A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

22/12/2015 06:34

Família se une e ajuda a aumentar casa onde pais vivem com 13 filhos

Naiane Mesquita
As duas famílias unidas na foto oficial de Natal e inauguração da casa nova (Foto: Gerson Walber)As duas famílias unidas na foto oficial de Natal e inauguração da casa nova (Foto: Gerson Walber)

As crianças estavam ansiosas no portão de casa, a espera dos visitantes. Os cachinhos dos cabelos foram feitos com cuidado e todos estavam arrumadinhos para ninguém colocar defeito. O sorriso era de orelha à orelha. Tudo por conta da “inauguração” da casa nova.

Veja Mais
Despedida dominou a web na semana em que todo mundo coloriu de verde o coração
Datilografado, pedido de casamento revelou primo apaixonado em 1980

O novo quarto construído por Robson com ajuda dos anjos (Foto: Gerson Walber)O novo quarto construído por Robson com ajuda dos "anjos" (Foto: Gerson Walber)
Beliche foi conquistada com doação de quem aderiu ao grupo de amigos (Foto: Gerson Walber)Beliche foi conquistada com doação de quem aderiu ao grupo de amigos (Foto: Gerson Walber)

Rosana da Silva, 38 anos e Robson Soares de Barros, 42 anos, tem 13 filhos. A história da família que saiu do bairro Noroeste para conquistar a casa própria no Celina Jallad foi contada pelo Campo Grande News em outubro deste ano.

Com apenas dois filhos grandes e ainda um netinho recém-nascido para cuidar, eles se revezavam para vigiar a nova propriedade e temiam como abrigar todo mundo em dois quartos com um banheiro. Sem formas de trabalhar, o patriarca dependia da ajuda dos filhos e de uma pensão do INSS, após sofrer a picada de uma cobra que o deixou com dificuldades de locomoção e dores constantes. O filho mais velho vendia picolé e a segunda mais velha fazia serviços para a vizinha, em troca de R$ 200,00.

Hoje, menos de dois meses depois, a história ganhou novos capítulos e muito mais felizes. A casa que antes só tinha dois quartos, tem três, com direito a beliches para todos e um bercinho para os bebês. Um banheiro a mais também foi providenciado e alguns móveis deixam o ambiente mais aconchegante.

Papai Noel fez a festa da família e dos vizinhos (Foto: Gerson Walber)Papai Noel fez a festa da família e dos vizinhos (Foto: Gerson Walber)

O destino colocou no caminho de Rosana e Robson, a família Zandavalli, que depois de ler a reportagem no site decidiu que ajudaria de alguma forma. “Foi minha irmã Terezinha que viu a reportagem e me ligou. Nós já fazemos trabalhos voluntários com moradores de rua e decidimos conhecer a família. Percebemos que eles eram de bom coração e decidimos ajudar. Ele pedia alguns tijolos e cimento para começar a construção, mas não daria para fazer nada com o que ele queria”, diz a empresária Maria Luiza, 58 anos.

Foi então que elas resolveram criar um grupo de Whatsapp intitulado Anjos do Bem e envolver familiares da cidade ou não, além de alguns amigos. De pouco em pouco, conseguiram o dinheiro que era necessário para a construção. Primeiro arrecadando, depois fazendo rifas e por fim, um bazar com as roupas que ganhavam para a família.

“Como as pessoas davam muitas roupas, nós trocamos em um primeiro momento para roupas para as crianças. Depois que vimos que era suficiente começamos a vender em bazar e comprar os materiais de construção. Só não gastamos com mão de obra”, reforça. Cerca de 20 pessoas ajudaram com as doações.

Quem meteu a mão na massa foi Robson. Mesmo afastado do trabalho devido a lesão, ele juntou forças e construiu para a família o que faltava. “Foi cerca de 30 dias. Fizemos mais um quarto e um banheiro. Também concretei a calçada e colocamos o portão”, diz. Os móveis, a família conseguiu por doação.

Na hora da entrega, as irmãs Terezinha e Maria Luiza ainda providenciaram salgadinhos e um Papai Noel, que distribuiu balas entre as crianças. A festa foi geral. Até os vizinhos do lado apareceram para encontrar o bom velhinho.

“Como o Robson não conseguia fazer bicos nós ajudamos algumas vezes com a alimentação. A filha mais velha também sofreu um acidente de moto, então ficou parada. Já o mais velho, nós conseguimos um emprego novo em uma empresa, está em fase de experiência, mas estamos torcendo bastante”, acredita Maria Luiza.

Para Robson, tudo que aconteceu foi obra de Deus. “Foram anjos que apareceram e nos ajudaram. Nem temos como agradecer”.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.