A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

21/10/2016 06:21

Amiga de aluguel, Dalva cobra para acompanhar de consulta médica ao cinema

Naiane Mesquita
Dalva é bióloga, mas decidiu  mudar de carreira e seguir no personal friend (Foto: Naiane Mesquita)Dalva é bióloga, mas decidiu mudar de carreira e seguir no personal friend (Foto: Naiane Mesquita)

Bióloga por formação e comunicativa naturalmente, Dalva Oliveira decidiu aos 48 anos ser personal friend, ou seja, uma amiga sob encomenda. O serviço é voltado especialmente para pessoas de todas as idades que queiram uma companhia para passeios, bate papo, leituras ou uma ida ao shopping.

Veja Mais
A pé, Tulia faz percurso de 10 km até biblioteca onde aprendeu a ser feliz
Passada "nuvem negra" que trouxe o câncer, rosa tatuada no braço une 4 mulheres

O público-alvo são idosas solitárias, mas Dalva não tem preconceitos. Segundo ela, essa vocação de fazer amizade e cuidar dos outros é nata. "Eu tirei minha vida para ajudar as pessoas, eu faço esse trabalho de doação do meu tempo. Então quando chegou a crise, talvez passageira ou não, decidi começar com o personal friend", afirma Dalva.

Dalva oferece diversos serviços de acompanhamento, principalmente para idosos (Foto: Naiane Mesquita)Dalva oferece diversos serviços de acompanhamento, principalmente para idosos (Foto: Naiane Mesquita)

A profissão de bióloga ela manteve por um tempo, além de dar aulas substitutas de vez em quando. "Eu já trabalhei em empresas, parei de trabalhar na época porque eu tinha que cuidar de casa e não conciliava em casa porque era horário integral e eu tenho três filhos, sendo que na época eles eram adolescentes, estavam naquela fase de sair, eu buscava eles, chegava acabada no trabalho", ressalta.

O baixo salário também foi decisivo para deixar de lado o emprego. Mesmo especializada em Saúde Pública e Ação Comunitária, com outra pós em andamento, a de pesquisa forense, Dalva teve dificuldade em encontrar um ofício que valesse a pena. Então, longe da biologia desde 2002, ela seguiu a intuição.

"Eu faço terapia com a doutora Maria da Gloria Guimarães, que é voltada pela psicologia analítica e tive uma consultoria com a doutora Silvana Paschoal Sisti, de desenvolvimento em carreira com psicodrama e psicológica especialista em gestão de pessoas. Elas me ajudaram a ver a minha vocação", explica.

Morando em Campo Grande, ao lado da filha, estudante de direito e o marido, procurador da justiça aposentado, Dalva está disposta a buscar e deixar em casa os novos "amigos". "Porque eu não faço uma coisa que vai unir o útil ao agradável, eu uso meu tempo que eu fico sasaricando o dia inteiro, vou em posto, levo no INSS, porque não usar isso para o meu trabalho. Esse é o meu perfil, o que eu gosto de fazer", acredita.

Na lista de serviços que Dalva pode acompanhar tem espaço para consultas médicas, dentista, fisioterapia, shopping, supermercado, teatro, eventos, aniversário e até um cineminha. "Porque eu não estou invadindo uma área, tem gente que pensa que eu sou cuidadora, mas é diferente, eu sou personal friend. Tem muitas mulheres em uma faixa-etária que não dirigem, os filhos não deixam dirigir, não deixa pegar ônibus porque é terrível pegar ônibus, é alvo, ninguém dá lugar, problema de mobilidade", cita.

O preço em média do serviço é de R$ 30,00 a hora, sendo que é possível uma maleabilidade de acordo com as necessidades. "Depende de cada cliente, posso fazer um pacote com três ou quatro horas. Porque cada caso é um caso e depende da necessidade de cada cliente. porque tem uns que não vão utilizar o carro", indica.

Quem quiser contratar a Dalva, o telefone de contato é (67) 99937-8705. 




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.