A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

20/03/2016 08:10

Comunidade passa o fim de semana produzindo 2 mil ovos de Páscoa para doação

Naiane Mesquita
Ontem, o processo foi para derreter as barras e fazer os ovos de Páscoa (Foto: Fernando Antunes)Ontem, o processo foi para derreter as barras e fazer os ovos de Páscoa (Foto: Fernando Antunes)

A meta é fazer mais de 2 mil ovos de Páscoa, todos destinados às instituições que atendem crianças em situação de vulnerabilidade social. Muito além de um doce, os organizadores acreditam que fazer a doação significa levar a mensagem dessa época do ano a quem mais precisa. A confecção, que começou ontem e segue hoje, é feita no salão da Igreja Nossa Senhora de Fátima, em Campo Grande.

Veja Mais
Astrologia védica mostra o futuro, mas também ensina a aceitar o destino
Como mágica, o amor encontrou o palhaço e romance vive liberdade em belas fotos

Crianças embalam doces para colocar dentro dos ovos (Foto: Fernando Antunes)Crianças embalam doces para colocar dentro dos ovos (Foto: Fernando Antunes)

Organizada pelo grupo de jovens da igreja, a ação ocorre há cinco anos consecutivos e une não só fiéis, mas admiradores da causa. “Nós começamos com 80 ovos, depois foi para 2 mil, já tivemos 5 mil. Vamos fazendo de acordo com as demandas das instituições ao longo do ano. Dessa vez, vamos atender cerca de 20 instituições”, conta um dos organizadores Diego Oliver, 28 anos.

Na hora de ajudar, não existe preconceito. As instituições atendidas podem ser evangélicas ou espíritas, por exemplo, o grupo não se importa. “Selecionamos de acordo com os que tem mais necessidade. Tem algumas instituições que estão desde o começo, outras que é a primeira vez que vão receber os ovos de páscoa”, ressalta.

A ideia partiu do grupo jovem, mas todo mundo entra na festa. “Temos crianças de 6 a 80 anos”, brinca Diego. As tarefas são divididas por etapa. No salão, algumas famílias embrulham as balas e doces que irão dentro dos ovos de páscoa.

Na cozinha, tem quem corte o chocolate em pedaços e o Tenente do Exército, Antônio Stecca Renno, 24 anos, que mistura tudo em banho maria no fogão. “Aqui é a parte que tem mais calor, mas também é a tentação”, afirma Antônio.

As meninas são responsáveis por cortar quase 4 mil pedaços de papel alumínio (Foto: Fernando Antunes)As meninas são responsáveis por cortar quase 4 mil pedaços de papel alumínio (Foto: Fernando Antunes)

Morando em Bela Vista, a 322 km de Campo Grande, ele levará os ovos de Páscoa para a Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Campo Grande) e Casa Lar do município. “Frequento desde os 14 anos a paróquia. Sempre ajudei na confecção dos ovos e agora vou levar para onde estou morando”, frisa.

Para finalizar os ovos, o grupo acrescenta flocos de arroz e passa a outro setor, responsável só por colocar o chocolate nas formas.

Por fim, é preciso cortar papel e embalar com alumínio antes de terminar a decoração. As responsáveis pelo processo são as jovens Beatriz Sartor, 22 anos, e Gabrieli Guenka, de 23, que vão cortar em média 4 mil pedaços. “Já temos um tamanho certo, é só colocar o papel e passar o estilete no buraco da mesa”, frisa.

Apesar de não frequentar a igreja, é o segundo ano de Gabrieli no mutirão. Sem uma das mãos, ela é a responsável por cortar os papeis. “Eu gosto. Vim em 2014 e agora estou de novo”, diz.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.