A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

05/09/2013 06:55

"Fui ali rapidinho", "é que eu não vi" e as desculpas dos motoristas no trânsito

Paula Maciulevicius
Quando o assunto é blitz, as desculpas crescem e muitas mães são colocadas à beira da morte. Um monte de gente sempre está indo buscar a mãe no hospital, relata. (Foto: Simão Nogueira)Quando o assunto é blitz, as desculpas crescem e muitas mães são colocadas à beira da morte. "Um monte de gente sempre está indo buscar a mãe no hospital", relata. (Foto: Simão Nogueira)

O 'jeitinho' brasileiro nas ruas. O motorista sabe que está errado, mas ao invés de simplesmente admitir, não. Prefere negar ou inventar uma desculpa esfarrapada, daquelas que levam agentes de trânsito, funcionários do parquímetro e até policiais militares a se perguntar: será que eu tenho cara de bobo?

Veja Mais
No "patrimônio" do novo governador há também 3 filhos, 2 deles solteiros
Educada para ser homem, Claire se reconstruiu por cirurgia e virou alvo na UFMS

Os "fui ali só 5 minutinhos" é o campeão, segundo o agente de trânsito Renato Brito Alves, de 35 anos. Nas ruas há dois, ele fala do 'problema' em confundir as cores do semáforo, já que para os motoristas que passaram no vermelho, o sinal sempre está amarelo ainda. Uso de celulares à parte, as desculpas de quem foi 'pego' com o aparelho em mãos também são as mais variadas.

A tendência é negar de primeira. "Mas eu não estava falando, estava só vendo quem ligou. Ou então dizem que estavam só vendo as horas. Mas desconhecem que a infração de trânsito não é falar e sim usar o celular em trânsito", comenta.

Quando o assunto é blitz, as desculpas crescem e muitas mães são colocadas à beira da morte. "Um monte de gente sempre está indo buscar a mãe no hospital", relata.

Uso de celulares à parte, as desculpas de quem foi 'pego' com o aparelho em mãos também são as mais variadas.Uso de celulares à parte, as desculpas de quem foi 'pego' com o aparelho em mãos também são as mais variadas.

O orientador de tráfego, Valdinei da Silva Santos, de 40 anos, é quem começa a rir logo de cara, quando escuta a pergunta do que ele já ouviu de justificativa. A sinalização é clara e o motorista pode até não se lembrar, mas ele desce do carro e precisa 'passar' pelo parquímetro para andar à rua. Ou seja, não tem como ele não ver o reloginho.

"É cada uma, olha as pessoas acham que a gente é burro. Esses dias mesmo chegou um carro com placa de Dourados e quando me viu notificando perguntou o que era o Flexpark que ele nunca tinha ouvido falar. Eu perguntei de qual cidade você é? Quando ele disse Dourados, eu falei você está de sacanagem comigo, porque em Dourados também tem e aliás é até o mesmo dono. Ele ficou todo sem graça", relembra.

No cotidiano de fiscalizar que não conectou o chaveiro no parquímetro, Valdinei sempre chega, para um pouco, dando até chance para o motorista aparecer, mas é só abrir o bloco de notificações que os condutores aparecem e com as mais variadas desculpas. "Ai eu não te vi aí, mas como não me viu? Eu sou invisível agora? Foram só 5 minutinhos... Mentira, o cara estava era comendo salgado na lanchonete", conta.

Agora o que chega até tirar gente do sério é ouvir motorista dizer que não conhece o parquímetro. "Até quem anda à pé sabe. É que eles acham que a gente multa, mas não. Isso é só uma notificação, mas neste trabalho a gente ouve tanta besteira", desabafa.

Ai eu não te vi aí, mas como não me viu? Eu sou invisível agora?, brinca o orientador de tráfego Valdinei."Ai eu não te vi aí, mas como não me viu? Eu sou invisível agora?", brinca o orientador de tráfego Valdinei.

Policial de trânsito há 10 anos, o sargento Adilson Soares de Oliveira, de 38 anos, já escuta o que o brasileiro tenta empurrar como verdade. "Todo mundo faz". Quando a história é falta de documentos como licenciamento e a própria carteira de habilitação, se ouve que a condição está difícil ou então que falta tempo.

