A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

13/11/2013 06:14

Apesar da "pressão", ainda existe adolescente que não tem perfil no Facebook

Paula Maciulevicius
Há seis meses adolescente decidiu trocar os posts no mundo virtual pelas páginas dos livros. Há seis meses adolescente decidiu trocar os posts no mundo virtual pelas páginas dos livros.

A adolescente Marcella Ventorim, de 15 anos, não vai curtir, compartilhar e nem ao menos ser marcada pelos amigos no Facebook com o que o Lado B conta hoje. Há seis meses ela decidiu trocar os posts no mundo virtual pelas páginas dos livros. Depois de um ano com perfil ativo, a estudante contabilizou que as horas online não eram tão curtidas como compartilhar o tempo com os personagens das séries preferidas. Por vontade própria ela excluiu o perfil da rede.

Veja Mais
Caligrafia da escola rendeu à Marystella a profissão de designer de lousas a giz
Luis ganhou o título de presidente e hoje é dono da própria cadeira no bar

“Eu ficava muito na internet e ao mesmo tempo queria ler as minhas séries. Resultado, ficava até de madrugada lendo e no outro dia acordava muito cansada. Quando vi minhas notas baixando e a possibilidade de ficar de recuperação, perder viagens e chatear os meus pais, não tive duvidas, cortei o mal pela raiz”, classifica.

Como tudo hoje é registrado no Facebook, ela traçou um plano B para não ficar assim, totalmente alheia, nos assuntos dos amigos. Manteve a conta no Instagram, aplicativo que do próprio celular, ela adiciona fotos, interage, mas sem deixar que as janelas do chat a prendam na rede o dia todo.

“Sentia falta do ‘face’ nos primeiros dias, mas com a melhora das notas e a moral que ganhei lá em casa, vi que tinha feito a escolha certa”, comentou.

Em meio aos livros, o único perfil que ela ainda sustenta é o Instagram, rede que não inclui chats e nem conversas. Em meio aos livros, o único perfil que ela ainda sustenta é o Instagram, rede que não inclui chats e nem conversas.

Por enquanto ela não planeja voltar a ativa, mas admite que a ferramenta é bacana para quem sabe usar com moderação. “Vejo minha mãe encontrar e conversar com amigas de infância, se emocionar com fotos antigas que elas postam, mas, ao mesmo tempo vejo colegas minhas que passam o dia, preocupadas em postar algo interessante e de repente se prestar a algumas coisas que não deveriam, só para parecer legal. Isso eu não quero pra mim então, acho que não é hora de voltar pra rede”.

O estudante Lucas Brito de Souza, 17 anos, é outro que entrou para o grupo dos sem redes sociais. Ele até chegou a ter perfil no Facebook, mas só para jogar com o irmão. Não chegou a adicionar amigos, fazer postagens e mal publicava no mural.

“Não tenho nem vontade, tenho preguiça de fazer. Acho perda de tempo”, justifica. O resultado é que quando alguém pergunta como ele está nas redes sociais e ouve a resposta, a reação é de saltar os olhos. “Você não tem? Todo mundo tem”, fala o que escuta com frequência.

Sem fazer falta alguma, o que hoje lhe causa incômodo é ver que na roda de amigos, o celular está mais presente do que o diálogo real. “Eu não gosto de gente mexendo no celular, acho desrespeitoso”.

Agora, só o motivo de morar fora justificaria a presença do adolescente João Mauad Cavallero Filho, de 16 anos, no Facebook. Extinto das redes sociais, o garoto só possui Whats App e há pouco tempo, para facilitar as conversas e evitar gastos.

Perfil ele teve, mas quando o Orkut ainda era popular. No entanto, antes da ferramenta cair em desuso, João procurou manter o ciclo de amigos fora do mundo virtual. "Eu não curto e não preciso disso. Contato eu tenho o visual, mas isso de ficar postando a vida para um monte de gente que nem conheço, não faz meu estilo", explica.

