A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

04/07/2012 14:47

Praça Manoel de Barros terá carro de boi para mostrar que poeta é do Pantanal

Paula Maciulevicius
Praça Pantaneira passa por revitalização para presentear os 113 anos da Capital. (Foto: Simão Nogueira)Praça Pantaneira passa por revitalização para presentear os 113 anos da Capital. (Foto: Simão Nogueira)

“Passava os dias ali, quieto, no meio das coisas miúdas e me encantei”. A frase é do poeta Manoel de Barros que há três anos está sentado na praça Pantaneira próximo à prefeitura, lendo um livro, rodeado de animais.

Veja Mais
Danielle Winits vive Marilyn Monroe em peça que estreia em janeiro na Capital
Fim de semana tem Naiara Azevedo e contação de histórias

O banco, os bichos e o próprio Manoel de Barros da estátua serão revitalizados pelas mãos de quem o criou, o artista Levi Batista. Além de uma capivara e dois sapos a mais, foi feito um portal e tuiuiús serão acrescentados. O carro de boi também vai mostrar que o poeta veio do Pantanal.

A previsão de entrega da praça é para o aniversário da cidade. A mão de tinta ali faz parte das obras que serão entregues em comemoração aos 113 anos da Capital. O pantaneiro que menos sai de casa é a figura que o campo-grandense mais coleciona em retratos.

Na foto, poeta de concreto e artista que o criou. Levi Batista está retocando e Manoel ficará belo como poesia, até agosto. (Foto: Simão Nogueira)Na foto, poeta de concreto e artista que o criou. Levi Batista está retocando e Manoel ficará belo como poesia, até agosto. (Foto: Simão Nogueira)

“Não tem local em Campo Grande, nem estátua que seja mais fotografada do que aqui. Eu fico ali só olhando e é gente que chega, senta do lado, dá o braço”, conta Levi.

Os tocos de árvores que estão sendo colocados na verdade servirão para esconder as luzes que na cor verde e azul vão por Manoel de Barros para ser visto de longe.

Os peixes trocam de lago à medida que a reforma chega a um pedaço. Ali próximo do poeta por enquanto eles estão na ausência. Mas em breve voltam para ouvir as poesias de pertinho.

“Quando as aves falam com as pedras e as rãs com as águas - é de poesia que estão falando”.




Só vale lembrar, a quem teve a ideia, que o carro de boi surgiu no Brasil com os primeiros engenhos de açúcar, na época da colonização portuguesa. Existem registros em quase todo o país da existência desse tipo de veículo. Portanto, pode ser um elemento representativo para qualquer estado brasileiro, principalmente os da regiões sudeste e norte. Já a ideia de criar um elemento associativo é boa.
 
Reginaldo de Oliveira em 04/07/2012 05:30:18
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.