"Existe também os que sempre estão indo acudir alguém doente, ou os próprios condutores, geralmente mulheres, que dão a desculpa de que estão grávidas e passando mal", completa.

Um caso em especial ele guarda na cabeça até hoje. De um condutor que tinha todos os documentos no bolso, exceto a CNH. "O cidadão inha tudo, até carteira de reservista e de trabalho e não estava com a CNH, veio dizendo que justamente aquele documento ele tinha esquecido na casa da sogra".

A clássica das ruas são as promessas, diz ele. "Se você me liberar hoje, eu prometo que amanhã ou então semana que vem eu te mostro. Eu pago, eu tiro... Essa não cola", adverte.

Mas a melhor das histórias é do policial militar Paulo Alberto Doreto. No caso não foi nem a desculpa que era esfarrapada, mas a justificativa verdadeira, embora errada, de um motorista para o excesso de velocidade foi de tamanha criatividade que vale fechar a matéria.

"Era serviço na avenida Afonso Pena quando um Minicooper passou a trocentos por hora. Nós fomos atrás, a gente só conseguiu abordar na altura da Cigcoe quando ele já estava voltando. Fechamos a via, aí ele parou. Quando eu abordei ele disse que tinha acabado de comprar o carro e que antes tinha um Camaro que não corria o tanto que ele queria. E naquele dia ele estava vendo se o Minicooper corria o suficiente para agradá-lo". O condutor, claro, teve o carro apreendido e a CNH tomada pelos policiais.



Sou policial militar e gosto do que é certo, mas presenciei um fato na area central em frente a escola Joaquim Murtinho que me deixou p*** com um funcionário do parquimetro pela desigualdade do mesmo. Eu estava estacionado na Afonso pena em frente ao colégio e havia um veículo humilde na frente com crédito no parquimetro ,em seguida estacionou um carro de reportagem do SBT MS na vaga de trás e não colocou crédito, momento este que veio o funcionário verificando os parquimetros, quando chegou ao carro da frente já havia acabado os créditos, e quase ao mesmo tempo chegou a proprietária deste veículo uma idosa indagando ao funcionário que havia colocado crédito mas infelizmente passou á hora que ela achava que daria tempo, não teve jeito e a idosa foi notificada......continua
 
Maykon Ribeiro de Oliveira Palacio em 05/09/2013 22:59:34
EIS ALGUNS: 1º-A PREFEITURA É POUCO PROATIVA QUANTO AO TRÂNSITO E AINDA PÕE ESTA FLEXPARK LIMITADA, PARA ARRECADAR NOS ESTACIONAMENTOS. 2º- O DENATRAN DIVULGOU A FROTA DOS MUNICÍPIOS: CAMPO GRANDE (453.531), CUIABÁ (318.659) E VÁRZEA GRANDE (119.659), SENDO QUE AINDA SOMANDO OS DOIS ÚLTIMOS, É INFERIOR AO DAQUI. 3º AQUI NO BRASIL, O TRÂNSITO DEVERIA SER MATÉRIA BÁSICA DESDE O PRIMEIRO ANO DE ENSINO. A REALIDADE NOSSA, NA MAIOR PARTE DOS CASOS, SOMENTE TOMAMOS CERTA NOÇÃO, QUANDO PRECISAMOS DE UMA AUTOESCOLA, SENDO QUE É UMA ÍNFIMA PARTE DE UM GERAL !
 
josé airton recalde em 05/09/2013 21:53:45
Eu entendo que função dos Agentes de Trânsito é trabalhar para garantir e proporcionar um trânsito seguro, ou seja evitar acidentes e mortes preservando vidas. Mas o que acontece é que a maioria desses agentes são estressados e passam a tratar a todos como inimigos e considerando que todos são errados. Para exemplificar, cito um fato que me aconteceu "Me carro foi deixado na concessionária no dia 10/12/2012 pela manhã e saiu em 11/12/2012 às 17:00 horas. No mesmo dia 10 às 16:39 horas esse veículo foi multado, porque eu estava dirigindo usando o celular. Foi a concessionária peguei os documentos comprobatórios e anexei ao recurso e o meu pedido foi negado". Ou seja, além de metidos, arrogantes são pessoas perfeitas que não erram, pois a Agetran não admitiu o erro do agente e me penalizou.
 
