A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

29/05/2015 06:12

A cada reportagem sobre gays, barbaridades e ameaças surgem na nossa timeline

Ângela Kempfer e Naiane Mesquita
O ator Neil Patrick Harris e o esposo.O ator Neil Patrick Harris e o esposo.

Para conhecer o nível do radicalismo em Campo Grande, basta publicar uma reportagem sobre algum assunto que envolva homossexualidade e depois postar no Facebook. Ou você é atacado pelos gays ou pelos homofóbicos. Não tem solução.

Veja Mais
A pé, Tulia faz percurso de 10 km até biblioteca onde aprendeu a ser feliz
Passada "nuvem negra" que trouxe o câncer, rosa tatuada no braço une 4 mulheres

A enxurrada de comentários agressivos é certa. A última prova disso ocorreu nesta semana. Primeiro, quando ressuscitaram uma reportagem de 2013 que apresentava o óbvio: hoje na balada tem muito mais menino procurando menino do que menino em busca de menina. 

Ao mesmo tempo que criticam a violência que sofrem, tem homossexual que se refere as entrevistadas da matéria em questão como "escrotas, encalhadas, que culpam os gays por não acharem homem na noite". Culpem? Oi? Ninguém mais tem bom humor neste mundo?

Depois, na quarta-feira, em matéria sobre perfil do Instagram para divulgar lindas cenas de afeto entre homossexuais, novamente a histeria, mas dos machões.

Ficamos chocados com a violência, e olha que já estamos acostumados com reações de todo o tipo, inclusive, de ameaças a repórter e as filhas dela de estupro por "incentivar" tais comportamentos ou por ser preconceituosa (já aconteceu 2 vezes aqui no Lado B).

A conclusão que chegamos é que os ânimos atingiram tal ponto de tensão que é melhor calar a boca. Tirar o assunto da pauta, fazer como toda a imprensa sul-mato-grossense faz, falar da questão apenas no Dia do Orgulho Gay ou na data de combate a homofobia.

Mas como quem discrimina tem demonstrado um descontrole bem maior e perigoso do que o dos intelectuais da bandeira arco-íris, ainda vamos insistir no assunto.

Se o projeto que criminalizava a homofobia tivesse sido aprovado, por exemplo, metade dos comentaristas de Facebook poderia parar na cadeira, com pena de até 5 anos de reclusão.

A proposta, apresentada em 2005, alterava a Lei do Racismo, que prevê punição para discriminação ou preconceito por causa de raça, cor, etnia, religião ou nacionalidade. Caso houvesse aprovação, seriam incluídos gênero, sexo, orientação sexual ou identidade sexual.

O fato é que, graças ao Senado, que arquivou o projeto, essas pessoas continuam destilando ódio sem medo. Nem o “politicamente correto” impede comentários do tipo: “Esse lixo novamente”, “Vou vomitar”, “Isso é doença”, “Comentar sobre esses lixos é perda tempo gente, não adianta discutir com gays e lésbicas”.

Tem gente tão fora da casinha que compara a homossexualidade com sacanagens super nocivas ao País. “O Brasil hoje gira em torno da corrupção e desse tipo de assunto.” Isso sem falar dos que classificam tais reportagens como "lixo", "falta de assunto" e "palhaçada".

A impressão é de que só falta oportunidade para uma pessoa dessas quebrar ao meio um gay ou uma lésbica.

Mas é bom ficar esperto. Nós temos atualmente em Mato Grosso do Sul Lei de Combate à Discriminação por Orientação Sexual. Não é uma lei de aplicação penal, mas a pessoa pode ser enquadrada na prática discriminatória e responder procedimento administrativo. Para isso, é preciso que os ofendidos, mesmo que não diretamente, façam uma denúncia pelo serviço disque 100.

Se for punido, o responsável pelo comentário pode ser impedido de participar de concursos públicos estaduais ou se inscrever em licitações.. Pode parecer pouca coisa, mas como emprego público é o objeto de desejo da atualidade...já é um começo.

