A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

19/05/2016 06:15

Tatuagem japonesa demora até 1 ano para ficar pronta e cobre o corpo inteiro

Naiane Mesquita
Para chegar neste nível tatuagem já teve 30 sessões (Foto: Naiane Mesquita)Para chegar neste nível tatuagem já teve 30 sessões (Foto: Naiane Mesquita)

São mais de 30 sessões para que a tatuagem fique pronta, em média um ano de dedicação do tatuador e do cliente, que precisa ter paciência para aguentar as agulhas e esperar o resultado. A arte é feita em todo o corpo, das costas até as nádegas, no estilo horimono, em que se pode cobrir o corpo todo, com exceção do rosto, mãos e pés.

Veja Mais
Da droga à reabilitação, Zé Pretim sobe ao palco com banda e repertório afiado
Fim de semana tem cover de Freddie Mercury e Whindersson

Apenas as mãos e o rosto não são cobertas pela técnicaApenas as mãos e o rosto não são cobertas pela técnica

“Atualmente estou fazendo em cinco pessoas, sendo que alguns deles são tatuadores. Estou avaliando outros clientes também”, afirma o tatuador Fernando Toshio, 30 anos, um apaixonado pela técnica.

A ideia de fazer a horimono surgiu aos poucos, como parte do estudo e crescimento profissional de Fernando. “Tatuo há oito anos, apesar de fazer tatuagens comerciais, tenho sido procurado cada vez mais pelos clientes e amigos para fazer o que mais gosto e estou aprendendo, que são tatuagens de cunho japonês”, diz.

Segundo Fernando, a tatuagem na parte traseira do corpo, do pescoço até as nádegas e terminando no meio da coxa é o maior espaço ininterrupto sobre o corpo, no qual se pode ver uma única imagem. “A parte traseira oferece a tela ideal para o tatuador e muitas vezes os mais belos trabalhos de arte produzidos por tatuadores que empregarem este espaço”, ressalta.

Os que se submetem a técnica são descritos por ele como verdadeiros “guerreiros”, apesar da cicatrização não ser tão diferente das comuns, durando em média 15 dias. “Primeiro eu faço o contorno de todo o desenho, depois incluo as partes em preto e por último, a cor. As tatuagens japonesas costumam ser bem coloridas, é que todas ainda estão no começo”, explica.

Um dos clientes que está há mais tempo fazendo a tatuagem é o assistente administrativo Bruno dos Santos, 27 anos. “Faz mais ou menos dois anos que eu comecei, com cerca de 30 sessões e vão muitas ainda pela frente”, brinca.

Bruno conheceu a técnica pela influência de Fernando. “A tatuagem está inserida na família há muito tempo. A minha primeira eu tinha 18 anos. Eu fiquei interessado nessa porque o Fernando me disse que era rara, que nem todo mundo tinha, porque é um desenho que demora, tem muitos detalhes, um investimento que tem que ser feito com tempo”, acredita.

O tatuador rejeita o status de cult da tatuagem japonesa. “Ela exige planejamento, paciência, comprometimento e disciplina para suportar dor intensa com resistência na forma de uma série prolongada de consultas e sessões, que podem durar anos. São virtuosismos de uma cultura milenar”, frisa.

Fim de semana tem cover de Freddie Mercury e Whindersson
As atrações acontecem no Palácio Popular da Cultura, em Campo Grande. Confira outras dicas da Agenda Cultural....
Filhos e netos, os artistas mais importantes no palco
Escolas particulares de Campo Grande investem em grandes espetáculos para marcar o fechamento do ano letivo....
Sucesso na música depende de Deus ou de dinheiro na conta?
Empresários e produtores do mundo sertanejo estão escondendo o jogo ou são praticamente santos. Todo mundo diz que o negócio é pedir a Deus e ir com ...



ele é da Yakuza?
 
Australiano em 19/05/2016 09:27:39
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.