A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

25/06/2015 06:34

Fã de novelas brasileiras, russa encara vida nova em Campo Grande e adora tereré

Leandro Marques
Fã de novelas brasileiras, russa encara vida nova em Campo Grande e adora tereré

Do frio e tempo cinza da Rússia para o calor e riqueza de cores da capital de Mato Grosso do Sul há uma infinidade de diferenças. Cultura, gastronomia, costumes são fatores importantes para familiarização com uma nova nação. Mas essas peculiaridades são tiradas de letra por Mary Manich, que há 7 anos saiu de sua terra natal e vive em Campo Grande, adaptada e feliz.

Veja Mais
A pé, Tulia faz percurso de 10 km até biblioteca onde aprendeu a ser feliz
Passada "nuvem negra" que trouxe o câncer, rosa tatuada no braço une 4 mulheres

Foram as novelas nacionais que levaram um pouco da cultura do Brasil para Rússia, algumas fizeram grande sucesso por lá e eram uma diversão para Mary e sua família. "Assistia muita novela brasileira na infância, com 12 anos via 'Escrava Isaura', mas naquela época não entendia nada, nem imaginava que um dia viria ao Brasil. Lembro que a Rússia parava pra ver essa história, era uma febre", recorda.

Já mais adulta, as novelas também a ajudaram na prática da língua portuguesa. Antes de encarar a mudança brusca de país, ela chegou a passar seis horas por dia vendo várias. Mesmo sem entender nada, já ia aprendendo a pronúncia, sonoridade e, como ela diz, o charme do idioma. Um amigo mandava os DVDs de novelas daqui para ela assistir, entre elas, 'O Clone', 'Malhação', 'Cobras e Lagartos', viu muitas. Chegou ao Brasil entendendo melhor que falava, não conjugava bem os verbos, mas tava lá firme e forte no aprendizado.

Dos sabores 'tupiniquins', a russa ama a fartura de frutas que tem no País, como um todo. Um cacho de bananas, por exemplo, era compradas verde no supermercado e a espera pela maturação era quase uma tortura. "Me lembro de quando eu tinha uns dez anos, minha mãe guardava as bananas em um armário e trancava até que amadurecesse. Eu sabia onde ficava a chave e todo dia eu ia lá conferir se já estava amarelinha. Quando amadurecia era uma festa em casa e esse cheiro de banana que ficava na gaveta me marcou muito e mesmo com a quantidade da fruta por aqui, essa sensação nunca desapareceu", conta.

Fã de novelas brasileiras, russa encara vida nova em Campo Grande e adora tereré

Depois de tanto tempo vivendo em Campo Grande, Mary já se sente uma sul-mato-grossense nata. Adora tereré, sobá e comida caseira regional. Gosta de ir ao Mercadão Municipal aos domingos de manhã comer um pastelzinho com suco de laranja e comprar a carne do almoço. Já se acostumou com o calor humano das pessoas daqui e não estranha mais ser cumprimentada com beijinhos.

"Somos mais frios na relação com o outro. O que me deu um choque foi o beijo, aqui as pessoas se cumprimentam com abraço e beijinhos e quando era apresentada a alguém, já ficava tensa e pensava 'essa pessoa vai me abraçar e me beijar' e ficava com o olho deste tamanho (faz uma expressão de assustada). Definitivamente isso não tem na Rússia", diverte-se.

De tudo que o MS e Campo Grande tem de melhor a oferecer, os nossos encantos naturais é o que tem maior apreço pela russa.

Desde o céu azulzinho ou transformado em diversas cores, até araras voando em liberdade trazem pra ela sensações de felicidade intensa que só aqui ela encontra. Marcadas em sua memória afetiva, como as bananas de sua infância, as belezas de Campo Grande já estão com ela eternamente em sua memória.

*Leandro Marques é jornalista e assina o blog do Balaio de Gato




Não entendi o comentário desse "CadeOsJornalistas"...
 
JESSICA MACHADO GONÇALVES em 25/06/2015 15:52:19
Só de olhar você já sabe que é superior né! Rússia !
 
CadeOsJornalistas em 25/06/2015 08:35:30
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.