A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

28/02/2012 15:24

Fotos colorizadas de Roberto Higa mostram Campo Grande viva e retrô

Ângela Kempfer
Blitz em frente à construção do Hospital São Lucas, na década de 70. (Fotos: Roberto Higa)Blitz em frente à construção do Hospital São Lucas, na década de 70. (Fotos: Roberto Higa)

Tudo era preto e branco em uma época em que revelação colorida custava muito dinheiro e só existia em grandes centros no Brasil. A Igreja Matriz, o relógio da 14 de Julho, as obras e as transformações em Campo Grande eram registradas sem o colorido de uma cidade viva.

Veja Mais
Com gorros de Papai Noel, artistas realizam performance contra calote de editais
Da droga à reabilitação, Zé Pretim sobe ao palco com banda e repertório afiado

O preto e branco ainda hoje fascina fotógrafos e quem tem paixão pela imagem impressa, mas para Roberto Higa o diferente é sempre bem vindo.

Em uma nova exposição sobre a cidade que já rendeu muitos registros e mostras itinerantes, o nosso maior fotógrafo manipulou as cores, mas não a história.

Uma a uma, Higa foi colorizando fotos antigas, algumas de uma Capital que ainda era cidade do interior do Mato Grosso.

Nas décadas de 70 e 80, registrou personalidades e o cotidiano. Em 2012 olhou para as imagens em preto e branco e lembrou de cada ponto colorido na história. “Tive a idéia no Carnaval, ao ver uma foto minha de quando tinha 2 anos e foi colorizada para a minha mãe”, conta.

Higa chamou o web design Jair de Oliveira e pediu uma solução para colorizar o material, já que técnicas antigas já não funcionavam.

Antiga matriz de Santo Antônio, na Calógeras.Antiga matriz de Santo Antônio, na Calógeras.
A foto do menino Higa, que deu a idéia sobre a mostra retrô.A foto do menino Higa, que deu a idéia sobre a mostra retrô.

“O papel mudou com o tempo e a impressão passou a ser feita em um material mais plástico. Tentei colorir como fazia antigamente, com nanquim, mas a tinta escorreu”, explica Higa.

No computador, foi recuperando semanas a fio o colorido original. A Igreja de Santo Antônio, que hoje está em prédio mais moderno, nos anos 70 era igrejinha. Azul e branca, em dia de missa era cercada por carros vermelhos, amarelos, azuis...

O relógio da 14 de Julho tinha um amarelo recortado pelo branco cal, bem diferente do visto agora no Centro da cidade.

Na exposição aparece até a mãe do prefeito, dona Terezinha Trad, que de preto e branco ganhou baton vermelho e blusa verde água.

Há também o curioso, como o veículo SP2 vermelho, sem placas de tão novo, parado durante um blitz em frente a construção do Hospital São Lucas, na década de 70. “Só tinha um carro desses aqui. Na hora lembrei da cor”, diz Higa.

A exposição de Roberto Higa será aberta hoje, às 19 horas, na Morada dos Baís. A entrada é franca. Apenas 6 fotos são colorizadas, outras 200 contam a história da cidade ainda em preto e branco.

Na exposição aparece até a mãe do prefeito, dona Terezinha Trad.Na exposição aparece até a mãe do prefeito, dona Terezinha Trad.
Fim de semana tem cover de Freddie Mercury e Whindersson
As atrações acontecem no Palácio Popular da Cultura, em Campo Grande. Confira outras dicas da Agenda Cultural....
Filhos e netos, os artistas mais importantes no palco
Escolas particulares de Campo Grande investem em grandes espetáculos para marcar o fechamento do ano letivo....



Senhor Roberto Higa,Parabéns,suas fotos são maravilhosas,é uma pena que são poucas,ficaria o dia inteiro a contempla-las,mais uma vez parabéns pelo seu trabalho.
 
Teresa Moura em 29/02/2012 11:15:19
Mais um trabalho digno e técnico sobre a gente de Campo Grande. Saudações.
 
James Dal Pogeto em 29/02/2012 10:58:15
Belo trabalho!!!
Que pena que a igreja de Santo Antonio não seja mais desse jeito, era bem mais bonita do que agora, destro iram um patrimônio cultural de nossa cidade.
 
Paulo Sérgio de Lira em 29/02/2012 08:51:51
Muito bom Dr. parabens......
 
Vanderley francisco de Souza em 29/02/2012 08:50:04
Caro senhor Carlos Silva Oliveira, o senhor deve ser um fenômeno da ciência e merecia ser estudado, pois saber o que aquele policial estava pensando há 40 anos atras é mesmo um fenômeno. Aprecie a arte, o trabalho do profissional, relaxa.
Ah, só mais uma coisa, pode me emprestar sua bola de cristal????
 
eduardo de paula em 29/02/2012 08:20:27
Esta foto é a prova mais do que suficiente de que a industria da multa é bem antiga. Reparem bem que, como o veículo ainda não tinha placas de identificação, o Policial está procurando alguma coisa no documento que "dê para fazer a multa".
 
Carlos Silva Oliveira em 29/02/2012 08:06:51
Essa foto da igreja é muito linda.
Sr. Higa, disponibiliza essas fotos em algum site pra gente matar a saudade.
Parabéns pelo trabalho.
 
Elisiar Vilmar em 29/02/2012 07:25:45
Trabalho maravilhoso!!!! Vendo essas fotos a gente se lembra que eramos felizes e não sabia!!! Que tempos bons!!!
 
carlos lima em 28/02/2012 09:35:07
Fico feliz que o nosso fotógrafo Roberto Higa tenha registrado os momentos marcantes da nossa cidade, seus personagens e fatos históricos que ajudam a todos a conhecer como era nossa capital e assim poder compreender um pouco da história de Campo Grande sob as lentes e olhares do Higa. Parabéns Higa e muito obrigado.
 
PAULO ROGERIO DE CARVALHO em 28/02/2012 05:23:31
O fotógrafo Roberto Higa, é uma verdadeira autoridade naquilo que faz. No seu acervo existem verdadeiras preciosidades que contam a história da sociedade Campograndense, bem como dos principais fatos da administração política.
 
Valter Antunes de Oliveira em 28/02/2012 04:08:55
Excelente trabalho do Mestre Higa e o toque do gênio Jair, Show de bola.
 
Damasio Junior em 28/02/2012 03:56:48
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.