A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

29/01/2013 07:37

Aplicativos que localizam gays pelo celular têm turbinado a diversão

Elverson Cardozo
Grindr tem 1,9 milhões de usuários cadastrados em 192 países do mundo. (Foto: Luciano Muta)Grindr tem 1,9 milhões de usuários cadastrados em 192 países do mundo. (Foto: Luciano Muta)

Ele estava a fim de sexo. Conseguiu. Não chegou a sair de casa. Pegou o celular, abriu um dos vários aplicativos instalados, arrumou um cara bacana para teclar e, no mesmo dia, os dois foram para a cama. Tudo aconteceu graças ao Grindr, um dos aplicativos que viraram febre entre gays e bissexuais.

Veja Mais
A pé, Tulia faz percurso de 10 km até biblioteca onde aprendeu a ser feliz
Passada "nuvem negra" que trouxe o câncer, rosa tatuada no braço une 4 mulheres

“Conheci por amigos de São Paulo e do Rio de Janeiro que me indicaram como uma alternativa ao bate papo da UOL. O bate papo já foi o melhor caminho para o sexo casual. Hoje não é mais”, diz o jovem de 26 anos, que usa o sistema há 2.

Criado para iPhone e Android, o programa que permite a localização de usuários por meio do GPS do próprio celular conquistou milhões de usuários em todo o mundo. É como um cadastro de gays, para facilitar a paquera e não deixar dúvidas ao interessado sobre a orientação sexual.

Em Campo Grande, cidade que ainda cultiva o aspecto interiorano, muita gente já entrou na onda. O número de usuários não para de crescer.

Mas não é só o Grindr que faz sucesso entre os homossexuais. O Scruff, outro aplicativo do gênero, também ajuda na hora da conquista. O sistema foi desenvolvido para rodar tanto na plataforma IOS, para iPhone e iPad, quanto no Android.

Em ambos é possível se comunicar com usuários que estão próximo, na esquina da sua casa, por exemplo, ou em qualquer parte do mundo. O GPS indica a quantos quilômetros ou metros o usuário está do pretendente gay.

É possível publicar fotos, fornecer detalhes do perfil, informar as atividades que desenvolve e, ainda, trocar mensagens, imagens e adicionar contatos para compor sua própria rede. Os perfis favoritos também têm espaço. Tudo de graça.

As versões pagas incluem serviços adicionais, como a informação de quem visualizou seu perfil e quanto tempo ficou na página, por exemplo. O Scruff ganhou destaque por ser o primeiro aplicativo desse tipo que aceita as duas plataformas, - Android e IOS -, mas o Grindr surgiu antes e tem 1,9 milhões de usuários cadastrados em 192 países do mundo, segundo informações divulgadas na Google Play.

Tela do Scruff. Aplicativo foi desenvolvido para Iphone e Android. (Foto: Reprodução/Internet)Tela do Scruff. Aplicativo foi desenvolvido para Iphone e Android. (Foto: Reprodução/Internet)

Quem já testou e utiliza o serviço faz boa avaliação. Para o rapaz que saiu com o vizinho que mora do outro lado da rua e diz que prefere o Grindr ao invés do chat, a vantagem do aplicativo é que as pessoas se expõem mais. “É um mercado muito específico”, explica.

Outro diferencial é que, com o auxílio do aplicativo, fica mais fácil saber das preferências sexuais dos usuários. “O que é fundamental. Afinal, não adianta reunir quem tem os mesmos interesses na cama, tem que ser diferente”, justifica.

Tanto o Grindr como o Scruff têm a proposta de ser uma rede social para relacionamento e amizade, mas a maioria dos usuários entra a procura de sexo.

Solteiro, o jovem de 23 anos resolveu se cadastrar no Grindr depois que um amigo comentou sobre o “localizador de pessoas”.

“Na verdade eu fui por curiosidade, por ser uma alternativa à sala de bate papo. Achei mais seguro porque dá para você ver a foto de corpo e, muitas vezes, de rosto. É também mais intimista porque você conversa com a pessoa em qualquer lugar e de qualquer lugar”, justifica.

