A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

21/01/2015 06:52

Chega um dia, sem mais nem menos, que a vida pede um UP, em caps lock

Mariana Monge

Aaaaaaaahhhhhhh!

Veja Mais
Casal queria poetizar início, mas soube rimar como ninguém o "fim" do amor
Monogâmico ou não, gays e lésbicas querem o direito de viver a afetividade

(Sonoro, agudo e libertador)

Que atire a primeira pedra quem nunca acordou e a primeira vontade que veio foi a de dar um grito assim, daqueles que lavam a alma, que tira um piano das costas, que faz a gente se sentir como uma pluma, nem que seja por um curto instante de tempo.

O grito vem quando a rotina pesa, o cansaço amarga e a falta de saco para tudo é maior do que a vontade de tentar outra vez.

Quem nunca se sentiu mergulhado no desejo de sair correndo, de rasgar todos os papéis que aparecem à sua frente, de mandar à merda um bando de gente, de desaparecer no infinito do espaço (Ok, fazer uma viagem para um lugar maravilhoso já resolveria)?!

E não... Isso não é TPM!

Uma vez o médico me disse que isso se chama “desgaste emocional”, e precisei tomar algumas doses de produtos naturais e homeopáticos para não enforcar o pescoço de alguém ou não desnutrir em lágrimas.

Resolveu! Pelo menos por um tempo...

Mas a vida é assim, com horas desavisadas para dar defeito. Porque chega um dia, sem mais nem menos (ou por motivos que só a gente sabe), que queremos jogar tudo para o ar, porque cansamos de ser assim, porque cansamos de acordar todos os dias no mesmo horário, vestir a mesma roupinha básica, passar o mesmo perfume, dar bom dia às mesmas pessoas, sentar em frente ao mesmo computador para trabalhar, comer as mesmas comidas... E cansamos de mais uma infinidade de “mais do mesmo”.

Pronto! Esta é a hora do grito. A hora que o pensamento beira ao caos. E percebo que o status “estou me sentindo cansada” é muito mais mental do que físico. Não há para aonde correr, a não ser sentar comigo mesma e ter um DR com todos os meus conflitos internos.

Chego a uma única conclusão: a vida precisa de um “UP”, em caps lock!

De imediato, talvez um salto alto e um batom vermelho, daqueles que faz uma mulher se sentir a própria Angelina Jolie, levantem meu astral... Mas a vida é muuuuito mais do que uma maquiagem externa.

O que preciso mesmo é de sonhos, de projetos, de coisas para alcançar... Preciso do novo, de mudança, de crescimento... Preciso evoluir, correr atrás de um ideal, virar gente grande...

É que na verdade, mesmo em movimento, estamos parados no mesmo lugar... E eu cansei de brincar assim!

*Mariana Monge é jornalista e colaboradora do Lado B. Mais textos na página da autora - Mariana Monge.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.