A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

02/10/2016 12:42

Aniversariante, adolescente esperava mais pela eleição do que pelos 16 anos

Paula Maciulevicius
Radiante, Anny estava feliz em votar pela primeira vez no dia do aniversário. (Foto: Marcos Ermínio)Radiante, Anny estava feliz em votar pela primeira vez no dia do aniversário. (Foto: Marcos Ermínio)

A comemoração dos 16 anos não foi com festa e sim nas urnas. Ansiosa para a chegada deste domingo de eleição, a adolescente Anny Karine estava na contagem regressiva mais pela eleição do que pelo aniversário. De presente, ganhou o título de eleitor e o direito de escolher seus representantes na cidade.

Veja Mais
Aos 56 anos, Márcia é parceira do filho do tênis de LED ao Pokémon Go
Papai é a estrela, mas Mamãe Noel pode fazer toda diferença no Natal

Aniversariante do dia, Anny se tornou eleitora diante das urnas no meio da manhã deste domingo, na escola municipal Hércules Maymone, no bairro Nova Lima, em Campo Grande. 

A vontade de votar acompanha a estudante desde pequenininha. "Eu sempre quis, vinha com a minha mãe para apertar o botão e quando tive a primeira oportunidade, fiz o título", explica Anny Karine da Silva Lima. 

Com a ideia de votar desde quando ainda não se é uma obrigação, Anny trazia consigo o sentimento de querer ajudar a cidade, de alguma forma. Em casa, aprendeu a acompanhar programas políticos e tem critérios rígidos na hora de levar em conta o candidato. "Ele não deve atingir ao próximo e preciso conhecer o trabalho", diz. 

Junto da mãe Jeane e da irmã, Júlia, ela dizia o que esperam de um candidato. (Foto: Marcos Ermínio)Junto da mãe Jeane e da irmã, Júlia, ela dizia o que esperam de um candidato. (Foto: Marcos Ermínio)

Na companhia da mãe, a monitora e estudante de Direito, Jeane da Silva Marçal, de 31 anos, as duas dizem que é preciso avaliar quem pode fazer algo pela cidade e população e não só olhar para o próprio umbigo. 

"A comunidade não pode ficar em segundo plano, os mais antigos só querem permanecer no poder e compram voto. A gente fica sabendo de quem está distribuindo aí 2 mil reais", exemplifica a mãe. 

Radiante, Anny exibia o título como um troféu. "É porque é novidade", justifica. E se o ânimo de agora permanecerá? Só o tempo pode dizer... "Acho que se meus candidatos ganharem, acredito que sim". 

Para a mãe, a felicidade era de ver uma filha preocupada mais com o futuro de todos do que a festa em si. "Ela estava mais ansiosa para votar, antigamente contava: falta uma semana, três dias para o meu aniversário. Esse ano não, foi diferente", resume a mãe.

Curta o Lado B no Facebook.

Novidade, votar pela primeira vez lhe trouxe mais felicidade do que fazer aniversário. (Foto: Marcos Ermínio)"Novidade", votar pela primeira vez lhe trouxe mais felicidade do que fazer aniversário. (Foto: Marcos Ermínio)



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.