Apesar das considerações, ele nunca saiu com ninguém que tenha conhecido pelo aplicativo “por causa da profissão”. “Eu não me arrisco muito. Se rolar sexo, beleza. Se não, vai no Oi e tchau”, explica.

O outro, de 29 anos, foi o único que não falou em sexo. Destacou as amizades que conquistou com auxílio do aplicativo, que usa desde outubro do ano passado.

“Voltando do Rio de Janeiro eu conheci um menino de Campinas no Aeroporto do Galeão. Fiz amizade e ainda mantenho contato. Na escala em Brasília também conheci outra pessoa. Fiz amizade”, conta.

Na avaliação dele, esse tipo de serviço oferece segurança. “Você vê o perfil da pessoa. Da para consultar, por exemplo, o Facebook”.

Ficou curioso? O download do Grindr pode ser feito na App Store ou pelo Google PlayO Scruff também está disponível na loja de aplicativos do Google.




Adorei essa pagina, muito boa.. Boa mesmo boa D+++++++++++++
 
Luiz Zomer em 11/07/2013 09:21:51
como me cadastrar no scruff?
 
dennys fontes em 19/06/2013 10:20:30
Sabe o que falta para o mundo?Amor ao próximo!E cada qual cuidar de sua própria vida ,que já é muita coisa!Sexo?Cada um faz do jeito que preferir!Somos todos adultos não é?Ou não?Quando se trata de crianças,aí sim!Já é outra história!!!Então,vamos viver a vida da maneira que mais lhe convém...e sejam felizes!!!!!Vamos fazer PAZ e não Guerra!Fkadk!!!!*-*
 
Helena Centurião em 05/02/2013 17:32:31
Nossaaa amei. Funciona perfeitamente no meu Samsung Nexus.
 
Andre Goulart em 30/01/2013 11:49:21
Como disse o colega Bruno Carmargo, é só aparecer algo que diz sobre sexo, homossexualismo, vem alguém aqui querer dar lição de moral, já chega disso desse falso moralismo, se não gostaram da matéria, não leiam, se estão aqui comentando é que tiveram curiosidade em ler o conteúdo. Como outros disseram, nós heteros utilizamos de outros aplicativos mais "abertos" porque não precisamos paquerar, se relacionar às escondidas, mas os homossexuais infelizmente ainda vivem a merce do preconceito e da violência, nesse caso o aplicativo é muito válido, mas vale salientar que também é um tanto perigoso, nunca se sabe se a pessoa atrás da tela é realmente a que aparece naquela foto de perfil.
 
André Serra em 30/01/2013 06:39:47
oi , meu celular é um sony xperia o mini . será q tem como eu baixar esses aplicativos nele ?
 
marcelo monz em 30/01/2013 00:30:38
Parabéns ao Campo Grande News por divulgar essa ferramenta de interação social para os gays. Chega dessa sociedade hipocrita, preconceituosa e arcaica. Somos cidadãos livres como quaisquer outros apenas com uma opção sexual diferente.
 
Paulo Guimaraes em 29/01/2013 23:55:51
Bom eu nao uso tipo de programinha, porem tenho uns amigos que usam
Muito esse tipo de programa, eu nao tenho nada contra, porem tenho
Medo e receio realmente nunca se sabe, mais se util pars uns boa sorte....
Se joguem pintosas...
 
leo pierry em 29/01/2013 21:28:01
Nooooooosssssssa...
Baixei agora...
Vou atrás dos bofes.........
Ai menina, o que é a energia elétrica, né?
Ameeeeeeeeeiiiiiiiiii!!!!
 
Gelsoney Gonçalves em 29/01/2013 21:14:30
Bom o legal desses aplicativo,e que conseguimos interagir em todos aspectos, que fique bem claro que as pessoas que si encontrar neste aplicativo, já tem sua opinião formada na busca de sexo, porem você consegue criar um ciclo de amigos legais.Hoje não preciso mais desse tipo de caça, porque foi por láh que encontrei meu atual namorado ou seja ele teve sua serventia, além de sexo como todos falam!!!
 
Junior Araújo em 29/01/2013 17:48:39
É a verdadeira esculhambação da sociedade.
 
