A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

11/11/2011 15:29

Melhor do mundo está em Campo Grande para festival de street dance

Ângela Kempfer e Francisco Júnior
Dançarinos que vão participar do festival fizerm flash mob na hora do almoço na Praça da Alimentação. (Foto: Francisco Júnior).Dançarinos que vão participar do festival fizerm flash mob na hora do almoço na Praça da Alimentação. (Foto: Francisco Júnior).

Ele é marrento, tem respostas quase malcriadas, mas diante de tantas conquistas internacionais, o B-boy Neguin parece incorporar um personagem da dança de rua.

Veja Mais
Com bugrinhos de Conceição, galeria reúne arte de MS e área ainda atende eventos
Danielle Winits vive Marilyn Monroe em peça que estreia em janeiro na Capital

Na hora do almoço, dentro do shopping Pátio Central, o campeão mundial de break dance fez todo mundo parar e acompanhar os passos e giros do paranaense de nascimento e cidadão do mundo por opção.

Neguin está em Campo Grande para o MS Street Dance, que começa hoje. No shopping, fez a divulgação do evento com a batida do break mesclada a música paraguaia, um carinho à platéia sul-mato-grossense.

Aos 24 anos, o b-boy é um astro do street dance e no ano passado conseguiu o título mundial em Tóquio, na disputa com 18 dançarinos de diferentes países.

Nascido em Cascavel (PR), em família humilde, ele tinha como alternativas encarar o ritmo local - o sertanejo, ou apreender outro som na rua. “Na minha cidade, os caras da minha idade usam bota e chapéu, mas eu escolhi outra coisa para a minha vida”.

A capoeira veio a princípio, já aos 5 anos. “Ganhei agilidade”, lembra. Depois, aos 14, ele passou a pesquisar na internet os passos do street dance. “Via e copiava, daí fui aprendendo”, conta.

Hoje é um dos únicos dançarinos brasileiros com patrocínio fixo. Ele é bancado pela marca Red Bull e mora nos Estados Unidos, apesar de rodar o mundo em festivais, competições e workshops. “Não tenho endereço fixo. Neste ano, vou para a Rússia defender o título mundial”, conta Neguin.

Exceção no Brasil, ele cobra mais apoio dos governos e cita exemplos de como o street dance é tratado em outros países. “Os coreanos ganham 500 dólares do governo como ajuda e em Israel, por exemplo, quando há algum festival, o governo paga passagens e até hospedagem aos participantes”.

B-boy Neguin, de cabeça para baixo.B-boy Neguin, de cabeça para baixo.

No currículo, o brasileiro tem participações em clipes de Justin Timberlake, Madonna e Chris Brown. Mas nem é preciso muita conversa para acreditar que Neguin é bom no que faz. Basta olhar ele em serviço.

Em Campo Grande, o b-boy participa do festival ao lado da namorada, May Secada. Em inglês, ela diz que sempre gostou do Brasil, principalmente, pela capoeira.

A jovem que parece um elástico no palco, mistura capoeira, street dance e até ioga para compor uma forma especial de dançar, mas também faz turnês com grandes artistas como a cantora Fergei, do Black Eyed Peas.

Os dois se conheceram na noite de Nova Iorque e já têm vários trabalhos juntos que serão apresentados durante o MS Street Dance Fest.

O maior evento de dança de rua do Centro-Oeste vai reunir mais de 500 dançarinos, em 30 horas de mostras, oficinas, competições e workshops.

O festival segue até o dia 13 de novembro, no Teatro de Arena do Horto Florestal, a partir das 20 horas.

Os ingressos custam R$ 5 a arquibancada e R$10 a cadeira.

Os interessados devem procurar o quiosque do MS Street Dance Fest, no Pátio Central Shopping.

Veja um dos trabalhos de B-boy Neguin e May Secada.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.