E tem mais. Recentemente, pelas mesmas declarações homofóbicas, o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) foi condenado a pagar R$ 150 mil ao Fundo de Defesa dos Direitos Difusos.

Nesse caso, a ação civil pública foi ajuizada pelo Grupo Diversidade Niterói, Grupo Cabo Free de Conscientização Homossexual e Combate à Homofobia e Grupo Arco-Íris de Conscientização, a partir de declarações do parlamentar ao programa CQC, da TV Bandeirantes, no dia 28 de março de 2011. Demorou, mas este ano a punição veio.

A juíza responsável pela sentença considerou que “não se pode deliberadamente agredir e humilhar, ignorando-se os princípios da igualdade e isonomia, com base na invocação à liberdade de expressão"

Na ocasião, Bolsonaro, entre outras declarações, afirmou que não "corre risco" de ter um filho gay por ter sido um pai presente.

Ou seja, se isso virar praxe por aqui, muita gente vai ter de vender a casa para pagar a conta à Justiça.
A Constituição Federal brasileira não cita a homofobia diretamente como um crime, mas define como “objetivo fundamental da República” (art. 3º, IV) o de “promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade, ou quaisquer outras formas de discriminação”.

“Agora o que existem são outras propostas no Congresso, que complementam as leis já em vigor, tornando o crime contra a orientação sexual um agravante”, explica Júlio Valcanaia, presidente Comissão da OAB contra Homofobia. "Sou favorável a uma lei específica de criminalização da homofobia, o que nós tínhamos no Congresso era o mais próximo disso e foi arquivado", reforça.

Se, ao menos, isso passar, toda vez que algum crime for cometido por conta da discriminação, o responsável será punido de maneira ainda mais severa.

Se alguém quiser motivo para denunciar gente homofóbica, basta acompanhar os comentários postados na página do Campo Grande News.




Sinceramente, tenho certeza que tem pessoas imbecis mandando um monte de besteiras ao Campo Grande News, porem me desculpem, mas acho que o proprio site do Campo Grande News trata esse assunto com um pouco de preconceito e banalização, fazendo materias com titulos como "saindo do armário", isso é extremamente ofensivo aos homossexuais, assim como nas materias sobre gordinhos existe um certo desleixo da pessoa que faz a materia, utilizando palavras que ofendem, sei que meu comentário não será publicado, mas atentem-se e revejam as materias que sairam até agora e façam uma auto analise sobre como o assunto foi exposto.
 
Max em 29/05/2015 12:50:52
Uma prova de que tudo se resume a velha e maldita luta de classes marxista, mascarada como "luta das minorias":

http://s2.postimg.org/69xu395mx/lidia004.png

Não importa o que se faça, não importa se tudo foi aceito, a agenda vai prosseguir até que nada reste de espaço para o livre pensamento. Qualquer manifestação que não esteja de pleno acordo com as normas de pensamento politicamente correto será "homofobia", "preconceito", "racismo", "intolerância", não importa se você simplesmente muda o canal da tv quando começa alguma cena que não lhe interessa. Isto também será considerado "intolerância" ou "homofobia" no mesmo nível de um maníaco que agride um homossexual.
 
Luis Miguel em 29/05/2015 11:31:15
E Antônio Gramsci sorri no inferno, junto com os demais membros da Escola de Frankfurt. A revolução silenciosa que ele e seus asseclas planejaram funcionou perfeitamente. A luta de classes, que antes era delimitada pela classe econômica (proletários x burgueses) foi exitosamente transferida (ou modificada) para as lutas de gênero, sexo, etnias e etc. Agora vemos os gays sendo usados como "bucha de canhão" na incitação de um conflito com os heterossexuais. Qualquer um com mais de dois neurônios percebe que muitos dos discursos ou atitudes supostamente dos gays são promovidas pela MILITÂNCIA (com pleno apoio midiático) no claro intuito de provocar, incitar uma reação, sob o pretexto de "luta por direitos". Quem não percebe a cilada cai direitinho, e dá mais munição para o ciclo continuar.
 
