A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

28/06/2015 09:27

Em noite de desfile arrasador, MS elege o gay mais bonito do Estado

Adriano Fernandes
Ao centro, Giovani Piancelli, vencedor do Mister Diversidade, ao lado do segundo e terceiro colocado e Mister Simpatia e Popularidade. (Foto: Gustavo Maia)Ao centro, Giovani Piancelli, vencedor do Mister Diversidade, ao lado do segundo e terceiro colocado e Mister Simpatia e Popularidade. (Foto: Gustavo Maia)

Na disputa com outros oito candidatoso grande vencedor do concurso Mister Diversidade MS 2015, foi o designer Giovani Piancelli, de 29 anos. Representando a cidade de Três Lagoas, Giovani nasceu em Ladário e se mudou aos 8 anos para a Espanha, onde viveu por 12 na cidade de Barcelona. Além das lembranças e o aprendizado, o sotaque marcado ainda é reflexo do tempo em que o novo Mister Diversidade viveu fora do país. No retorno ao Brasil, ele se mudou para a cidade de Três Lagoas, onde mora até hoje.

Veja Mais
Caligrafia da escola rendeu à Marystella a profissão de designer de lousas a giz
Luis ganhou o título de presidente e hoje é dono da própria cadeira no bar

De hábitos saudáveis, o designer disse que não precisou adotar nenhum outro tipo de dieta diferente da de costume. De acordo com Giovani, o único capricho intensificado, foram os treinos de academia, passarela e palco. De experiência no mundo da moda, apenas alguns poucos trabalhos como modelo. "Entre os 15 e 16 anos de idade, até decidir parar",se lembra o rapaz.

O convite para participar foi feito por um dos próprios membros da Rede Apolo, o atual presidente David Andrade, e só foi aceito depois de umas três tentativas. O que o fez mudar de ideia, foi quando notou que a instituição desenvolve um trabalho sério, além de todo o profissionalismo e responsabilidade do concurso.

Giovani Piancelli tem 29 anos e representa Três Lagoas. (Foto: Gustavo Maia)Giovani Piancelli tem 29 anos e representa Três Lagoas. (Foto: Gustavo Maia)

"Quero representar esse título e consequentemente a causa LGBT com muita humildade. É um concurso de beleza, mas que tem um propósito", comentou Giovani. Segundo ele, uma das experiências mais valiosas que conquistou durante os últimos 15 dias, desde a confirmação da inscrição, até as primeiras sessões de foto, vídeo e ensaios, sem dúvida foi a relação estabelecida entre os Misters candidatos.

Junto de Giovani, mais oito candidatos disputavam o título de Mister Diversidade 2015. Eram eles Alex Ferreira, 23 anos de Dourados; Allyson Antunes, 21 anos, de Ponta Porã; Allan Rodrigues, 25 anos, de Campo Grande; Douglas Rodrigues, 22 anos, Maracajú; Estevão Falco, 27 anos, Bonito; Lucas Lima, 19 anos, Rio Verde; Murilo Zambrana, 25 anos, Ribas do Rio Pardo e Ricardo Bassani, 32 anos, Jardim. No segundo lugar ficou Allan Rodrigues, em terceiro Estêvão Falco e Allyson Antunes e Douglas Rodrigues como Mister Popularidade e Mister Simpatia, respectivamente.

“Não me senti em nenhum momento em uma competição. Criamos instantaneamente um laço de amizade, de carinho e respeito uns pelos outros. Brincamos juntos, nos divertimos muito e choramos juntos e estes laços de amizade são pra vida toda”, descreve.

Giovani ainda agradeceu ao empenho de toda Rede Apolo e organização do concurso, pelo carinho e paciência. “Me senti em casa”, completou.

O novo Mister se diz ansioso com a possibilidade da etapa nacional do concurso, ainda sem data definida. Caso ocorra, ele se diz preparado, mas entende que os cuidados tanto com o corpo como com a mente, tem de ser redobrados. Vale ressaltar que o Mister Diversidade MS anterior, Carlos Gabriel, depois de eleito em 2013 aqui, também ganhou o título na etapa nacional do concurso Mister Diversidade.

Desfile dos candidatos a Mister contou com traje de banho. (Foto: Paula Roberta)Desfile dos candidatos a Mister contou com traje de banho. (Foto: Paula Roberta)

“O Mister tem esse papel de militância e ativismo em relação as questões LGBT e eu me sinto preparado para isso”, resume Giovani.