Antonio Nunes em 29/01/2013 17:11:08
Falo pra vocês, baixei esse programa e amei.
Conheci meu bofe por ali. Recomendo para todos os meus colegas.
Que surjam mais aplicativos como esse para facilitar a nossa vida. Pois nós, os gays, somos ainda uma classe muito mal vista e precisamos desse tipo de recurso para paquerar. Adorei.
 
Maurinho Mariosa em 29/01/2013 16:51:00
Maravilha mais uma ferramente para esse público maravilhoso e alegre do qual eu com muito orgulho faço parte, os homossexuais, chega de preconceito com os gays, nós assim como o hétero temos direito ao sexo livre e casual se assim quisermos, eu mesmo adoro essa prática,claro que sempre de maneira segura e com muito carinho, meus parceiros todos sempre usam camisinha é uma exigência minha, todos temos que ser conscientes e livres para amar.
 
Dione Rauller em 29/01/2013 16:27:20
É sempre assim, surge algo do tipo, e um monte de regilioso adora dizer que é coisa do capeta...
Conheco meia duzia de pastor que usa dinheiro dos fieis pra contratar moça de programa, é não é de computador! É ao vivo...
Eu acho que sexo é livre, e faz com quem quiser e do jeito que der vontade, quem critica deve ter uma vida sexual muito infeliz e o marido ou esposa encontra oque precisa nos Bordeis...
Educação e trabalho nada tem haver com sexualidade, sempre tem uns tipos que adoram fingir ter bons costumes, pura hipocrisia disfarçada.
Assim como qualquer meio de contato esse programa é util, mas tao perigoso quando expor suas fotos no facebook ou nos chats, nunca sabemos quem esta do outro lado realmente, vale a dica de segurança! sempre confie desconfiando.
 
Bruno Camargo em 29/01/2013 15:16:47
Brincadeira hein...
Vai estudar, ler ou vai à igreja agradecer a Deus, ao invés de ficar procurando homem..
Toma vergonha nessa cara.
 
José Alves em 29/01/2013 13:49:34
Além de desnecessário e absurdo, este tipo de aplicativo "esconde" um risco que seus usuários parecem ignorar. Com tantos homofóbicos por aí, quem garante que alguns não estão "disfarçados" nessas redes, até com fotos falsas (por que não), apenas para praticar seus "atos de justiça". Todo cuidado é pouco.
 
Marco Brito em 29/01/2013 13:00:02
Então cara Sandra Lima, realmente isso faz parte do preconceito, pois se os gays e afins, não fossem alvos de preconceitos, discriminações e até que grande violência, então obrigam a viver escondidos, e isso não é por falta de educação e de emprego da parte dos gays, e sim por falta de educação e respeitos dos demais, pois heteros e gays procuram sexo da mesma forma, a diferença é a discriminação que cada grupo recebe.
 
Carlos Cordeiro em 29/01/2013 12:21:02
Mathias Gleizer: Para nós, os héteros, existem vários aplicativos semelhantes; mas não precisamos nos esconder quando resolvemos paquerar, namorar e etc; pois não seremos alvos de possíveis crimes de ódio, como os homossexuais são ainda, por conta do preconceito que ainda é grande.
Acho a ideia do aplicativo interessante, mas, ao mesmo tempo, isso me preocupa. O GPS, que tem a função de ajudar a localizar parceiros, pode ser também uma vulnerabilidade do aplicativo; pois nada impede que alguém que tenha uma predisposição para usar de violência contra homossexuais use o aplicativo também para localizá-los.
 
Meriele Oliveira em 29/01/2013 11:09:12
Depravação. Para o estudo, trabalho e coisas decentes não existe nenhuma preocupação. Simplesmente ridículo. Que Deus tenha piedade dessas pessoas.
 
Gustavo Ribeiro em 29/01/2013 10:50:52
De um preconceito extremo e vulgar aff!! por que não arruma aplicativo pra conseguir emprego....
educação!
 
sandra lima em 29/01/2013 08:08:43
E para os héteros, tem algum aplicativo semelhante???
 
Mathias Gleizer em 29/01/2013 08:05:56
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.