Questionado se o fato não gera reações de quem o ouve, João mostra que não se abate para o que os outros pensam. "As pessoas se espantam, mas a gente vive para a gente e não para os outros, é esse o meu entendimento", resume. 




O negócio é ligar um PS3 e #Partiu BF4
 
Lucas Matheus em 14/11/2013 09:21:55
Facebook não é problema, problema é uso exagerado deste mundo virtual, em detrimento à leitura que traga algum conhecimento e crescimento, à realidade do dia-a-dia que tem que ser enfrentada, assim como a condição que cada um de nós nos encontramos, verdadeiramente. Então, facebook não é problema, nós o transformamos num, equilíbrio pode ser a receita difícil de achar e administrar a todos os seres humanos.
 
Roger Carlos da Silva em 13/11/2013 23:47:39
Admiro as pessoas com determinação e foco. Atitude é tudo!!! Em plena "era" das redes sociais, adolescente "pegar a estrada contramão" é de tirar o chapéu...Mesmo porque, se achar que não acrescenta em nada, melhor é cair fora...tá certinha a Marcella....
 
cida guerra em 13/11/2013 22:11:39
Devo ser quase três décadas mais velha que Marcella, embora também sofra pressão, por outros motivos, faço parte do grupo dos "sem face" rsrs é quase isso mesmo não temos identificação. Nada contra a ferramenta, que por sinal é muito interessante ... mas não há vontade...
 
kelly garcia em 13/11/2013 17:43:03
Adolescente saindo do facebook pra 'se fechar'?
Cadê a novidade nisto?

Acontece todos os dias. Não é mérito algum, até porque nem deveria estar lá.
 
Eder Lima em 13/11/2013 17:24:56
Tem atitude a pessoa. Gostei!
 
Luciana Schimdit em 13/11/2013 16:54:06
CASA COMIGO SUA LINDA!!!!!!!!! *----*
 
Rodrigo Oliveira em 13/11/2013 16:15:51
Com certeza é uma questão de adequação e saber usar o tempo que temos, no entanto concordo plenamente em desativar o perfil das redes sociais para poder aproveitar melhor o tempo... O tempo que é perdido fazendo NADA nas redes sociais pode ser muito bem aproveitado lendo, estudando, ou até mesmo de melhor forma com os amigos pessoalmente tomando um tereré... As redes sociais em nada nos acrescentam, no máximo ficamos informados de coisas fúteis que acontecem por ai.... Vai assistir jornal que vc estará muito melhor informado....
 
Gabriel Gonçalves em 13/11/2013 16:13:26
Regiane Dutra. Saia das redes sociais, estude mais e melhore suas concordâncias verbais, antes de criticar a menina.
 
Eliz Lima em 13/11/2013 14:58:08
A primeira referência que farei é imaginarmos onde estarão esses jovens que tiveram personalidade e coragem para fugirem do "todo mundo tem". Com certeza, não estarão buscando empregos com salários baixíssimos e sim sendo disputados a tapa pelas grandes empresas, atras de bons profissionais. Como quase tudo na vida é feito "sem limites", a rede social tornou-se uma praga moderna. É triste ver em rodas de jovens (e até mesmo adultos)nos restaurantes, lanchonetes, festas de aniversário e almoços em família, as pessoas "isoladas" em seu mundo virtual. O diálogo real está morrendo, como está morrendo a escrita manuscrita e a boa gramática da nossa língua. Que preço final pagaremos por essa "pseudo modernidade"???
 
