A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

30/01/2014 12:29

Ano começa melhor para transexual que vai poder usar banheiro feminino

Ângela Kempfer
Ano começa melhor para transexual que vai poder usar banheiro feminino

No ano que passou, Isabelle Abrego ficou conhecida por uma luta inglória até então: ser chamada pelo nome social e usar o banheiro feminino na escola. Como nasceu homem, mas sempre se sentiu mulher, a vida ficou complicada aos 17 anos ao assumir que é transexual.

Veja Mais
Aos 17 anos, ele virou ela e agora luta pelo direito de usar o banheiro feminino
Astrologia védica mostra o futuro, mas também ensina a aceitar o destino

Mas 2014 começou bem melhor. Depois de abandonar o colégio Joaquim Murtinho na metade de 2013, resolveu agora encarar o EJA (Educação de Jovens e Adultos) e teve a feliz surpresa de não enfrentar qualquer resistência na hora da matrícula. “Ninguém perguntou nada, o documento foi feito com o meu nome social e na parte do sexo aparece feminino”, comemora.

Assim, ela vai poder, finalmente, usar o banheiro feminino. “Acho uma besteira essa conversa de banheiro. Na maioria das casas, tem um banheiro só para homens e mulheres. Nas escolas, os sanitários são separados, tem portas. Não há motivo para tanta polêmica”, argumenta.

Decreto do governador André Puccinelli, publicado em julho de 2013, permite que travestis e transexuais utilizem o nome da orientação sexual em escolas, postos de saúde e Boletim de Ocorrência.

O registro civil, com o nome masculino, ainda vai aparecer na chamada, mas o social também estará lá, um ao lado do outro, o que deixa nas mãos dos professores a decisão de chamá-la da forma como a jovem acha digna, ou insistir em contrariá-la. “Espero que eles respeitem o nome social. Ninguém precisa escolher pelo constrangimento”, avalia Isabelle.

Mesmo assim, a orientação foi para ter paciência no inicio desse processo. “A diretora pediu para eu ‘colaborar’. Para eu conversar antes com os professores e pedir para eles me chamarem pelo nome social”, explica.

No Joaquim Murtinho, a briga foi feia. Como há “professores” e “professores”, alguns a chamavam pelo nome civil e outros usavam número para todos os alunos. “Mas sempre lembro de um professor que dizia que a gente não é número”, comenta.

Mas a vida adulta deve render muitos outros transtornos para Isabelle. O desafio maior agora é arrumar emprego. “Esses dias até me chamaram para trabalhar em uma bicicletaria. Quando o homem viu a carteira de trabalho (com o nome civil) já fechou um pouco a cara e depois ligou dizendo que já tinham preenchido a vaga”.

Agora, Isabelle tenta na Justiça trocar o nome nos documentos, mas sabe que o processo vai demorar.

Sobre a escola, o que pode parecer um detalhe para quem vê de fora, para Isabelle era uma dor. “Se me chamassem pelo nome masculino, eu ficava 45 minutos da aula pensando naquilo”, lembra.

Agora, seguindo o decreto estadual, quem tiver bom senso vai chamar Isabelle pelo nome de mulher na hora da chamada.




na minha opinião todos tem que se respeitar porque ninguém é mais que ninguém e quando morrermos vamos todos para o mesmo buraco ,então tem que respeitar o direito dela sim e não criticar como vem fazendo a população.
cade o respeito pelo próximo, respeita a senhorita como vc deve ser respeitado.
e antes de olhar o problema dos outro procure ver o seu
 
genildo carvalho em 31/01/2014 04:34:04
O que o governador autorizou foi o uso do nome da orientação sexual e não do banheiro, mas neste caso, vale também para o banheiro porque foi feita uma cirurgia, sendo agora uma transexual. Já no caso de travesti usar banheiro feminino ou vice versa, não dá por questões obvias.
 
marcia maria em 30/01/2014 19:46:08
Síndrome do "faz de conta" que sou?
 
marcia maria em 30/01/2014 19:30:14
Na casa das senhoras e dos senhores existem dois banheiros, sendo cada um destes destinado a uma genitália diferente? Raras (raríssimas) exceções, eu acho que não. Porque diabos se.importam tanto com o ânus (ou pênis e vagina, se também quiserem) alheio?
O direito está garantido, e "vulgarizar" a situação nos comentários não vai mudar nada. Leiam a matéria e interpretem o texto antes de "vomitar comentários". Querem mudar algo? Comecem pela própria vida.
 
Isabelle Abrego em 30/01/2014 19:00:10
Código Civil Art. 1.604. Ninguém pode vindicar estado contrário ao que resulta do registro de nascimento, salvo provando-se erro ou falsidade do registro.
 
guilherme albuquerque em 30/01/2014 18:42:30
há uma dificuldade das pessoas entenderem que a Isabelle não é gay, ela é mulher gente só nasceu no corpo errado. Tem nome pra isso é TRANSEXUAL. Indiferente dela ter pênis ou não ela continua sendo mulher. E NÃO, não é facil se aproveitar da situação, se querem falar de aproveitadores, existem de ambos os sexos e em ambos os banheiro. Se não querem ver a Isabelle no banheiro é simples: entra e fecha a porta seM olhar na cara dela ué.
 
camila melo em 30/01/2014 17:58:53
imagina vc ta usando o banheiro , entra uma mina de bigode kkkkk
 
Rafael Paz em 30/01/2014 16:35:15
É um assunto muito complicado de ser discutido. Eu não concordo nem discordo, muito pelo contrário.
 
Gilberto Rodrigues em 30/01/2014 16:21:11
Opa, vou falar que sou gay e vou começar a entrar no banheiro das mulheres e ninguém vai pode reclamar. Que bom :)
 
Fernando Marcelo em 30/01/2014 16:09:56
será que na casa dela a também banheiro exclusivo para seu uso????
 
Paulo campos em 30/01/2014 16:01:41
Parabéns Isabelle Abrego!! O mundo é dos que lutam!
Direitos não são dados, são conquistados!
 
JESSICA MACHADO em 30/01/2014 14:32:07
LAMENTO MUITO ESTA DECISAO POIS TER DIREITOS TODOS TEM
POREM USAR BANHEIRO FEMINO JA É MUITA FALTA DE ETICA
POR PARTE ATE MESMO DAS AUTORIDADE POIS ELE (A) NAO E DO SEXO
FEMINO MESMO SENDO GAY POR OPCAO E NACIDO DO SEXO MASCULINO
NAO PODEMOS TER PRECONCEITO REALMENTO MAS AI JA E DE MAIS
 
alcides castilho em 30/01/2014 14:20:31
Desde que....devidamente desprovida das partes masculinas....(isso deveria ser exigência geral) pois é muito fácil um s... de fazer e aproveitar da situação.
 
Sonia Pavão em 30/01/2014 13:54:59
Sem comentários!!!!
 
cristina alves em 30/01/2014 13:54:50
Vixe
 
joao Silva em 30/01/2014 13:46:27
TODOS SOMOS IGUAIS NINGUEM E MELHOR Q NINGUEM, POR ISSO EU CONCORDO
 
shirlley dos santos em 30/01/2014 13:16:37
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.