A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

02/11/2016 07:20

Aos 12 anos, Isabela investe na criatividade como uma chance de ganhar o mundo

Thailla Torres
Isabela descobriu o talento aos 5 anos, inspirada na profissão do pai. (Foto: Fernando Antunes)Isabela descobriu o talento aos 5 anos, inspirada na profissão do pai. (Foto: Fernando Antunes)

Um jeitinho elegante até na hora de falar, apesar do rosto de menina. Ao completar 12 anos, Izabela já prova o talento em traços delicados a cada desenho pronto em cima da mesa. No papel, estão peças de roupas, todas criadas por ela, com estilos diferentes, mas seguindo tendências da moda. A menina cria de acordo com o que sente vontade de vestir.

Veja Mais
Aos 56 anos, Márcia é parceira do filho do tênis de LED ao Pokémon Go
Papai é a estrela, mas Mamãe Noel pode fazer toda a diferença no Natal

As roupas nem sempre são confeccionadas. Muitos desenhos acabam ficando na pastinha organizada, separada cuidadosamente para que nenhum fique amassado ou sujo. Cuidadosa, Izabela Fragadolli carrega nos traços carinho para que algum deles, seja a oportunidade de alcançar um sonho muito maior, o de ser artista.

Alguns até ganham cores, quando o desejo de confeccionar aumenta.Alguns até ganham cores, quando o desejo de confeccionar aumenta.
Roupas são inspiradas na moda que Izabela acompanha no dia a dia.Roupas são inspiradas na moda que Izabela acompanha no dia a dia.

A menina quer ganhar o mundo com sua criatividade. "Tenho vários sonhos, esse não é o principal de todos. Meu sonho mesmo é fazer teatro e ser atriz. Mas quero que o desenho seja a base deles. Quem sabe poder desenhar minhas próprias roupas no elenco ou quem sabe ter a minha própria confecção", sonha.

O gosto pela moda, veio ainda na infância, enquanto Izabela passeava pelo trabalho do pai, que desde a adolescência é cabeleireiro. Entre o salão de beleza e o glamour das mulheres, desde pequena carrega o sulfite para desenhar o que vê pela frente.

Os primeiros desenhos surgiram aos 5 anos, observando as clientes que acabavam servindo de inspiração. "Eu só sabia desenhar mulher, porque eu vivia no salão. Acabei pegando o jeito, não sei como isso surgiu, não sei explicar. Mas eu lembro que toda vez que ia desenhar eu lembrava de alguém e tentava fazer algo parecido", explica.

A sutileza de Izabela está presente nos detalhes minuciosos. Além das roupas, no papel vão surgindo o caimento das peças, o corpo bem desenhado e os detalhes de cada acessório. Os looks são diferentes, passeiam entre o casual e um estilo mais contemporâneo, como ela mesmo define. "São roupas que eu gostaria de usar ou imagino. Não tenho um estilo definido. Sou meia eclética, mas são roupas mais modinha e coisas que acompanho no dia a dia", diz.

Um dos modelos que Isabela desenhou para as aulas de ginástica artística.Um dos modelos que Isabela desenhou para as aulas de ginástica artística.

Quando a filha apontou pela primeira vez o gosto pelos desenhos, os pais logo reconheceram o talento. Sem se opor ao sonho de Izabela, Márcia Regina Fregadoli, 40, se tornou fã número 1 da filha. "Isabela é uma benção. Eu vi ela desenhando ali pequenininha e mesmo ela nem sempre achando bonito, eu acho perfeito. Agora o desejo dela é entrar para uma escola de teatro e eu vou dar apoio, porque ela merece desenvolver esse talento e entrar no mundo da arte sim", torce a mãe.

Izabela e a família são do Paraná, mas há 1 ano e 8 meses veio com a mãe e o irmão de 3 anos para Campo Grande. Os avós maternos já moravam aqui. Enquanto o pai não muda definitivamente pra cá, ele se divide entre a família e as viagens a trabalho como cabeleireiro na cidade onde viviam.

Aqui, o dom para os desenhos faz Izabela levar uma rotina mais diferente. Enquanto muitas meninas sonham com o primeiro iPhone, ela comemora os papéis em branco e os gibis que também são uma de suas paixões. "Eu amo gibi da Turma da Mônica e me inspiro também. Quando eu desenho penso em criar o meu próprio gibi, já até comecei algumas páginas", diz mostrando os desenhos que faz criando cenas, personagens e diálogos.

Tudo é feito no lápis e para não camuflar o talento, não há sinais de uso da borracha. "Do jeito que eu começo eu termino. Não é todo dia que eu estou inspirada, mas sempre que eu vejo algo e me dá vontade de desenhar eu faço. Já nem uso mais borracha, no começo o chão ficava sujo de tanto que eu apagava, hoje pra falar a verdade nem deixo borracha no estojo. Só uso mesmo a lapiseira", detalha.

Delicadeza nos traçosDelicadeza nos traços
E cheio de detalhesE cheio de detalhes
Apaixonada por Gibis, Isabela também pretende escrever alguma. Apaixonada por Gibis, Isabela também pretende escrever alguma.

Apesar de estilosa, antenada e cheia de atitude para a idade, Izabela diz que nada muda na rotina e mantém as tarefas de uma criança. "Não fico só desenhando. Tenho os meus horários e faço certinho, estudo, almoço e depois nas horas vagas eu vou desenhar. Celular mesmo é pra acompanhar a moda", jura.

Enquanto o sonho de ver suas peças prontas não se realiza, Izabela sobe as escadas correndo para mostrar a única roupa que foi feita pela costureira a partir de um desenho dela. O macacão de ginasta azul, bordado com pérolas, é simples, mas tem o encanto de uma menina sonhadora. "Não ficou exatamente como eu desenhei. Mas eu fiz para uma feira de ciência da escola. E tenho muito amor pelos meus desenhos. Alguns eu acabo dando. Mas o resto eu guardo todos. Quem sabe eu tenha minha própria confecção", diz com os olhinhos brilhando, como quem sonha grande.

Curta o Lado B no Facebook.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.