PAULO FERREIRA DE OLIVEIRA em 05/09/2013 21:33:27
Caros Márcio, Marilene e Agda realmente em Cuiabá eles não discutem no trânsito, matam logo. Testemunhei três mortes por briga no trânsito, uma na Av. do CPA onde um Tenente do Exército foi morto a tiros, na Fernando Correa com Alziro Zarhur-UFMT um motoqueiro deu dois tiros em um cara de carro e outro na Getúlio Vargas da mesma forma, então não é bem assim como vcs dizem, morei 8 anos lá e não está diferente daqui.
Nada contra a cidade de Cuiabá, o que falta é EDUCAÇÃO E AMOR AO PRÓXIMO!
 
Luciano Silgueiro em 05/09/2013 20:10:56
O pior é a quantidade de motoqueiros transportando mulheres e crianças - até mesmo recém-nascidas - sem nenhuma proteção!!! É a irresponsabilidade imperando diante de uma Capital que não possui policiais de trânsito, muito menos amarelinhos, de prontidão em nossas ruas!!!
 
nilo maciel em 05/09/2013 19:08:24
Por que esse amarelinho não vai ajudar idosos a atravessar rua??? Fiscalizar parquímetro é muita falta do que fazer...
 
Anita Ramos em 05/09/2013 17:36:58
Barbaridades afora, passou da hora de se cobrar dos supermercadistas, que observem em seus estabelecimentos, a utilização das vagas destinadas à cadeirantes fazendo-se cumprir a lei pois tem muita gente que dirige mas não sabe ler placas.
 
Suzi da Costa em 05/09/2013 16:13:23
Os comentários da Agda e Marilene são pertinentes. Sou nascido em Campo Grande, resido em Cuiabá a mais de 10 anos e sempre que retorno à CGR me impressiono com a quantidade de acidentes. Em Cuiabá, mesmo com o caos atual devido às obras de mobilidade para a Copa do Mundo, a impressão que tenho é que ocorrem menos acidentes do que em CGR. Quanto ao estacionamento regulamentado da FlexPark não emplacou por aqui e continua sendo usado o velho sistema manual de venda de talões que, na minha opinião, é injusto porque se usar apenas 10, 30, 40 min ou 1 hora é o mesmo preço, enquanto o sistema informatizado cobra somente pelo tempo real utilizado. O sistema manual é fácil de ser burlado, restringe a rotatividade e garante a impunidade onde não há civilidade. Neste ponto Cuiabá precisa evoluir.
 
Márcio Roberto de Araújo em 05/09/2013 14:40:00
PQ ESSES AGENTES DE TRANSITO NAO DAO AZIA PARA OS FLANELINHAS QUE ESTAO EM TOOOOODA PARTE NO TRANSITO DE CG EXIGINDO GRANA DE NOS PARA FINGIREM QUE ESTAO TRABALHANDO E PROTEGENDO NOSSOS VEICULOS???E A FLEX PARK ??ALEM DE PAGARMOS PARA DEIXAR NOSSOS VEICULOS NUMA VAGA NA RUA (PUBLICA) TEMOS QUE PAGAR O FLANELINHA...PQ A FLEX NAO FAZ NADA A RESPEITO????
 
rafael riveros camargo em 05/09/2013 14:24:15
Marilene Schueller gostaria de conhecer essa Cuiabá a qual se refere! Estive lá a pouco tempo e o que mais vi foram acidentes e confusões no trânsito, especialmente devido às obras da Copa o trânsito lá está bem confuso. E presenciei um motoqueiro "dono da rua", que saiu costurando entre os veículos e bateu em um deles, amassou e arranhou o carro e o piloto simplesmente subiu na moto novamente e foi embora, deixando o dono do carro desesperado.
Posso citar outro exemplo de cidade onde o trânsito é terrível: Goiânia, onde ninguém dá a seta como aqui em Campo Grande;
 