Paulo Roberto em 13/11/2013 14:57:04
O facebook virou o craque, a cocaina virtual. Voce vai a uma loja e temq esperar a moça do caixa terminar de comentar uma foto do cabelo da amiga para te atender. Voce vai dirigindo pelas vias de CG e constantemente passa algum(a) motorista digitando algo q provavelmente é no face. Ate alguns guardas de transito ao inves de cuidar o transito, ficam vidrados em seus celulares. Eh uma praga que contamina todo o ambiente de trabalho, as pessoas tem tanta criatividade pra enganar seus patroes por estarem usando o facebook, q se usassem essa mesma criatividade e imaginaçao para algo produtivo, com certeza nao precisariam pedir aumento. A pessoa vai ao mercado e ja vai uma postagem, vai ao medico e la vem outro aviso q esta ao medico, ate a oraçao nao é mais encaminhada a Deus. Droga pura.
 
Jose Dinan em 13/11/2013 14:38:03
Bom, creio que tudo seja uma questão de medidas... deve-se saber utilizar as redes sociais com moderação. Dizem que tudo que é demais passa, portanto você fazendo parte de uma rede social e não se deixando bitolar por tal ótimo, agora caso se torne um viciado de plantão ai é um problema.
 
Patrícia Pereira em 13/11/2013 13:59:56
Pra mim facebook serve pra cuidar da vida alheia. Esse papo de que é para nao perder contatos eh furada.
 
Danilo Contos em 13/11/2013 13:18:35
Temos que se adequa a modernidade.Não é se privando de rede sociais que iremos ser mais inteligentes que os outros..
 
Regiane Dutra em 13/11/2013 10:57:04
Tbm sou adepta a esse ideia, sou 1 mulher de + 40a, e não tem face e nem outra conta nas redes sociais. Eu adoro leitura e curtir a familia, amigos, mais td ao vivo e a cores.
 
Melissa Palmeiras em 13/11/2013 10:56:44
Como enfatizado abaixo "Basta saber usar", porém, a parte mais importante e significativa do comentário está logo na sequência: "é melhor ficar de fora mesmo." As redes sociais tiveram seu papel deturpado por uma "grande maioria" que pensa saber fazer uso. Ledo engano. Todo este comportamento virtual reflete na sociedade que vivemos. Uma sociedade sem humanidade, egoísta e hipócrita. Nas praças, nos bares, nas escolas, grande parte com os olhos em uma tela e sem diálogo algum. Amigos ? Alguns reais e mais de cem virtuais. Lamentável o retrocesso com uma ferramente tão poderosa à disposição. Como já diriam os sábios: "Progresso não quer dizer evolução."
 
Carlos Ferreira em 13/11/2013 10:53:03
Se isso virasse moda, eu estaria da moda como raramente acontece.
 
Romeu Luitz em 13/11/2013 09:29:19
Se todos os adolescentes seguissem esse exemplo, só iam tirar Dez nas provas
 
Marcos Wild em 13/11/2013 08:47:54
Meus parabéns, no começo eu também achava algo impossível de deixar de ter, hoje eu tenho por conta dos contatos de longa data mais demoro muito para usar, antes eu não passava uma hora sem, e claro nada melhor do que os livros, mas depois que você aprende a regular seus afazeres tudo fica melhor.
Claro que quem hoje em dia consegue ficar sem, é algo realmente de se parabenizar.
 
Fernanda Mougenot em 13/11/2013 08:44:31
Basta saber usar. Quem não sabe, melhor ficar de fora mesmo.
 
Sergio Arantes em 13/11/2013 08:13:24
Parabéns gata! Esse vicio é algo bem complicado de ser superado, eu por exemplo não consigo, porém admiro pessoas que tem a mesma força de vontade e personalidade. O vício que eu tinha e que já larguei faz um bom tempo, é o de beber Coca Cola, hoje não me faz falta, recomendo para todas as pessoas que repensassem os seus atos de consumo, pois aquilo que não é saudável deve ser cortado, quem deve dominar o nosso corpo e nossa mente deve ser nós mesmos e não marcas e afins. Obs: Só por essa foto, já da para ver que a Marcela deve ser legal, a camisa do Pikachu foi ótimo!
 
Johnny Chan em 13/11/2013 08:11:59
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.