A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

29/07/2015 11:18

Dona morre, cachorro comove ao fazer plantão em porta de hospital e é adotado

Ângela Kempfer
Cãozinho ficou 6 dias na porta do Pronto Socorro. (Foto: Sidrolândia News)Cãozinho ficou 6 dias na porta do Pronto Socorro. (Foto: Sidrolândia News)

Ninguém conhece a história ao certo. Pode ser mais um daqueles folclores que surgem em cidades pequenas, mas o fato é que um cachorro vira-lata comoveu a cidade de Sidrolândia nos últimos dias.

Veja Mais
Astrologia védica mostra o futuro, mas também ensina a aceitar o destino
Como mágica, o amor encontrou o palhaço e romance vive liberdade em belas fotos

Desde quinta-feira passada, ele é visto na porta do Pronto-Socorro. “Ia até a esquina, onde tem um restaurante, mas logo voltava e não saia mais”, conta a recepcionista Olga Baldin.

Aos poucos, foi conquistando funcionários do Hospital Dona Elmiria Silvério Barbosa, os pacientes e vizinhos do prédio. “O povo dava alguma coisa para ele comer, brincava com ele...De lá pra cá, os pacientes tiveram alta e ele não saiu dali”, diz Olga.

A presença constante chamou atenção e o site Sidrolândia News resolveu investigar a origem do animal. O cãozinho, bem cuidado, seria de Vergília de Lima Gomes, de 82 anos. Internada com problemas respiratórios, ela morreu no último domingo.

“Algumas pessoas ali de perto falaram que era dessa senhora, que deu entrada, mas morreu. Procuramos informações na Secretaria de Saúde, com os agentes comunitários que visitam as residências, e eles confirmaram que o cachorro ficava na casa dela”, garante José Pereira, proprietário do jornal.

Segundo ele, dona Vergília morava sozinha, não tinha parentes, e o cão era a único parceiro visto com freqüência na casa dela, em uma região pobre de Sidrolândia.

A reportagem foi publicada ontem e hoje cedo começaram os telefonemas, de gente disposta a adotar o vira-lata. “De manhã já vieram buscar para dar banho e as vacinas, para entregar para uma senhora que mora com a filha e um neto. Mas ela disse que vai devolver se o verdadeiro dono aparecer”, explica José.

No hospital, outras 4 pessoas ligaram nesta quarta-feira mostrando interesse em adotar o cão orfão, que no imaginário popular se mostrou fiel ao não arredar as patas do Pronto-Socorro.

Os diretores do hospital dizem que é impossível saber se o cachorro chegou realmente acompanhando dona Vergília, porque são cerca de 130 atendimentos por dia.

O Sidrolândia News fez um vídeo do cão na porta do hospital.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.