Rita Brum em 05/09/2013 14:10:47
POIS E NA HORA QUE VC PRECISA DE UM AGENTE DE TRANSITO KD ELES,ESTA SEMANA EU GOSTARIA DE ESTACIONAR 14 DE JULHO PROXIMO A DOM AQUINO ,NAO PUDE POIS EXESTIA 03 CARRETAS DESCARREGANDO MERCADORIAS NAS LOJAS PERNANBUCANAS E NA FAIXA DA DIREITA 02 CAMINHOES BAU NA CYTI LAR , PROSSEGUI ENTAO PARA MAIS A FRENTE ME DEPAREI COM 03 CAMINHOES BAUS DE COLCHOES ORTOBOM E BRICANDEIRA UMA COISA DESSA?E KD OS AGENTES PARA COBRAR O PARKMETRO DESSE POVO?E SO NOIS QUE TEMOS QUE PAGAR ?
 
FERDNANDO COUTINHO em 05/09/2013 13:51:26
JA VI TAMBEM ESSES AGENTES DE TRÂNSITO ,FURAREM SINAL ESTACIONAR EM LUGAR PROIBIDO.
 
Roberto nunes em 05/09/2013 13:20:55
É ABSURDO ESSE TRÂNSITO DE CAMPO GRANDE, DA NOJO DIRIGIR AQUI. TODO BRASIL É MAL EDUCADO, MAIS CAMPO GRANDE COM CERTEZA É UMA DAS PIORES CIDADE . É UNS MOTORISTAS SUPER MAL EDUCADOs NO TRÂNSITO , NÃO TEM RESPEITO ,CIDADANIA, RESPONSABILIDADE. O QUE FALTA AQUI É ESSES AMARELINHO E OS GUARDAS DE TRÃNSINTO SEREM MAIS PRESENTE NAS RUAS. NÃO SEI QUE QUE ESSE PESSOAL FAZ ,QUASE NÃO VEJO, A NÃO SER NO CENTRO DA CIDADE
 
Roberto nunes em 05/09/2013 13:19:25
QUE NEM DIZ A MUSICA DO NEI MATO GROSSO, SE CORRER O BICHO PEGA, SE FICAR O BICHO COME, ESSE E O NOSSO PAIS.
 
carlos paiva em 05/09/2013 11:57:51
Vocês deveriam fazer uma matéria sobre as infrações da Agetran e da Polícia. Estacionar em local proibido, furar sinal vermelho sem necessidade, andar na contra-mão, fazer conversão errada, entre tantas outras. Quem vai fiscalizar e multas esses motoristas?
 
Selma Lopes em 05/09/2013 11:32:14
E as desculpas dos amarelinhos pr'aqueles flagras que há tempos circulam pelas redes sociais (estacionamento irregular, só pra ficar num exemplo)? Será que também não merecem uma matéria?
 
Franz de Franz em 05/09/2013 11:02:28
São tantas infrações que se me dessem um bloco de multas, eu dobraria a arrecadação do município.
 
RODRIGO FERREIRA em 05/09/2013 11:00:18
Ola AGDA,concordo com vc ,mas em CUIABÁ,as coisas são mto diferentes meu cunhado dirige lá a mais de 30 anos e nunca bateu ou abalroou alguém ou foi vitima ,os motoristas em CUIABÁ são parceiros dirigem para eles respeitando os outros ate pq no centro as ruas mal dão passagem para um carro imagina vc dirigir como se fosse o dono da rua iria ter tiro pra td que é lado ................coisa que aqui é comum ,tiros ,palavrões tapas e baixarias .........aqui tem é que obrigar tds os motoristas a voltarem para A ESCOLA DE BOAS MANEIRAS .
 
Marilene Schueller em 05/09/2013 10:23:31
No domingo passado vi um motorista de uma S10 prata cruzar três faixas sem dar seta, furar o sinal vermelho e estacionar a menos de 5 metros da guia e EM FILA DUPLA ligar o pisca alerta e entrar em uma loja no centro. O mais incrível é que na traseira tinha os seguintes dizeres "CAMPO GRANDE CAPITAL DOS BURACOS E DAS MULTAS"
O que falta é multa ai as pessoas se conscientizam do transito.
 