Diversidade na Moda - Na noite da premiação de Giovani, a programação da "II Semana Cultural Apolo | MS Sem Homofobia - Direito Nosso, Dever do Estado", promovida pela Rede Apolo, Rede de Homens Gays e Bissexuais de Mato Grosso do Sul, contou também com o desfile “Diversidade em Moda”, onde foram apresentadas cinco coleções de roupas, entre elas a marca "Capela Fashion", assinada pelo estilista Renan Mendonça, e demais produzidas pelos acadêmicos de design de moda da Universidade Anhaguera/Uniderp. Dentre elas, a série “Encantamento Eterno”, com peças em estilo barroco inspiradas no filme Drácula de Bram Stoker, "Estilo Disco" e até peças feitas a base de Algodão Cru e Juta.

Em média, 15 alunos dentre modelos e estilistas, contribuíram com suas peças na produção do desfile. No backstage, até mesmo acadêmicos que não produziram peças, auxiliaram no trabalho de vestimenta dos modelos. A prioridade do desfile, era para que tanto quem produzisse as peças ou ao menos os que desfilassem, fossem LGBT (Lésbica, Gay, Bissexual ou Travesti) .

Candidatos a Mister desfilaram também em traje de gala. (Foto: Paula Roberta)Candidatos a Mister desfilaram também em traje de gala. (Foto: Paula Roberta)
Acadêmicos de Moda da Uniderp/Anhanguera realizaram desfile arrasador na produção. (Foto: Paula Roberta)Acadêmicos de Moda da Uniderp/Anhanguera realizaram desfile arrasador na produção. (Foto: Paula Roberta)

Karina Bôer é estilista formada pela instituição e eram dela as cinco peças da séria "Encantamento Eterno", produzidas como trabalho de conclusão de curso na faculdade. Para ela, o que de mais válido pode ser tirado do evento, foi a oportunidade dada para que os acadêmicos mostrassem o seu trabalho, além de tê-lo valorizado em um evento de tamanha dimensão. “Adorei ter participado. Além da divulgação e valorização de nossos trabalhos, de certa forma também nos sentimos abraçando esta causa”, comentou Karina, sobre o fato de que todos os modelos que desfilaram, terem sido LGBTs.

Na passarela este ano, desfilarão drag queens, além de lésbicas e homens gays, em vestidos de algodão cru e boots de aventura. A grife de roupas Capela Fashion, também expôs suas roupas da coleção Esprit Collection, que mais uma vez surgiu com a proposta de deixar de lado as questões de gênero, colocando homens usando saias, capuzes e sobreposições de alfaiataria

Neste mesmo sentido, foram feitas as roupas que comporão a coleção “Disco”, também obras de conclusão do curso do figurinista e estilista, Marcus Cristaldo, de 28 anos, que com suas roupas inspiradas na noite dos anos 80, foram utilizados para compor todo figurino do curta “Vampiros”, lançado em Março. Em uma de suas roupas, foram usados cerca de 1000 paetês.

Destaque do desfile, também foi a primeira modelo a desfilar. Em um macacão todo preto, com algemas amarradas entre as mãos e o pescoço, a Miss Transex 2013, Emanuelle Fernandes, abriu o desfile com uma asa negra sobre as costas, em alusão a um Anjo Negro. Toda a edição dos desfiles, seja dos acadêmicos quanto dos misters, foi feita pelo editor de moda, Luiz Gugliatto.

A noite também teve toda a irreverência da personagem, fenômeno no Youtube "Rose, a Doméstica das Bichas". 

O evento - A programação ainda continua neste domingo, a partir das 17h no MIS - Museu da Imagem e do Som, na Fernando Correa da Costa, 559, com a peça "Subcutâneo - O que te define, está por debaixo da Pele" e em seguida apresentação do curta metragem "Os Sapatos de Aristeu", com entrada franca.

Desfile apresentou coleções dos próprios acadêmicos. (Foto: Paula Roberta)Desfile apresentou coleções dos próprios acadêmicos. (Foto: Paula Roberta)
Em torno de 15 modelos cruzaram a passarela. (Foto: Paula Roberta)Em torno de 15 modelos cruzaram a passarela. (Foto: Paula Roberta)
Desfile divulgou os trabalhos realizados por futuros estilistas. (Foto: Paula Roberta)Desfile divulgou os trabalhos realizados por futuros estilistas. (Foto: Paula Roberta)



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.