A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

13/11/2015 15:59

Ciclista diz que saiu pelo mundo depois de perder a família e viaja há 18 anos

Adriano Fernandes
O rapaz já passou por contabiliza 20 estados brasileiros e 17 países. (Foto:Adriano Fernandes)O rapaz já passou por contabiliza 20 estados brasileiros e 17 países. (Foto:Adriano Fernandes)

Campo Grande é parada do ciclista Vinícius da Silva, de 32 anos, o “Ciclo Aventureiro Selvagem”. Ele jura que viaja desde os 14 anos, depois de ter perdido toda a família em um naufrágio. Saiu do Amapá, com algumas roupas e uma bicicleta, para rodar o mundo e conta que passou por 20 estados brasileiros e 17 países, da Argentina até a Alemanha, para onde, segundo ele foi de navio. Só na Patagônia, diz que foram 11 meses, tudo é claro, ao lado da fiel escudeira.

Veja Mais
Uber multado, reajuste de ônibus e cidade sob chuva bateram recordes nas redes
Do Corinthians ao canteiro de obra, zagueiro que virou servente tem nova chance

Antes de chegar ao 1º Grupamento de Bombeiros de Campo Grande, nesta manhã, Vinícius parou em Aquidauana. Amanhã, ele segue seu percurso em direção a Bonito. “O segredo da vida é a gente gostar do que a gente faz e eu amo pegar a estrada”, diz orgulhoso.

Na história que ele costuma divulgar por aí, já se passaram 18 anos desde a saída e a morte dos pais, dos dois avós maternos e dos três irmãos, no naufrágio em um dos rios do município de Itacoatiara, no Amazonas. “Eu era filho adotivo e eles eram minha única família. Sair de bicicleta pelo mundo foi a solução que encontrei pra superar a dor”, garante.

Por onde passa, ele é recebido em unidades do Corpo de Bombeiros das cidades, que ele já perdeu as conta de quantas foram. Mesmo sem nenhum patrocínio, não pretende parar tão cedo. “A bicicleta é minha casa e estrada é minha vida” ele disse.

Na internet, o ciclista é famoso e acumula dezenas de matérias pelos lugares por já passou, mas os registros são apenas no Brasil, não há qualquer referência ao exterior. A única foto com algo de fora foi feita em Porto Alegre, segurando uma bandeira do Uruguai.

Em cada parada, conta as suas histórias e os desafios do caminho. Já perdeu, por exemplo, mas de 20 bicicletas, roubadas na estrada. Com os ladrões, também já ficaram bagagem, máquina fotográfica e até as anotações.

Tem até uma conta no Facebook, mantida por um casal de ciclistas aventureiros como ele, que conheceu nas andanças pelo Brasil, conta ele.

Interessados em fazer doações, podem fazer contato pelo (67) 9891-0135.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.