A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

28/04/2013 09:33

Projeto de resgate cultural quer valorizar língua dos índios ofaié e kaiowá

Elverson Cardozo
Cacique José de Souza disse que projeto é uma  conquista da comunidade. (Foto: Divulgação)Cacique José de Souza disse que projeto é uma conquista da comunidade. (Foto: Divulgação)

Cerca de 120 indígenas das etnias Ofaié e Kaiowa, que residem na região de Brasilândia, município que fica a 355 quilômetros de Campo Grande, vão participar de um projeto de resgate cultural por meio do esporte.

Veja Mais
Poeta Ferreira Gullar morre aos 86 anos devido a problemas respiratórios
Com gorros de Papai Noel, artistas realizam performance contra calote de editais

A iniciativa, batizada de “Jogando e Aprendendo com Ofaié”, propõe a capacitação de atletas indígenas por meio do futebol e a recuperação da língua nativa – atualmente falada apenas por 10 índios daquela região - por meio da elaboração de uma cartilha sobre o esporte. O material será produzido pela própria comunidade.

Inicialmente, as aulas serão realizadas duas vezes por semana, nos períodos matutino e vespertino. O Cacique José de Souza, conhecido como Koi, seu nome no dialeto Ofaié, disse que o projeto é uma conquista da comunidade. “Não acredito no que está acontecendo. Parece que ainda estou sonhando”, disse.

O projeto de resgate cultural foi desenvolvido pela Fibria, empresa de celulose de eucalipto instalada no município. Os indígenas participantes residem em terras vizinhas às florestas da fábrica em Brasilândia.

A Associação Hankragane de Produtores Ofaié oficializou a iniciativa na última sexta-feira (19), data em que se comemora o dia do índio. O evento foi realizado dentro do ritual indígena. Na aldeia houve uma festa para toda a comunidade e convidados.




Ironia, não? A empresa "com forte presença no mercado global de produtos florestais (sic)" , que vive da monocultura, ou seja, de acabar com a biodiversidade, resolve fazer projeto "de resgate" , "sustentabilidade" ou coisa que o valha.

É trágico...


 
Marília Costa Chinchilla em 06/05/2013 07:46:03
O indio da foto é o sr.Jose da etnia guarany,lider religioso,mudou-se de Dourados para a area dos ofaiés há cerca de 20 anos.Os indios ofaiés já vem sofrendo há muito tempo com o descaso do governo.Inicalmente viviam numa area cedida pelos indios kadiwéus onde foram expulsos e "jogados" a beira do rio Paraná.Sofriam com as enchentes do rio e por isso ajeitaram a atual area de 4 hec,onde não há rios ou matas,mas, como a materia diz, apenas restos do que sobrou da plantação de eucaliptos.Acabar com a cultura e a propria nação ofaié-xavante é expreme-los a viver como sardinhas nessa pequena area.Não seria mais produtivo se lhes desses terras decentes ou mesmo ampliar as atuais? O Dia do Indio,não serve apenas pra se comemorar,mas para lembrar da necessidade do índio.TERRA!!
 
samuel gomes-campo grande em 28/04/2013 10:47:17
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.