A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

22/10/2014 06:51

Bombeiro sai para socorrer vítima de acidente e acaba arrumando namorada

Paula Maciulevicius
O local do acidente não era nem região do bombeiro, mas foi lá que começou a história de amor com Jéssica. (Foto: Marcos Ermínio)O local do acidente não era nem região do bombeiro, mas foi lá que começou a história de amor com Jéssica. (Foto: Marcos Ermínio)

Domingo de eleições, dia 5 de outubro. A data ficará marcada como o dia em que do acidente, o casal viu nascer o amor. Por volta das 7h da noite, os bombeiros foram acionados para socorrer uma jovem que havia caído da garupa da motocicleta em que estava, depois de bater na traseira de um veículo.

Veja Mais
Aos 56 anos, Márcia é parceira do filho do tênis de LED ao Pokémon Go
Papai é a estrela, mas Mamãe Noel pode fazer toda a diferença no Natal

O local do acidente não era nem região que o quartel Costa e Silva cobre, mas foi a viatura de lá que foi deslocada a atender o chamado, na Avenida Marechal Deodoro. Aí que começou a história de amor do bombeiro Daniel dos Santos Vieira, de 22 anos e da promotora de vendas, Jéssica Moraes Greffe, de 20.

"Aqui era área do Tijuca, mas eles estavam atendendo outra ocorrência e deslocamos para cá. Chegamos no local e ela estava no chão. Fiz o atendimento, fui conversando e a gente foi se conhecendo mais", descreve Daniel. Quem lê apenas este trecho da fala, não imagina que o cenário onde eles se conheceram foi a ambulância do Corpo de Bombeiros.

"Eu estava muito nervosa e ele foi puxando assunto", conta Jéssica. A jovem, assim como Daniel, nem era para estar ali. Naquele dia foi acordada por uma amiga que insistiu para que elas saíssem. A saída era de 10 minutos e em breve ela voltaria para casa. "Eu ainda pedi para pilotar, que ela não sabia bem..." completa.

A jovem também não era para estar lá, nem queria ter saído de casa aquele dia. (Foto: Marcos Ermínio)A jovem também não era para estar lá, nem queria ter saído de casa aquele dia. (Foto: Marcos Ermínio)

No caminho, Jéssica seguiu sozinha na ambulância e pediu a Daniel que ligasse para a mãe. A tatuagem no braço, escrito "José Carlos", despertou no bombeiro a curiosidade. A vítima respondeu que era uma homenagem ao irmão, morto há 5 anos.

"Eu não queria potencializar o nervosismo dela, a gente estava indo para a Santa Casa e ela pediu meu Face", reproduz o diálogo, o militar. "Cheguei no quartel e já adicionei ela". "Eu, lá na Santa Casa, nossa! Ele já me mandou convite", responde a jovem.

Nos primeiros socorros do acidente, Jéssica não via Daniel. Apenas ouvia o que ele estava dizendo. "Ele ficou atrás de mim, eu só via com o canto dos olhos. Até achei ele meio grosso", brinca. A 'grosseria' a que se refere foi quando o militar mandou que ela não se mexesse. "A gente precisa se impor, mas sem arrogância", se explica.

Na segunda-feira após o acidente, os dois trocaram as primeiras palavras pelo Facebook. A vítima, ainda em recuperação, sugeriu que eles passassem a conversar pelo WhatsApp. "Eu falei que estava ruim de falar lá, vamos pelo Whats. Bem 'caruda' mesmo", lembra.

Na ambulância, a caminho da Santa Casa, ela pediu o Facebook dele. (Foto: Marcos Ermínio)Na ambulância, a caminho da Santa Casa, ela pediu o Facebook dele. (Foto: Marcos Ermínio)

A primeira saída dos dois foi para a Fazenda Piana em poucos dias, eles oficializaram o namoro nas redes sociais. A troca do status chamou atenção dos amigos e familiares. "Ninguém acredita quando eu conto. Falam: logo você que é tímida. Meu acidente teve um lado bom, estes 10 minutos que eu ia passar fora, valeram de alguma coisa", admite a vítima.

Daniel faz o tipo discreto e até um pouco envergonhado. "Foi o melhor presente que eu já recebi". Quando questiono a eles se, do acidente até o namoro não foi muito rápido, eles respondem: "Eu estava dormindo, nem ia sair. Não é possível, sabe? Eu nem ia sair de casa. Tinha que ser", convence Jéssica.

Bombeiro, Daniel atribui o encontro ao destino. "A gente ao atender tem que reparar em tudo, mas ela foi especial. Foi o destino". Digo que foi e está sendo uma história de amor.

Destino? Se colocar na balança o número de acidentes de trânsito na Capital, é bem capaz do destino formar também outros casais. (Foto: Marcos Ermínio)Destino? Se colocar na balança o número de acidentes de trânsito na Capital, é bem capaz do destino formar também outros casais. (Foto: Marcos Ermínio)



Daniel e Jéssica, história romântica e bonita. Felicidades ao casal.
 
waldelucia de sales dorneles em 22/10/2014 09:54:48
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.