A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

30/05/2012 09:54

Rodando com a harpa em um fusquinha, Fábio Kaida quer popularizar o instrumento

Mariana Lopes
“Tenho qualidade e trago novidade”, diz o harpista (Foto: Rodrigo Pazinato)“Tenho qualidade e trago novidade”, diz o harpista (Foto: Rodrigo Pazinato)

As mãos parecem dançar sob as cordas e o som peculiar é difícil ser comparado ao de outro instrumento. E foi com este mesmo encantamento que Fábio Kaida começou uma verdadeira história de amor com a harpa, aos 5 anos de idade, cheia de encontros, desencontros e recomeços.

Veja Mais
Com bugrinhos de Conceição, galeria reúne arte de MS e área ainda atende eventos
Danielle Winits vive Marilyn Monroe em peça que estreia em janeiro na Capital

“Meu pai chegou com ela em casa, colocou no quarto do meu primo e a primeira corda que eu toquei foi esta vermelha”, conta o harpista, refazendo o gesto que nem ele mesmo imaginava que seria tão valioso.

De lá para cá, ele foi convidado a tocar em Rondônia, onde ganhou o primeiro cachê e comprou a própria harpa. Em 1993, foi para o Japão trabalhar e, por falta de tempo, acabou deixando o instrumento de lado. Do oriente, Fábio voltou ao Brasil determinado a ser harpista.

Músico profissional e autodidata, ele conta que estuda de seis a sete horas por dia. “É o meu trabalho, tenho horário para cumprir”. Determinação e dedicação. Este é o segredo de Fábio para conseguir um currículo com participação em músicas de Geraldo Espíndola, Paulo Simões, Bruno e Marrone, e tantos outros artistas que despontam até mesmo no cenário nacional.

Mas o xodó dele é a participação especial no DVD do grupo Tradição, quando Michel Teló ainda era vocalista, em 2007. “Foi aí que ganhei mais visibilidade”, destaca o harpista.

Bingo. Tocamos no ponto X da questão, no qual Fábio tanto luta. Conseguir visibilidade e popularizar o instrumento, que hoje tem pouco acesso ao público. “Em uma orquestra, por exemplo, onde a harpa é mais comum, tem no máximo duas, enquanto o violino tem uns 10. Não dão o espaço que ela merece”, pontua.

O harpista garante que precisa apenas de alguém que invista no trabalho dele. “Tenho qualidade e trago novidade, se alguém apostar em mim, é para ganhar o Grammy Americano”, diz, sem falsa modéstia ou medo de parecer exagerado.

Apesar de a harpa ter raiz na polca, chamamé e guarânia, Fábio arrisca uma bossa nova e, durante a entrevista, toca a clássica “Garota de Ipanema”. A aprovação logo vem do olhar atento e comentários positivos de curiosos que param para ver o que está acontecendo. “Que lindo!”

Fábio toca para o **Lado B** com vista para o Lago do Amor.Fábio toca para o **Lado B** com vista para o Lago do Amor.

Histórias para contar - A harpa de 37 cordas já se tornou a companheira inseparável de Fábio. “Levo até em churrasquinhos na casa de amigos”, conta. Apesar de grande, o instrumento tem espaço garantido e reservado no Fusquinha do harpista.

“Uma vez fomos em quatro pessoas para Cuiabá, coloquei primeiro a minha harpa e depois o resto que se ajeitasse”, conta.

Atualmente, Fábio toca com o grupo Nação Latina e faz shows, na maioiria das vezes, em São Paulo. Ele também toca em eventos privados e festas de aniversário.




Srs.
Por gentileza me envie o contato do harpista Fábio Kaida.
Atenciosamente,
Nanci
 
NANCI CLEIDE RIOS em 06/01/2014 02:08:26
"Já vi e ouvi esse cara tocando!! Ele é simplesmente DDD+++++++!!!!!!Toca muuito e merece reconhecimento nacional!!!Empresários do ramo estão perdendo dinheiro e o povo está perdendo de conhecer o que é música de verdade!!!!!!!Passem aí o telefone de contato para Shows!!"
 
