A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

04/04/2016 06:23

Cão trouxe de volta o que Felipe procurava quando deixou Dourados atrás do amor

Paula Maciulevicius
Os pés de Felipe, Ronaldo e Antônio. (Fotos: Arquivo Pessoal)Os pés de Felipe, Ronaldo e Antônio. (Fotos: Arquivo Pessoal)

Uma história de amor entre dois homens e um cachorro. Há sete meses, Antônio, um golden retriever, fez reacender a razão de Felipe ter largado a vida em Dourados com apenas a roupa do corpo para viver um amor e as descobertas dele em Campo Grande. O vendedor, hoje com 21 anos, procurou o Lado B para contar um pouquinho de si, de Ronaldo e de Antônio, o cachorro.

Veja Mais
Casal queria poetizar início, mas soube rimar como ninguém o "fim" do amor
Monogâmico ou não, gays e lésbicas querem o direito de viver a afetividade

Assim como o casal, o Lado B vê nas belas fotos que eles tiram pela cidade um exemplo de família e de amor, em meio à tanta barbárie que aparecem nos noticiários. 

O começo de tudo foi quando o rapaz conheceu Ronaldo, dois anos atrás. Até então, ele morava em Dourados e o amigo, em Campo Grande. As conversas começaram em um jogo online e depois avançaram para a troca de mensagens pelo WhatsApp

Casal em férias. Casal em férias.

"Foi quando a gente descobriu que morava no mesmo Estado, porque era um jogo onde você só colocava o nome do seu personagem e conversava com todo mundo", conta Luiz Felipe Ferreira dos Santos. À época, o garoto já tinha dúvidas quanto à sua sexualidade, mas ainda namorava uma menina.

Com o tempo, ele e Ronaldo passaram a ter mais afinidade, até que numa vinda dos pais para Campo Grande, ele pegou carona e marcou de encontrar o amigo numa boate gay, às vésperas de seu aniversário. "Quando cheguei, vi de longe ele descendo do táxi e fiquei completamente apaixonado pela pessoa que vi, no caso foi só o despertar da atração incontrolável que eu ja sentia antes de vê-lo", descreve.

O beijo só foi acontecer do meio para o final da festa, quando a timidez foi dando lugar ao desprendimento. Acabando a balada, Felipe acreditou que iria ficar por isso mesmo. Na volta para Dourados, passou a semana estranho, decidiu terminar o namoro, porque a confusão de sentimentos tinha chegado ao ápice. "Eu estava amando ele e já não sentia mais nada por ela".

No final de semana seguinte, Ronaldo só mandou uma mensagem, do nada, dizendo que estava na rodoviária de Dourados. Sem saber o que fazer, porque a família não sabia da homossexualidade, Felipe o trouxe para dentro de casa e qual foi a surpresa? Viu o rapaz ajoelhar na sala pedindo ele em namoro para a mãe. "Ela ficou assustada, porém o que ela já desconfiava foi concretizado ali, descaradamente na frente dela... Ela estava deixando uma nora e adotando um genro", recorda Felipe.

Antônio, o cão, com Felipe, no banco da praça.Antônio, o cão, com Felipe, no banco da praça.
E um pouco mais grandinho, passeando no shopping. E um pouco mais grandinho, passeando no shopping.
Nas redes sociais, o casal posta fotos belíssimas da vida real e eles são assim mesmo.Nas redes sociais, o casal posta fotos belíssimas da vida real e eles são assim mesmo.

Foi inesperado e deixou a família em choque. Ronaldo acreditava que o namorado já fosse assumido perante os pais. Passado o final de semana, o rapaz tinha que vir à Capital resolver problemas na documentação. Chegou com uma mochila nas costas e a roupa no corpo, para nunca mais voltar.

"Nós começamos a morar juntos, ter uma vida juntos, eu arrumei emprego e como todo começo, nada é fácil". Foi um período de entrega de currículos até encontrar o primeiro trabalho e dele pular para o segundo, onde os dois estão juntos.

Em dois anos, o menino conta ter amadurecido, mas viu a vida mudar de cabeça para baixo. Passada a euforia do romance, caiu em si que estava casado e sentia saudades da vida de antes. "Eu não quis aceitar as exigências de um casamento, que é você dar mais valor para a pessoa e ter limites", explica.

Quando chegou a pedir para terminar a relação, trouxe para casa o golden retriever que aparece nas fotos, como filho do casal. "E foi aquele cachorro que uniu a gente de volta. Ele nasceu da gente, entende tudo o que se passa conosco".

Nas palavras de Felipe, ele largou a vida pelo primeiro e verdadeiro amor. "Eu achava que já havia gostado de pessoas, mas com ele, realmente senti o que é amor. Foi aquela paixão enlouquecida, achava que era tudo perfeito. Não me arrependo de nada e cresci muito", avalia.

Nas redes sociais, o casal posta fotos belíssimas da vida real. Eles andam assim mesmo, de mãos dadas pelo shopping e Antônio chega a viajar para a praia com eles, como uma família. Pelas imagens e a história em si, o que Felipe quer é viver num mundo igualitário, onde todo mundo tenha o direito de andar de mãos dadas.

"É diferente você ver uma foto com dois homens e um cachorro, mas é amor, é uma coisa que muita gente não tem. Somos dois homens que se amam", resume.

Curta o Lado B no Facebook. 

É diferente você ver uma foto com dois homens"É diferente você ver uma foto com dois homens
e um cachorro, mas é amor...e um cachorro, mas é amor..."



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.