Luis Miguel em 29/05/2015 11:22:00
acredito que o problema não seja ser homofóbico, o problema é expor ódio travestido de opinião!
Guarde o seu preconceito, e se vc achar que não é preconceito e sim opinião, faça o seguinte: guarde a sua opinião, porque ninguém é obrigado a saber o que vc pensa.
Vc é responsável pelo ódio que propaga!
 
JESSICA MACHADO GONÇALVES em 29/05/2015 09:51:47
Mas é bom ficar esperto. Nós temos atualmente em Mato Grosso do Sul Lei de Combate à Discriminação por Orientação Sexual. Não é uma lei de aplicação penal, mas a pessoa pode ser enquadrada na prática discriminatória e responder procedimento administrativo. Para isso, é preciso que os ofendidos, mesmo que não diretamente, façam uma denúncia pelo serviço disque 100.

Se for punido, o responsável pelo comentário pode ser impedido de participar de concursos públicos estaduais ou se inscrever em licitações.. Pode parecer pouca coisa, mas com como emprego público é o objeto de desejo da atualidade...já é um começo.



Viu por que as pessoas começam a se sentir "incomodadas" com isso.




 
Pensativo em 29/05/2015 08:52:14
A conclusão que chegamos é que os ânimos atingiram tal ponto de tensão que é melhor calar a boca. Tirar o assunto da pauta, fazer como toda a imprensa sul-mato-grossense faz, falar da questão apenas no Dia do Orgulho Gay ou na data de combate a homofobia.

Viu! você mesmo já concluiu isso! A vida é escolha, escolha ir para o trabalho e ser feliz, ou vou pro trabalho escrever sobre os homossexuais e ficar sendo atacado por todos os lados.

os HETEROSSEXUAIS (também conhecidos como HOMOFÓBICOS, quando estes não apoiam esses movimentos quando extrapolam o limite) que são a grande maioria não está interessada nesse assunto. Como posso afirmar isso. É exatamente o que está escrito na reportagem.



 
Solucionador em 29/05/2015 08:46:27
O que é um homofóbico? Nunca vi um andando pela rua. O que eu vejo são pessoas normais com opiniões. Mas se a opinião não for EXATAMENTE o que o grupo LGBTQ pensa que é o "certo" então SURGE O HOMOFÓBICO.

Homofóbico do ponto de vista do homossexual = qualquer pessoa que não concorde com ele!.

E o autor do texto diz , "basta publicar uma reportagem sobre algum assunto que envolva homossexualidade e depois postar no Facebook. Ou você é atacado pelos gays ou pelos homofóbicos. Não tem solução."

Se você ESCREVE PARA AS PESSOA e as pessoas NÃO GOSTAM DO QUE FOI ESCRITO, a culpa É DAS PESSOAS ou OU DE QUEM ESCREVEU?

Se eu não gosto de PAGODE, eu não vou onde toca pagode
Se eu não gosto de Rock, eu não vou onde toca rock
Se eu não gosto de algo eu não faço.

 
Solucionador em 29/05/2015 08:37:58
É bem isso mesmo, bando de falsos moralistas. Percebo isso nos pequenos detalhes, quando por exemplo uma rádio faz uma enquete do gênero a população mostra sua cara e sempre querem colocar a "Bíblia" na história. Paremmmmm com isso, se é para falar de bíblia sigam ela inteira, quero ver conseguirem. A opinião de vocês "população preconceituosa" não mudará minha vida, c... e ando pra isso. Sou gay, trabalho, sou concursado, ganho bem, tudo mérito meu que é muito mais importante do que ser gay. Cuidem da vida de vocês. O que eu como, bebo, faço, vivo, só interessa á mim. Se for para recriminar reportagens sobre os gays, então que seja proibida também reportagens sobre: Casamentos entre primos, casamento entre evangélicos, etc... isso me choca, e daí? Por favor né? Acordaaaaaaaaa Brasil.
 
Elias_Netto em 29/05/2015 08:21:00
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.