A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

07/05/2016 07:05

Em casamento, netos fazem homenagem às histórias de amor das 3 avós

Thailla Torres
Respeito e dedicação fazem parte das histórias que inspiraram o casal. (Foto: Fernando Antunes e Rafael Arruda) Respeito e dedicação fazem parte das histórias que inspiraram o casal. (Foto: Fernando Antunes e Rafael Arruda)

O casamento nunca foi algo esperado com ansiedade por Naísa Tonon Pires Machado. Ela acreditava que viveria sozinha. Nem as histórias de amor das avós fizeram ela pensar diferente. Até que um amor apareceu para fazer valer a pena e ela se vestiu de branco.

Veja Mais
A pé, Tulia faz percurso de 10 km até biblioteca onde aprendeu a ser feliz
Passada "nuvem negra" que trouxe o câncer, rosa tatuada no braço une 4 mulheres

O esposo é dentista, ela publicitária. Marcos Costa Marques Machados, de 30 anos, é tímido e Naísa é falante e extrovertida. Em meio as diferenças, juntos curtem rock e são fascinados por seriados. No dia a dia, as diferenças é o equilíbrio que completam um ao outro.

Por tudo isso, o dia do sim chegou. E na hora H, foi a sabedoria que roubou a cena. Os dois escolheram as avós para carregar as alianças. “Foi um dos melhores dias da minha vida” comemora Naísa.

Diferentes das festas que levam tempo para serem preparadas, Naísa e Marcos optaram pela simplicidade e por um momento mais íntimo. Foram apenas 4 meses entre o pedido e dia do casamento.

Em meio a escolha de tantos detalhes, Naísa quis que algo com significado muito maior fizesse parte daquele momento. Então, juntos, eles decidiram que Angelina, Naltir e Loriza seriam a melhor surpresa da noite.

No dia do sim, foi só emoção e felicidade. (Foto: Fernando Antunes e Rafael Arruda) No dia do sim, foi só emoção e felicidade. (Foto: Fernando Antunes e Rafael Arruda)

As histórias de vida das avós sempre foram uma inspiração para Naísa. Para ele, o exemplo também veio de casa. 

Loriza Pires, de 71 anos, entrou na frente carregando o par de alianças. Ela é avó paterna de Naísafoi um exemplo de persistência e luta. “Ela não desistiu do casamento e da companhia do meu avô. Mesmo após alguns anos de separação, ela nunca deixou de usar o sobrenome dele e após algum tempo reataram”, conta a neta.

Angelina Costa Marques, de 89 anos, é avó de Marcos. Entrou com uma rosa branca ao lado da avó materna de Naísa. E a forma como mantém vivo o amor pelo marido que já faleceu, é o que emociona o casal até hoje. “A dona Angelina ficou viúva aos 50 anos e ainda é apaixonada pelo marido. Todo mundo que a conhece, ela faz questão de contar sua história de amor, ressaltando a bondade do marido e o quanto ela sente saudade a todo o momento dele”, explica.

Naltir Tonon, de 74 anos, foi mais um exemplo na vida de Naísa, ao cuidar do avô que sofreu de câncer. “Ela cuidou do meu avô todos os dias, esteve ao lado dele em cada momento no fim da vida. E em nenhum momento você via minha avó reclamar que estava cansada. Sabíamos que ela se cansava fisicamente, mas jamais reclamou. Eu percebia que ela fazia por amor e até hoje ela se emociona ao falar dele”, lembra.

As três histórias  sempre tiveram um significado mais que especial para eles, por isso a homenagem. “Queríamos que elas também vivenciassem esse momento e saber o quanto a experiência de vida delas foi importante pra gente”.

Além das avós, Naísa também quis entrar com os pais que tanto admira. (Fotos: Fernando Antunes e Rafael Arruda) Além das avós, Naísa também quis entrar com os pais que tanto admira. (Fotos: Fernando Antunes e Rafael Arruda)

A cerimônia não foi religiosa, um juiz de paz selou a união do casal. Quando as portas do salão se abriram para noiva, Naísa entrou ao lado do pai e da mãe. A escolha foi para que os dois também pudessem viver a emoção de levar a filha ao altar. No lugar da marcha nupcial, tocou a Lucky Man do The Verve, que é a canção que marcou a história de amor dos dois.

O casal se conheceu há 8 anos, durante uma festa de Carnaval, quando um amigo em comum fez com que Naísa saísse de Campo Grande para festejar em Corumbá. “Estávamos em uma festa e esse amigo disse a mesma coisa a nós dois, que um estava querendo ficar com outro. E acabamos nos beijando naquela noite”, conta Naísa.

O que poderia ter sido apenas um encontro de Carnaval, virou relacionamento sério quando os dois decidiram se encontrar na Capital. Com interesses em comum, o amor falou mais alto e os dois começaram a namorar, moraram juntos e casamento surgiu naturalmente.

Hoje, Naísa diz que não se arrepende de um tempo em que premeditava o próprio destino. Mas admite que adorou mudar de ideia e viver a dois. “Não me arrependo de nada. Somos muito felizes e acredito que hoje o casamento é isso, é uma parceria. Tem amor? Tem. Mas tem companheirismo, tem respeito e tem força pra lutar juntos. Nada é perfeito, mas pra mim até os defeitos são bons”, comemora.

Tem amor? Tem. Mas tem companheirismo, tem respeito e tem força pra lutar juntos, se declara Naísa."Tem amor? Tem. Mas tem companheirismo, tem respeito e tem força pra lutar juntos", se declara Naísa.



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.