20
Nos que nascemos antes da criação de Mato Grosso do Sul, somos de falar de nosso Estado Uno MATO GROSSO. Pois em nosso registro está grafado assim.
Por fim, recordar é viver, meus parabéns ao conterrâneo douradensse, Joel Pizzini. Meus parabéns, ao Ney Matogrosso, são pessoas que escrevem história de nossa terra e nossa gente, através de suas artes ( filmes e musicas).
 
Roberto Mendes Motta em 28/11/2013 23:00:00
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.