Alex andré de souza em 05/09/2013 09:42:07
ISSSO QUE É ROUBAR HONESTAMENTE, so aumenta as vagas FLEX PARK e não há investimentos, ninguém quer vender credito no centro, as vez vc anda mais de 10 minutos para comprar créditos correndo o risco de multa, ou chaveiros com defeitos que vc coloca credito e usa 30 min e depois não funciona mais,, FLEX para enganar melhor, pelo menos pintar as faixas de estacionamento que não existem mais sinalização ...ou PUBLICA ONDE É GASTO O DINHEIRO QUE ESSES FLANELINHAS MODERNOS APLICAM POR TOMAR DINHEIRO DE UMA RUA PUBLICA.
 
antomio arantes em 05/09/2013 09:31:29
Excelente reportagem, realmente a grande maioria dos motoristas não respeitam as leis de transito, o verdadeiro jeitinho brasileiro. O pior de tudo é que essas pessoas são as primeiras a buzinarem e xingarem quando estão diante de outros motoristas que estão fazendo algo errado, porém, não lembra que eles tb fazem. Agora é muito bonito só criticar as pessoas, é preciso também fazer uma reportagem sobre o que os AGENTES DE TRANSITO NÃO FAZEM, eles pensam que só estão nas ruas para multar. Já passei por vários lugares, onde os sinais não estavam funcionando e o transito estava um caos e viaturas da AGETRAN passavam pelo local e sequer paravam a viatura para orientar o transito, passavam direto como se não tinham visto nada, pior ainda nas rotatórias que ficam só conversando e não fazem nada.
 
rafael martins em 05/09/2013 09:25:38
Campo Grande é uma das cidades que mais tem "barbeiros" no transito, além de não saberem dirigir direito , ainda desconhecem ou tentam burlar regras básicas de transito, tem que multar mesmo sem dó !!
 
João da Silva em 05/09/2013 09:20:54
Concordo com você Guillerme Signori, na correria do dia a dia até esquecemos que o prazo de 2 horas passou, e outra coisa já pagamos tanto imposto e mas essa de Flexpark que não te da direito nenhum (se riscar,bater, roubar), e mas um meio de arrancar dinheiro do cidadão, la em Cuiabá a população não aceitou fizeram protesto, e não deixaram colocar. Não sei agora se conseguiram.
 
Agda Aparecida em 05/09/2013 08:49:42
Vamos cobrar o estacionamento nas vagas dos idosos. Assim os mais jovens vão respeitar mais estas vagas. Muitos a utilizam por ser gratuitas. Mesmo idosos, muitas vezes com valiosos carros, a utilizam por várias horas, sem pressa, pois são gratuitas.
 
Leny Campos em 05/09/2013 08:46:27
Tem de tudo mesmo, isso que esse camarada falou é muito certo, certíssimo, só que ele esqueceu de dizer que ele fica multando sorrateiramente, ele espera acabar o horário para aplicar a multa,fica de plantão ao lado do parquímetro, pois eu presenciei este fato.Ele disse que não multa,quem multa é a Senhora Katia diretora do Agetran, pura mentira pois a multa veio sem do nem piedade. então dizem que tem 10 minutos de tolerância pura balela, este tal parquímetro tinha que sumir daqui da nossa cidade e mais uma ladroeira, tipo inspeção veicular, outra roubalheira que logo, logo vai se instalar aqui. ain
 
João Teixeira Júnior em 05/09/2013 08:41:19
Flexpark é complicado porque a pessoa compra créditos, mas não pode aplicar mais do que 2 horas, aí quem trabalha 4 horas precisa sair no meio do serviço senão leva multa. Claro, se a pessoa acabar esquecendo porque está ocupada trabalhando, não adianta recorrer de multa nem nada. Aí fica complicado mesmo...
 
Guilherme Signorini Feldens em 05/09/2013 08:00:59
imagem transparente

Compartilhe


Copyright © 2014 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.