A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

26/07/2012 15:14

Bonito recebe poesia de Manoel de Barros nas ruas, túnel e até em lounge

Elverson Cardozo
Túnel Nas nuvens com Manoel de Barros. (Foto: Rodrigo Pazinato)Túnel "Nas nuvens com Manoel de Barros". (Foto: Rodrigo Pazinato)
Estrutura tem 4,50 metros de altura por 7,0 de largura e traz, a cada 5 metros, módulos com impressão de poemas. (Foto: Rodrigo Pazinato)Estrutura tem 4,50 metros de altura por 7,0 de largura e traz, a cada 5 metros, módulos com impressão de poemas. (Foto: Rodrigo Pazinato)

Bonito está tomado pelas poesias de Manoel de Barros. “Justíssima homenagem a um dos maiores poetas do mundo”, anuncia um dos painéis posicionados na entrada da cidade, que fica a cerca de 300 quilômetros de Campo Grande.

Veja Mais
Homenagem a Manoel de Barros foi justa, mas tardia, avalia professora
Em Bonito, abertura de festival leva cerca de 10 mil a praça

Um dos acessos à praça da Liberdade, centro das atrações, é pelo túnel “nas nuvens com Manoel de Barros”, uma estrutura de 4,50 metros de altura por 7,0 de largura que traz, a cada 5 metros, módulos com impressão de poemas.

“Poeta é um ente que lambe as palavras e depois se alucina. No osso da fala dos loucos tem lírios”, diz a primeira das 20 placas que compõe o espaço. A impressão ao visitante é de estar, literalmente, dentro das obras do poeta.

O jogo de luzes e a decoração de flocos que lembram nuvens tornam a viagem ainda mais encantadora. Um verdadeiro passeio à obra de Manoel Wenceslau Leite de Barros, que nasceu em Cuiabá (MT), no Beco da Marinha, em 19 de dezembro de 1916, há 96 anos.

Mesmo que não costuma ler os poemas de Manoel se encantou não só com o túnel bem decorado, mas com as palavras simples do senhor que transforma a vida e o viver em poesia.

“Remete à minha infância porque eu morei no Pantanal”, comentou a funcionária pública Tania Netto, de 40 anos, que destacou a poesia do segundo painel: “Eu fui aparelhado para gostar de passarinhos. Tenho abundância de ser feliz por isso. Meu quintal é maior do que o mundo”.

As palavras sempre mexem com a gente”, disse a funcionária pública Milene Loureiro. (Foto: Rodrigo Pazinato)"As palavras sempre mexem com a gente”, disse a funcionária pública Milene Loureiro. (Foto: Rodrigo Pazinato)

A amiga, Milene Loureiro, de 42 anos, disse que não é possível sair dali como entrou. “A gente sai com outra visão”, disse. “As palavras sempre mexem com a gente”, completa Tania.

O túnel “Nas nuvens com Manoel de Barros” é assinado pelo cenógrafo José Carlos Serroni que criou o espaço com a proposta de não deixar o visitante passar imune às atrações.

Louge - Na rua Pilad Rebuá foi montado um lounge, também em homenagem ao poeta. Na entrada, um livro gigante traz informações sobre a vida e obra de Manoel de Barros.

O espaço é composto por sofás plantas e poemas distribuídos em cestas. Na entrada, um painel exibe o “Auto-Retrato Falado”:

Venho de um Cuiabá garimpo e de ruelas entortadas.

Meu pai teve uma venda de bananas no Beco da

Marinha, onde nasci.

Me criei no Pantanal de Corumbá, entre bichos do

chão, pessoas humildes, aves, árvores e rios.

Aprecio viver em lugares decadentes por gosto de

estar entre pedras e lagartos.

Fazer o desprezível ser prezado é coisa que me apraz.

Já publiquei 10 livros de poesia; ao publicá-los me

sinto como que desonrado e fujo para o

Pantanal onde sou abençoado a garças.

Me procurei a vida inteira e não me achei – pelo

que fui salvo.

Não fui para a sarjeta porque herdei uma fazenda de

gado. Os bois me recriam.

Agora eu sou tão ocaso!

Estou na categoria de sofrer do moral, porque só

faço coisas inúteis.

No meu morrer tem uma dor de árvore.

(Manoel de Barros)




Ao grande Manoel de Barros, tudo que for feito para homenageá-lo será pouco...
Esse Matogrossense especial, genial e sábio, ficará sempre gravado nas cascas das árvores, nas folhas do carandá, nos bicos dos tuiuiús, nas asas das araras e no cérebro de todos nós.
Sua poesia deveria ser esparramada pelos nossos rios, vales e montanhas para que por todo lugar que olhassemos, a sentiriamos.
Parabéns!!
 
Márcio Fontoura Corrêa em 27/07/2012 07:52:39
Esse fenômeno merece toda nossa admiração. É gente grande demais para ser nosso. Ele é metogrossesense, pantaneiro, puro, verdadeiro, de alma branca com a neve. Ele é lindo fazendo seus poemas. Agora ele tambem é bonitense, minha terra, onde nasci em 11 de maio de 1949, o tempo que ainda haviam homens com o espírito de Manoel de Barros. É mais do que merecedor ser homenageado!!!!!!!!!!!!!!
 
Olices Trelha em 26/07/2012 04:50:50
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.