Silvana Gomes em 31/05/2012 12:30:41
Obrigado a Campo Grande News por ter aberto este espaço para a minha arte, obrigado a você Mariana pela sua sensibilidade e obrigado a todos que me dirigiram somente palavras de incentivo e elogios, agradeço a todos por esse apoio maravilhoso só me sinto mais motivado para continuar a minha "missão". Senhores empresários estarei aberto para suas propostas ok!! Procurem a Campo Grande News!!!!
 
Fábio Kaida em 31/05/2012 07:01:59
Esse cara e bom neste instrumento, presenciei varias vezes ele tocando e bom mesmo.
 
Erasmo Acunha em 30/05/2012 11:43:24
parabens esse realmente e um instrumento lindissimo sera que voce poderia deichar seu tel pra contato
 
haroldo nogueira paes em 30/05/2012 11:40:55
Parabéns Fabio Kydo !
Sou admirador da sua arte que ja presenciei e recomendo como sendo de alto nível!
Tocou no meu casamento e ficou eternizado para mim.
Abraços
 
Carlos Eduardo Figueiredo em 30/05/2012 11:12:43
A harpa deverá voltar para o lugar de onde nunca deveria ter saído: da comunidade sul-mato-grossense.
 
edvald miranda silva em 30/05/2012 10:46:36
Parabéns ao CampoGrandeNews, através do Lado B, por suas reportagens "humanistas" e ao músico que resgata e difunde este instrumento belíssimo que valoriza nossa diversidade cultural de MS.
 
Fabio Pellegrini em 30/05/2012 10:44:54
Tenho Certeza Senhor Fábio, que logo seu sonho será realizado, principalmente por termos empresários que querem investir em talentos como o seu, e assim popularizar esse belo instrumento entre tantos talentos que estão a margem do anonimato, principalmente os nossos jovens e adolecentes. Parabéns pela sua bela iniciativa.
 
Jozoel S Gama em 30/05/2012 10:44:10
ja presenciei este artista incrivel tocando, é de emocionar!!
 
noemia gomes em 30/05/2012 10:37:47
PARABÉNS FABIO, ESTE INSTRUMENTO É ADMIRÁVEL, MORO NA FRONTEIRA DO ESTADO COM O PARAGUAY E CURTO MUITO OUVIR ESSES TOQUES. TORÇO PARA Q VOCÊ CONSEGUI ENCONTRAR ALGUÉM QUE INVISTA EM SEU TALENTO PARA MOSTRA´LO PELO BRASIL A FORA E DIVULGAR OS SUCESSOS DO NOSSO ESTADO.
 
MARIA EDINA em 30/05/2012 10:18:21
Fabio! Parabéns pela sua arte, tive oportunidade de te admirar no ano passado.
Procure sua visibilidade no exterior assim como o Victor Espinola , hoje harpista do grande Yanni !
 
Bruno Maddalena em 30/05/2012 06:33:27
Fábio, a sua insistência é valida, porque a música sul-matogressense tem grande influência do nosso vizinho, o Paraguai, onde a harpa é a base principal das suas musicas, e quem nasceu e cresceu na fronteira, nunca esquece das lindas polcas paraguaias, e dessa forma mostrará as crianças, adolescentes e jovens o significado da nossa musica regional, vai em frente que você encontrará apoio.
 
Acelino Soares em 30/05/2012 03:49:00
Ja presenciei ele tocando, toca com a alma e coracao parabéns irmaooo
 
Paulo Klaizer em 30/05/2012 03:36:32
Parabéns Fabio vc merece todo respeito nosso, mesmo para quem foi ao Japão e retornou para junto do seu povo, para divulgar este instrumento que tanto encanta com suas músicas.Vc vai vencer !
 
Cleber Mori em 30/05/2012 01:08:36
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.